R.B. 3/OUT/18 "Pesquisa ajuste"



"Pesquisa ajuste"

São Paulo, 3 de outubro de 2018 (QUARTA-FEIRA).

Mercados e Economia:

Hoje (1) a BOVESPA deve voltar a subir, mesmo após fechar o pregão anterior no maior patamar desde 22/MAI/18 (aos 81.612pts), acompanhando o movimento ascendente das principais bolsas mundiais e com os investidores, externos e internos, cada dia mais “animados” com a possibilidade de vitória de Bolsonaro no primeiro turno e (2) o DÓLAR pode voltar a cair, mesmo após ter registrando no pregão anterior a maior baixa desde 8/JUN/18, seguindo a esperada manutenção do “humor positivo” na bolsa tupiniquim e também influenciado pela trajetória internacional da moeda norte-americana.

Ontem, no BRASIL, (1) a BOVESPA subiu 3,8%, na contramão das perdas das demais bolsas mundiais, apresentando um excelente volume de negócios (R$ 16,6bi) e registrando a maior valorização diária desde 7/NOV/16, com os investidores “animados” com o resultado da última pesquisa Ibope de intenções de voto para presidente e começando a “apostar” em uma vitória de Bolsonaro ainda no primeiro turno e (2) o DÓLAR caiu -2,5% à R$ 3,93, para fechar o dia no menor patamar desde 17/AGO/18, rompendo facilmente o “suporte” dos R$ 4,00, influenciado pelo mesmo motivo que animou a bolsa tupiniquim e derrubou em -5,1% o risco-Brasil.

Também ontem, nas principais bolsas (1) da ÁSIA, ainda com a bolsa da China fechada por conta de feriado, Japão 0,1%, recuperando as perdas da abertura, para fechar novamente no maior patamar em 27 anos, sustentada pelo bom desempenho das ações dos bancos, (2) da EUROPA, Inglaterra -0,3%, França -0,7% e Alemanha -0,4%, prejudicadas pelo aumento das incertezas políticas na Itália e pelo crescimento das dificuldades para a saída do Reino Unido da União Europeia e (3) dos EUA, sem uma tendência única, apesar do DJ bater mais um recorde histórico de alta, S&P -0,1%, DJ 0,5% e NASDAQ -0,5%, divididas entre o bom desempenho das ações de grandes empresas do país, como a Intel (3,6%), e a piora do “humor” na Europa.

Obviamente sem dizer que isto é fruto de governos corruptos, populistas e com teses bolivarianas, como no Brasil, com Lula, na Venezuela, com Chavez e Maduro, e na Argentina, com o casal Kirchner, ontem a Organização Internacional do Trabalho (OIT), que como todo órgão vinculado à ONU tem viés socialista, “alertou” que o desemprego é preocupante na América Latina, onde milhões de pessoas trabalham na informalidade, sem contribuir para a previdência social, o que compromete a arrecadação de uma futura aposentadoria, ressaltando também que após 2014 a região entrou em um ciclo de desaceleração econômica em que o desemprego médio passou de 6,1% para 8,1% em 2017.

Ainda sofrendo com a atual crise econômica do país, em AGO/18 a produção industrial brasileira recuou -0,3% na comparação com JUL/18, resultado bem pior que o esperado pelo “mercado”, que projetava uma alta de 0,2%, e que foi pressionado para baixo pela queda de -2,1% na produção de bens intermediários.

Tirando otimismo não se sabe de onde, (1) a Fenabrave, que é a associação de concessionárias, elevou, de 9,7% para 11,9%, sua “aposta” para o crescimento das vendas de automóveis e comerciais leves em 2018 na comparação com 2017 e (2) a Abifa, que é a associação do setor, “aposta” que produção da indústria de fundição, que cresceu 4,4% no acumulado deste ano até AGO/18, fechará 2018 com um avanço de 6,0% na comparação com 2017.

Com o objetivo de evitar um racionamento de água, o governo Temer, mesmo ciente dos impactos negativos para a inflação, decidiu aumentar a remuneração de 3 usinas térmicas movidas a gás natural, para viabilizar seu acionamento, o que obviamente elevará a conta de luz dos consumidores.

Nas barbas do CADE, que não faz nada para impedir o crescimento do monopólio bancário tupiniquim, ontem o Bradesco anunciou a aquisição de 65% da RCB Investimentos, empresa especializada na recuperação de créditos vencidos e inadimplentes com uma carteira de R$ 20bi sob gestão.

