R.B. 22/JAN/19 "Não tem rabo preso e só deve satisfações aos seus eleitores"



"Não tem rabo preso e só deve satisfações aos seus eleitores"

São Paulo, 22 de janeiro de 2019 (TERÇA-FEIRA).

Mercados e Economia:

Hoje (1) a BOVESPA deve voltar a cair, ainda em um “saudável” movimento de realização de lucros, novamente acompanhando as perdas das principais bolsas e o recuo das commodities, porem deve-se ressaltar que esta pode ser uma boa oportunidade para compras de quem “aposta” no sucesso do governo Bolsonaro e (2) o DÓLAR pode seguir em alta, também influenciado pela ausência dos leilões de venda do BC e pelos “temores” de desaceleração da economia mundial.

Ontem, no BRASIL, (1) a BOVESPA caiu -0,1%, realizando lucros após acumular uma alta de 9,3% nos 13 primeiros pregões do ano, com baixo volume de negócios (R$ 9,1bi) por conta do feriado em NY, influenciada pelas perdas das bolsas de Europa e pela queda das commodities e (2) o DÓLAR subiu 03% à R$ 3,76, para fechar em alta pela quinta vez consecutiva e reduzindo a baixa acumulada no ano (-2,9%), influenciado pela piora do “humor” na bolsa tupiniquim e seguindo a trajetória internacional da moeda norte-americana.

Também ontem, nas principais bolsas (1) da ÁSIA, Japão 0,3% e China 0,6%, beneficiadas pela divulgação do PIB chinês de 2018 (6,6%), que ficou um pouco acima do esperado (6,5%), (2) da EUROPA, realizando lucros recentes, Inglaterra -0,1%, França -0,2% e Alemanha -0,6%, prejudicadas pelo recuo das commodities e pela manutenção das dificuldades enfrentadas pela primeira-ministra britânica, Theresa May, para chegar a um acordo sobre o Brexit na Câmara dos Comuns do Reino Unido e (3) dos EUA, S&P, DJ e NASDAQ permaneceram fechadas por conta do feriado em homenagem ao líder Martin Luther King.

Prevendo uma fraqueza maior da Europa e a não resolução completa da “guerra” comercial entre EUA e China, o FMI reduziu, de 3,70% para 3,50%, suas projeções para o crescimento da economia mundial em 2019.

Colocando seu país novamente no centro das atenções mundiais, hoje, no Fórum Econômico Mundial de Davos, Bolsonaro “avisará” que seu governo (1) trabalhará para impulsionar o comércio tupiniquim, principalmente de produtos agrícolas, sem "viés ideológico", (2) garantirá segurança e estabilidade para investimentos, (3) tornará o Brasil "mais aberto ao mundo", com foco no liberalismo econômico e (4) não vai compactuar, financiar e apoiar ditaduras sanguinárias como a de Cuba e a da Venezuela.

“Apostando” em uma recuperação mais rápida do país após a recessão e também na aprovação da reforma da Previdência, o Fundo Monetário Internacional elevou, desta vez de 2,40 para 2,50%, suas previsões para o desempenho do PIB tupiniquim neste ano.

Desta vez um pouquinho menos otimista, o “mercado” (1) reduziu, agora de 2,57% para 2,53%, suas “apostas” para o crescimento do PIB brasileiro neste ano, (2) diminuiu, de 4,02% para 4,01%, suas projeções para a inflação medida pelo IPCA neste ano e (3) manteve em 7% ao ano a previsão para a taxa de juros no fim de 2019.

Sem medo de cortar na própria carne, algo que deve animar os investidores, Mourão, presidente em exercício, defendeu que na reforma da Previdência os militares (1) aumentem o tempo de contribuição de 30 para 35 anos e (2) o recolhimento da contribuição de 11% sobre a pensão recebida por viúvas.

Atraindo cada dia mais investidores, em 2018 os fundos imobiliários viveram o melhor ano de sua história por várias métricas como (1) patrimônio líquido, (2) valor de mercado, (3) número de investidores, (4) volume anual negociado e (5) média mensal e diária e, segundo especialistas, o bom momento tende a continuar em meio à consolidação de um novo ciclo de crescimento do setor de imóveis.

