R.B. 7/JAN/19 "Finalmente falando a verdade, Lula"



"Finalmente falando a verdade, Lula"

São Paulo, 7 de janeiro de 2019 (SEGUNDA-FEIRA).

Mercados e Economia:

Hoje (1) a BOVESPA deve cair, realizando lucros após subir 4,5% na semana passada, acompanhando as perdas das principais bolsas mundiais e prejudicada por declarações desencontradas do governo Bolsonaro e (2) o DÓLAR pode subir, em um "ajuste técnico" após recuar por 5 pregões consecutivos e atingir o menor patamar desde 1/NOV/18, seguindo a trajetória internacional da moeda norte-americana e influenciado pela esperada piora do "humor" na bolsa tupiniquim.

Sexta-feira, no BRASIL, (1) a BOVESPA subiu 0,3%, para fechar o dia batendo o terceiro recorde histórico consecutivo, desta vez aos 91.840pts, acompanhando a melhora do "humor" nas principais bolsas mundiais e beneficiada pela valorização das commodities e (2) o DÓLAR caiu -1,1% à R$ 3,72, para fechar a semana acumulando uma retração de -4,1%, influenciado pelos mesmos motivos que animaram a bolsa tupiniquim e também pelas expectativas de aumento do fluxo positivo de recursos externos oriundos de exportações, captações e investimentos.

Também sexta-feira, nas principais bolsas (1) da ÁSIA, sem uma tendência única, Japão -2,3%, absorvendo, na volta do feriado, notícias negativas da Apple e China 2,1%, diante de declarações do governo de Pequim de que deve haver em breve mais estímulos à economia, (2) da EUROPA, recuperando perdas recentes, Inglaterra 2,2%, França 2,7% e Alemanha 3,4%, acompanhando o movimento ascendente das bolsas de NY, diante do otimismo com as negociações comerciais entre EUA e China e (3) dos EUA, também recuperando perdas recentes, S&P 3,4%, DJ 3,3% e NASDAQ 4,3%, animadas com os sinais de redução das tensões comerciais com a China e também impulsionadas pelos comentários de Jerome Powell, presidente do FED ("BC" local), que apresentou otimismo com a economia no país em 2019 e afirmou não ver pressão inflacionária nos números do relatório de empregos.

Com o objetivo de conter a desaceleração do ritmo de crescimento de sua economia, o BC da China informou na sexta-feira que, pela quinta vez em menos de 1 ano, está novamente cortando a proporção de dinheiro que os bancos devem manter como reservas, desta vez liberando até US$ 116bi para novos empréstimos.

Coberto de razão, Trump, presidente dos EUA e CPT do mundo, culpou a vitória da oposição democrata na disputa pelo controle da Câmara dos Deputados, e sua negativa em liberar recursos para a construção do mudo na fronteira com o México, pela turbulência nas bolsas norte-americanas que em DEZ/18 registraram o pior desempenho para o mês desde 1931.

Em um longo pronunciamento, Paulo Guedes, superministro da economia do governo Bolsonaro, reafirmou que a reforma mais importante é a da Previdência, que é o maior item do gasto público, e "avisou" que o governo enviará no início de FEV/19 sua proposta que, após aprovada, garantirá 10 anos de crescimento sustentável para o Brasil.

Ajudando a melhorar o resultado das contas públicas, com a recuperação dos preços do petróleo durante 2018, a projeção é que a arrecadação com os royalties cobrados das petroleiras fechará o ano com recorde histórico e a perspectiva é de novo aumento em 2019, ano em que o volume de óleo produzido no país deve saltar mais de 10%.

Após se decepcionar com seu resultado em 2018, a indústria nacional tupiniquim, diante da melhora recente dos índices que medem as expectativas do setor, projeta para 2019 um crescimento ao redor de 3% para sua produção.

-    A McDonald's subiu 1,5% na bolsa de NY e o prestigiado analista Mark Kalinowski ressaltou que a inclusão da batata frita com bacon no cardápio fixo da empresa fará com que as ações do subam e sejam uma das mais valorizadas em 2019.

Política:

Apesar de ter uma base, por ora, instável na Câmara do Deputados, o governo Bolsonaro não deve ter dificuldade em conseguir maioria para aprovar pautas de seu interesse, sobretudo as econômicas, já que, segundo uma projeção do Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar, o governo largará com apoio consistente de 255 deputados e uma oposição de apenas 141 parlamentares.

Como já era de se esperar, a organização criminosa petista, em apoio ao ditador venezuelano, divulgou "uma nota em repúdio" à decisão do governo Bolsonaro de apoiar a declaração do Grupo de Lima, que não reconhece o mandado de Nicolás Maduro.

Fazendo o Brasil se afastar rapidamente do "lado negro da força", Bolsonaro ofereceu para Mike Pompeo, secretário de Estado dos EUA, a possibilidade de instalação de uma base militar norte-americana em solo brasileiro.

Certamente preocupando alguns membros do Supremo Tribunal Federal tupiniquim, Sergio Cabral, ex-governador do RJ e atualmente presidiário com mais de 300 anos de condenação, quer contratar um novo advogado criminalista para poder dar início a um acordo de delação premiada.

Dando uma excelente notícia para o Brasil, segundo uma pesquisa divulgada pelo Globo atualmente apenas 10% da população tupiniquim se considera "de esquerda", 35% se diz de direita e 33% fala que é de centro.

Uma das poucas estrelas tucanas, Eduardo Leite, governador do Rio Grande do Sul e mais jovem mandatário estadual a tomar posse neste mês, com firmou seu "DNA social-democrata" já que (1) deu sinais de que não pretende privatizar o Banrisul e (2) defendeu um debate interno sobre temas comportamentais como aborto, armamento e casamento gay.

"Finalmente falando a verdade, Lula", maior bandido da história do Brasil, disse estar preocupado com os rumos da oposição, ressaltando que Bolsonaro foi eleito para destruir o PT e vai endurecer o discurso de combate à corrupção na política e de criminalização da esquerda.

No mesmo dia em que o PSL formalizou o apoio à reeleição de Rodrigo Maia para a presidência da Câmara, Gleisi Hoffmann, do PT, telefonou para Carlos Lupi, dirigente do PDT, e disse que eles precisavam se unir para apoiar outro candidato.

Crítica:

Com o objetivo de chegar a um acordo com os democratas e acabar com a paralização do governo norte-americano, Trump, presidente dos EUA e CPT do mundo, levantou a possibilidade de mudar, de concreto para aço, o material de construção a ser usado no muro da fronteira do país com o México.

PAZ, amor e bons negócios;

O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer crítica, dúvida ou sugestão, favor contatar: rb@relatoriobrasil.com

Conheça e indique nosso Blog: www.relatoriobrasil.com
Curta nossa página no Facebook: www.facebook.com/relatoriobrasil

Nenhum comentário:

Postar um comentário