Fugindo, com toda a razão e direito, da cara, monopolista, ineficiente e inexpressiva bolsa tupiniquim, a empresa brasileira de meios de pagamentos Stone pediu registro para realizar sua oferta inicial de ações (IPO) na Nasdaq, bolsa de valores nos EUA que concentra empresas de tecnologia, ampliando a pressão sobre Cielo e Rede, as duas maiores empresas do setor de maquininhas de cartão.

-    A Zozo recuou -6,1% na bolsa de Tóquio, após o Goldman Sachs afirmar que as perspectivas para a varejista de roupas não são muito positivas, especialmente no exterior.
-    A GE subiu 1,9% na bolsa de NY, depois que seu presidente-executivo e CEO, John Flannery, foi substituído por Larry Culp no comando da empresa, por decisão unânime do conselho de administração da companhia.
-    A Qualicorp avançou 10,9% na bolsa tupiniquim, recuperando parte das perdas da véspera (-29,5%), ocorridas por conta da revelação de um contrato de não competição oferecido ao fundador e presidente da empresa, José Seripieri Filho.

Política:

Provavelmente trazendo mais um dia de alegria para o mercado financeiro e certamente causando uma noite de insônia para as feministas e petistas de sovaco cabeludo, na pesquisa de ontem à noite divulgada pela Datafolha, (1) Bolsonaro subiu de 28% para 32%, (2) Haddad caiu de 22% para 21%, (3) Ciro manteve os 11% da pesquisa anterior, (4) Alckmin caiu de 10% para 9%, (5) Mariana recuou de 5% para 4% e (6) Amoedo manteve os 3% do levantamento anterior.

Os números mais impressionantes da primeira “pesquisa ajuste” divulgada ontem pelo Datafolha são (1) Bolsonaro, apesar do # EleNão, subiu de 21% para 27% das intenções de voto entre as mulheres e (2) Haddad, que vai toda semana pegar instruções com Lula na cadeia, viu sua rejeição disparar de 32% para 41%.

Com 38% dos votos válidos segundo a pesquisa do Datafolha, que obviamente tem um viés de esquerda, pode-se dizer que hoje a chance de Bolsonaro ganhar no primeiro turno já se aproxima de 50%.

Além de provar que é possível eleger um candidato que tem a desaprovação da grande maioria do estabelechiment, o fato de Alckmin ter menos de 10% das intenções de voto, mesmo com quase metade do tempo da TV e no rádio, e Meirelles ter menos de 2% dos votos, mesmo gastando R$ 45 milhões na campanha, provam de maneira insofismável que o jogo eleitoral mudou.

Atirando para todo lado, e sempre atingindo o próprio peito, Alckmin, candidato tucano à presidente, decidiu agora usar as delações de Palocci, que acusa a cúpula petista de corrupção, para tentar tirar votos de Haddad.

Provando que a maioria do eleitorado tupiniquim não quer votar em poste de bandido, após saberem do apoio de Lula à candidatura de Haddad, 55% das pessoas dizem que não votariam “de jeito nenhum” nele.

Humilhando o PSDB, que no último 1/4 de século governou o Estado, na pesquisa Paraná divulgada esta manhã e feita apenas com eleitores de SP, o tucano Alckmin tem 12,6% dos votos, contra 35,7% de Bolsonaro e 14,1% de Haddad.

Apesar do DEM apoiar oficialmente a candidatura presidencial tucana, Rodrigo Maia, que é presidente do partido, também está escondendo Alckmin em seu material de campanha, já que os santinhos distribuídos pelo presidente da Câmara não incluem o nome do tucano.

Crítica:

A euforia do mercado financeiro com o crescimento das chances de vitória de Bolsonaro no primeiro turno corre pois Haddad, orientado por Lula e Dirceu, prega para sua seita petista um discurso de que se eleito ela que vai parar as concessões de óleo e gás para esperar a Petrobras se fortalecer, revogar a reforma trabalhista e taxar o spread bancário.

No segundo turno, se houver, o Brasil se dividirá como na brincadeira de “polícia X ladrão” e o RB, que até o final do primeiro tuno seguirá apoiando oficialmente Amoedo, certamente estará do lado da polícia.

PAZ, amor e bons negócios;

O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer crítica, dúvida ou sugestão, favor contatar: rb@relatoriobrasil.com

Conheça e indique nosso Blog: www.relatoriobrasil.com
Curta nossa página no Facebook: www.facebook.com/relatoriobrasil

Nenhum comentário:

Postar um comentário