Apesar de ainda não influenciar nas cotações do real e das ações negociadas na bolsa tupiniquim, cada dia mais investidores, externos e internos, estão analisando e temendo os “estragos” que a investigação contra o filho de Bolsonaro possam causar no governo de seu pai e principalmente no andamento da reforma da Previdência.

Apresentando o primeiro resultado semanal negativo desde NOV/18, na semana passada a balança comercial brasileira registrou um déficit de R$ -1,9bi, prejudicada principalmente pela retração de -50,3% na venda de produtos manufaturados.

Política:

Para marcar posição”, porem certamente com boas chances de vitória caso consiga passar para o segundo turno, hoje o partido NOVO, que “não tem rabo preso e só deve satisfações aos seus eleitores”, lançará a candidatura do seu brilhante deputado Federal Marcel Van Hattem, que foi o parlamentar mais votado no Rio Grande do Sul, à presidência da Câmara.

Vendo suas chances diminuir, o nefasto senador emedebista Renan Calheiros, que foi alvo de protestos no final de semana passado, usou suas redes sociais para dizer que não é candidato à presidente do Senado.

Desenhando uma “bela desculpa”, o ex-atleta Fábio Guerra confirmou ontem que pagou cerca de R$ 100 mil em dinheiro vivo ao senador eleito Flávio Bolsonaro para quitar parte da compra de um imóvel na zona sul do RJ.

Em Davos, onde participa do Fórum Econômico Mundial ao lado de Bolsonaro, o governador de SP Dória “avisou” que transformará o PSDB em um partido “de centro, com posições claras, que terá relações respeitosas com a esquerda e com a direita”.

Desprezando seus candidatos, o PSD anunciou que vai liberar sua bancada na eleição para a presidência do Senado, porem uma liderança do partido disse que a maior parte dos 8 senadores deve acabar votando no “candidato do MDB”, que pode ser Renan Calheiros ou Simone Tebet.

Otimistas, aliados da senadora peemedebista Simone Tebet têm propagado que ela tem hoje apoio de 7 dos 12 senadores que compõem a bancada do MDB.

Mostrando que não quer reduzir seu ritmo de trabalho, Bolsonaro mandou instalar um gabinete especial no hospital Albert Einstein, em SP, para que ele possa despachar normalmente durante o período de recuperação de uma cirurgia à qual será submetido na próxima semana.

Como já era de se esperar, a Comissão de Ética da Presidência rejeitou liminarmente a denúncia do PSOL contra a promoção de Antônio Rossell Mourão, que é funcionário concursado do BB, é filho do vice-presidente do país e que tornou-se assessor especial da presidência do Banco do Brasil e teve seu salário triplicado, para R$ 36,4 mil.

Acreditando cada dia mais que se livrará da cadeia, o nefasto ex-presidente Temer relatou efusivo a amigos que foi aplaudido ao sair de um de seus restaurantes favoritos em SP e que, além de ser elogiado, foi alvo de pedidos de selfies.

Crítica:

Confirmando definitivamente suas más intenções, o jornalista Douglas Tavolaro, que será o diretor geral da CNN Brasil, canal de notícias 24 horas, “garantiu” que sua emissora de televisão não será de esquerda nem de direita, algo que é impossível de acontecer.

Classificado pela organização criminosa petista como uma das mais importantes organizações sociais do país, ontem o MST, que na verdade é um grupo terrorista, completou 35 anos desde sua criação, que ocorreu em 21/JAN/84 durante o 1° Encontro Nacional dos Trabalhadores Rurais Sem Terra, em Cascavel, no Paraná.

PAZ, amor e bons negócios;

O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer crítica, dúvida ou sugestão, favor contatar: rb@relatoriobrasil.com

Conheça e indique nosso Blog: www.relatoriobrasil.com
Curta nossa página no Facebook: www.facebook.com/relatoriobrasil

Nenhum comentário:

Postar um comentário