''Apostas'' para 2019




"Apostas para 2019" 

São Paulo, 31 de dezembro de 2018 (SEGUNDA-FEIRA).


"Apostas do R.B. para o final de 2019"

Em OUT/18, após 36 anos de socialistas no poder, passando por Sarney, Collor, Itamar, FHC, Lula, Dilma e Temer, o Brasil finalmente elegeu um presidente de direita. As feridas da “guerra” eleitoral estão sendo cicatrizadas e a velha política, apesar de ainda espernear, já sabe que está fadada ao esquecimento, ou à cadeia, juntamente com Lula, seu “bandido de estimação”.

2019 pode sim ser ano da virada para Brasil, o principal e primeiro passo a ser dado, mais importante que qualquer reforma, é um choque de moralidade, com a prisão dos corruptos que ainda estão soltos, inclusive na suprema corte do país.

Fazer a reforma da Previdência é fundamental para o Brasil não quebrar e Bolsonaro precisa encaminhar este assunto nos primeiros meses do ano, a condução da economia nas mãos de Paulo Guedes e da justiça com Sérgio Moro são os pilares mais importantes de seu governo, e devem ser mantidos a qualquer custo.

O alinhamento ideológico do novo presidente tupiniquim com Trump, presidente dos EUA e CPT do mundo, trará inúmeros benefícios para o país, que se libertará definitivamente das ideologias bolivarianas e buscará o fechamento de acordos bilaterais.

Com confiança na economia e na justiça, os empresários voltarão a investir, o desemprego vai cair, o dólar, mesmo com a continuidade do aumento dos juros nos EUA, pode perder um pouco força em relação ao real e a bolsa, beneficiada pela taxa básica de juros no menor patamar da história, tem bons motivos para ter um excelente ano.

Nos EUA a economia seguirá crescendo, na China, prejudicada pela guerra comercial com os norte-americanos, o avanço do PIB perderá um pouco de vigor, mas seguirá acima dos 5% ao ano, e na Europa, cada dia mais socialista, a questão fiscal e a saída do Inglaterra do euro podem se tornar problemas cada vez maiores.
  
Indicador
''Aposta'' para 31/DEZ/19
Ibovespa
120.000pts
Dólar/Real
R$ 3,60
Juros - Selic
6,5%
PIB
3,0%
Inflação - IPCA
4,0%
Exportações
US$ 260bi
Desemprego
8,0%