R.B. 25/JUN/20 "É um grande circo"


R.B.

"É um grande circo"

São Paulo, 25 de junho de 2020 (QUINTA-FEIRA).


Mercados e Economia:

Hoje (1) a BOVESPA deve subir, retornando à sua trajetória de alta, beneficiada pelos sinais cada dia mais intensos de reabertura da economia tupiniquim, acompanhado a melhora do "humor" nas principais bolsas mundiais e impulsionada pela importante aprovação final do novo marco do saneamento básico brasileiro e (2) o DÓLAR pode cair, devolvendo uma parte da forte alta registrada no pregão anterior, seguindo o movimento internacional da moeda norte-americana e influenciado pela expectativa de aumento do fluxo positivo de recursos externos oriundos de exportações, captações e investimentos.

Ontem, no BRASIL, (1) a BOVESPA caiu -1,7% (aos 94.377pts), reduzindo os ganhos acumulados no mês (8,0%) e ampliando a baixa registrada no ano (-18,4%), influenciada pela piora do "humor" nas principais bolsas mundiais, diante dos temores de avanço do coronavírus nos EUA e na Alemanha, duas das maiores economias do planeta, e da ameaça de Washington de tarifar bilhões de dólares em produtos da União Europeia e do Reino Unido e (2) o DÓLAR subiu 3,3% à R$ 5,31, registrando a maior alta diária desde 18/MAR/20, acompanhando a trajetória internacional da moeda norte-americana e também em um "ajuste técnico" após 3 pregões seguidos de queda.

Também ontem, nas principais bolsas (1) da ÁSIA, sem uma tendência única, Japão -0,1% e China 0,2%, com investidores avaliando a perspectiva de recuperação da economia global e, ao mesmo tempo, temendo a volta do coronavírus, (2) da EUROPA, Inglaterra -3,1%, França -2,9% e Alemanha -3,4%, em um dia de generalizada aversão ao risco, em meio ao renovado pessimismo em relação à economia global diante do persistente aumento no número de casos de coronavírus, além do ressurgimento de tensões comerciais entre norte-americanos e europeus e (3) dos EUA, S&P -2,6%, DJ -2,7% e NASDAQ -2,2% prejudicadas pelos mesmos motivos que derrubaram as demais bolsas mundiais e com destaques de queda para as ações dos bancos, como Bank of America (-3,9%), Citigroup (-4,0%) e Goldman Sachs (-3,3%).

Aumentando as tensões comerciais globais, o Escritório do Representante de Comércio dos EUA divulgou comunicado em que informa estudar impor tarifas a US$ 3,1bi de exportações da União Europeia.

Bastante pessimista, o FMI piorou ainda mais sua projeção para o crescimento do PIB mundial, desta vez de -3,0% para -4,9%, já para o Brasil o referido órgão econômico espera uma contração ainda maior da economia, agora de -9,1%.

Segundo Eduardo Bodra, gestor da Canvas Capital, por conta da queda dos juros do Brasil para mínimas históricas, as empresas deixaram de emitir no exterior, os brasileiros passaram a remeter recursos para fora em busca de maiores retornos e o dinheiro externo que antes vinha lucrar com a rentabilidade, as chamadas operações de carry trade, já não vem mais.

Em defesa da manutenção do seu monopólio, Maurício Minas, membro do conselho de administração do Bradesco, alertou, sem apresentar nenhum argumento plausível, que o sistema bancário precisa enxergar o open banking de maneira cuidadosa.

Ressaltando a importância do país já se adaptar às diretrizes econômicas e de ajuste fiscal recomendadas pela OCDE, Paulo Guedes está convencendo o presidente Bolsonaro a implementar uma agenda liberal que gere crescimento e emprego por meio do setor privado, deixando de lado as propostas focadas em investimento público e ampliação do tamanho do Estado.

Defendendo suas mordomias e fazendo o que pode, e principalmente o que não pode, para prejudicar o Brasil, ontem os nefastos e canalhas ministros do STF decidiram proibir qualquer corte salarial de servidores públicos e vetar a redução de repasses do Executivo a outros poderes.

-    A Sabesp subiu 2,3%, em meio à expectativa para a aprovação, confirmada após o fechamento do pregão, do marco do saneamento no Senado.

-    A Cielo despencou -13,0%, diante do anúncio de que o cartel dos bancões tupiniquins conseguiu, "politicamente", barrar o novo sistema de pagamento instantâneo que a empresa estava lançando com o WhatsApp.


Política:

Agindo como se fosse uma ativista política, Carmen Lúcia, ministra do STF indicada para o cargo pela organização criminosa petista, deu uma longa entrevista para os canetinhas de aluguel do UOL na qual afirmou que está difícil o Brasil superar a pandemia do coronavírus pois o presidente Bolsonaro não sabe governar o país.

Confirmando que, além de traíra, é um cara muito chato, o ex-juiz e ex-ministro Sergio Morro não conseguiu entrar em acordo com os políticos e bandidos da esquerda e desistiu de participar do comício virtual que finge lutar pela democracia, mas que na verdade só pensa em derrubar o presidente Bolsonaro.

Com 65 votos favoráveis e 13 votos contrários, estes obviamente da organização criminosa petista e de suas linhas auxiliares, ontem finalmente o Senado aprovou o novo marco do saneamento básico, medida que estimula a participação da iniciativa privada no setor, estabelece metas a serem cumpridas em até 12 anos e atrairá até R$ 700bi em investimentos no período.

Para desespero dos bandidos e canalhas tupiniquins, que temem as investigações que pode ser feitas nos bancos do exterior contra eles, o Conselho de Ética do Banco Mundial afirmou que não pode influenciar na nomeação do ex-ministro Abraham Weintraub, que foi praticamente exilado do país pelo STF, pela imprensa e pela oposição, como seu diretor.

Finalmente voltando às ruas, a operação Lava Jato mandou hoje prender Silas Rondeau, ex-ministro de Lula e que sempre foi ligado a José Sarney que foram delatados pelos operadores emedebista Jorge Luz e Bruno Luz.

Confirmando que, se aprovado, o projeto colocará uma tornozeleira eletrônica em todos os brasileiros e implementará a censura no país, o projeto das fake news prevê o rastreamento de mensagens no WhatsApp, exigência de documentos e número de celular para abertura de contas em redes sociais e a criação de um órgão de autorregulação para as plataformas de internet, o que obviamente viola a privacidade e o princípio constitucional de direto de livre expressão de pensamento.


Crítica:

"É um grande circo", com os Assessores de Investimentos de palhaços, a suposta "briga" entre Itaú e XP, que pertencem aos mesmos donos e que fingem que competem para (1) enganar o CADE, já que ao que tudo indica ambos não estão cumprindo o Ato de Concentração 08700.004431/2017-16 emitido em 14/MAR/18 e (2) influenciar ainda mais a CVM, que neste ano, se tiver um pouco de bom senso, vai acabar com a nefasta exclusividade imposta da maneira arbitrária e equivocada e contrariando a vontade da grande maioria do mercado em 2011.


PAZ, amor e bons negócios;


O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer crítica, dúvida ou sugestão, favor contatar: rb@relatoriobrasil.com


Conheça e indique nosso Blog: www.relatoriobrasil.com

Curta nossa página no Facebook: www.facebook.com/relatoriobrasil



Nenhum comentário:

Postar um comentário