R.B. 24/ABR/20 "Fabricando fake news à rodo"



"Fabricando fake news à rodo"

São Paulo, 24 de abril de 2020 (SEXTA-FEIRA).

Mercados e Economia:

Hoje (1) a BOVESPA deve subir, acompanhando o movimento ascendente das principais bolsas mundiais e a valorização das commodities, porem o “humor pode azedar”, e bastante, se Sergio Moro pedir demissão na coletiva de imprensa que ele marcou para as 11hrs de hoje e (2) o DÓLAR pode cair, em um “ajuste técnico” após fechar o pregão anterior no maior patamar da história e acumular alta de 38,0% no ano, influenciado pelos leilões de venda do BC e seguindo a trajetória internacional da moeda norte-americana, porem também atento à coletiva do ministro tupiniquim da justiça, que pode inverter a tendência.

Ontem, no BRASIL, (1) a BOVESPA caiu -1,3% (aos 79.673pts), revertendo os ganhos da abertura, quando na máxima atingiu 81.933pts, diante da divulgação de mais uma fake news da Folha de SP dizendo que o brilhante ministro Sergio Moro tinha pedido demissão e (2) o DÓLAR subiu 2,2% à R$ 5,53, impulsionado pela mesma fake news que derrubou a bolsa tupiniquim e também influenciado pela valorização internacional da moeda norte-americana e pelos temores de piora fiscal do Brasil.

Também ontem, nas principais bolsas (1) da ÁSIA, Japão 1,5% e China 0,2%, seguindo o movimento ascendente das principais bolsas mundiais no dia anterior, (2) da EUROPA, Inglaterra 1,0%, França 0,9% e Alemanha 0,9%, acompanhando a abertura positiva das bolsas de NY, beneficiadas pela recuperação dos preços do petróleo e impulsionadas pela divulgação de resultados corporativos “menos piores” do que o esperado e (3) dos EUA, sem uma tendência única, próximas da estabilidade e devolvendo quase todos os ganhos da abertura, S&P -0,1%, DJ 0,2% e NASDAQ -0,1%, prejudicadas pela notícia de que a pesquisa sobre um possível medicamento contra coronavírus apresentou resultados decepcionantes.

Ainda sem apresentar detalhes, Jerome Powell, presidente do FED (“BC” dos EUA), “avisou” ontem que a autoridade monetária norte-americana fornecerá ao público e ao Congresso informações sobre medidas para apoiar economia "durante esse período difícil.

Perdendo tempo para desmentir mais uma fake news da nefasta e canalha imprensa socialista tupiniquim, o general Walter Braga Netto, ministro da Casa Civil e coordenador do Pró-Brasil, negou veementemente que exista qualquer desentendimento ou desconforto com o Ministério da Economia em relação ao conjunto de medidas que têm como pivô a retomada do investimento público e privado para a geração de empregos, ressaltando também que não ocorrerá estouro de teto de gastos.

Jogando o liberalismo às favas, o grupo chamado Coalizão da Indústria, formado por presidentes de 14 entidades do setor industrial, sugeriu que o ministro da Economia, Paulo Guedes, utilize os bancos públicos para ajudar a liberar o dinheiro emergencial para pequenas e médias empresas que estão passando por dificuldades por conta da quarentena imposta contra o coronavírus.

Mostrando os economistas, quando estão perdidos, são inúteis e parecem idiotas, Tony Volpon, que deve ganhar muito bem para ser economista chefe do UBS no Brasil, afirmou ontem que espera que o dólar termine 2020 valendo entre R$ 4,45 e R$ 5,75.

Apresentando os efeitos nefastos da quarentena obrigatória do coronavírus na economia tupiniquim, (1) segundo a Abrasel, 40% dos bares e restaurantes devem fechar, (2) a ocupação média dos hotéis brasileiros caiu -34,6%, (3) a inadimplência nas mensalidades do ensino privado triplicou segundo Chaim Zaher, dono do Grupo SEB.

Política:

Claramente e certamente com o objetivo de defender seus filhos canalhas e bandidos das investigações, ontem o presidente Bolsonaro, pisando feio na bola, comunicou ao ministro da Justiça, Sergio Moro, sua decisão de substituir o brilhante diretor-geral da Polícia Federal, Maurício Valeixo, o que efetivamente ocorreu na manhã de hoje.

Ainda sonhando em voltar a rapinar o Brasil e transformar o país em uma nova Venezuela, Lula, chefe da organização criminosa petista, afirmou que é preciso aderir ao "fora Bolsonaro", ressaltando que o atual presidente tupiniquim está destruindo a democracia.

Em uma jogada ensaiada com a organização criminosa petista e o centrão, Celso de Mello, nefasto ministro do STF, decidiu pedir informações ao presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, sobre o pedido de impeachment contra o presidente Bolsonaro apresentado em MAR/20 pelos advogados José Rossini Campos e Thiago Santos de Pádua.

Se aliado aos socialistas e ditadores que defendem o controle da mídia e da opinião pública, a deputada federal Joice Hasselmann afirmou que já tem o apoio necessário para colocar em votação um projeto de lei que ela quer apresentar transformando em crime o compartilhamento de fake news.

Com o objetivo de esclarecer qual será seu destino, Sergio Moro, brilhante ministro da justiça, herói nacional e fiador moral do governo Bolsonaro, marcou uma entrevista coletiva para hoje às 11hrs.

Crítica:

Notória canetinha de aluguel da organização criminosa petista, a Folha de SP, provando mais uma vez que também é “uma inesgotável e canalha fonte de fake news”, anunciou ontem que Sergio Moro tinha pedido demissão do governo Bolsonaro, o que poucas horas depois foi categoricamente desmentido pelo ministro e pelo presidente.

Fabricando fake news à rodo”, a nefasta imprensa socialista tupiniquim segue mentindo ao dizer que (1) as manifestações do último domingo eram contra a democracia, quando na verdade o mote principal era o fim da quarentena obrigatória e (2) é crime imbecis pedirem, pacificamente, a volta do regime militar, se esquecendo que existem pessoas que protestam à favor do aborto, do porte de armas e da liberação da maconha.

PAZ, amor e bons negócios;

O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer crítica, dúvida ou sugestão, favor contatar: rb@relatoriobrasil.com

Conheça e indique nosso Blog: www.relatoriobrasil.com
Curta nossa página no Facebook: www.facebook.com/relatoriobrasil


Nenhum comentário:

Postar um comentário