R.B. 29/JUN/18 "Mentalidade socialista"



"Mentalidade socialista"

São Paulo, 29 de junho de 2018 (SEXTA-FEIRA).

Mercados e Economia:

Hoje (1) a BOVESPA deve seguir em alta, tentando, no último pregão de JUN/18, recuperar uma parte das perdas acumuladas no mês (-6,5%), acompanhando a trajetória ascendente das principais bolsas mundiais, beneficiada pela valorização das commodities e influenciada positivamente com a aproximação de Marina, candidata do Rede, com o “mercado” e (2) o DÓLAR pode cair, seguindo os mesmos motivos que devem melhorar o “humor” na bolsa tupiniquim e também influenciado pela redução das tensões globais.

Ontem, no BRASIL, (1) a BOVESPA subiu 1,6%, recuperando as perdas da abertura, beneficiada pela valorização das commodities, pelo movimento ascendente das bolsas de NY e pela consolidação de Marina Silva na segunda colocação e à frente de Ciro Gomes nas pesquisas de intenção de voto para presidente e (2) o DÓLAR caiu -0,4% à R$ 3,86, acompanhando a melhora do “humor” na bolsa tupiniquim e seguindo o movimento da moeda norte-americana no exterior, para reduzir parte da valorização acumulada no mês (3,4%) e no ano (16,6%).

Também ontem, nas principais bolsas (1) da ÁSIA, Japão 0,1%, com as exportadoras aliviadas pela ligeira valorização do dólar frente a moeda local (o iene) e China -0,9%, em seu quarto pregão negativo seguido e no menor nível em 28 meses, desta vez prejudicada pela divulgação de indicadores econômicos piores do que o esperado, (2) da EUROPA, Inglaterra -0,1%, França -1,0% e Alemanha -1,4%, pressionadas por perdas concentradas principalmente nos setores de mineração e automóveis em virtude da escalada das desavenças comerciais globais e (3) dos EUA, recuperando as perdas da abertura, S&P 0,6%, DJ 0,4% e NASDAQ 0,8%, com os investidores “animados” com o tom mais negociador emitido por Trump em relação às negociações comerciais envolvendo Washington e Pequim.

Contribuindo para melhorar o “humor do mercado” tupiniquim, Marina, que é cada dia mais cortejada por FHC e por membros do centrão, se isolou na segunda colocação da pesquisa de intenções de voto para presidente, com 13%, superando o maluco do Ciro Gomes, que é considerado o mais antirreformista e que agora está em terceiro lugar com 8%.

Se aproximando aos poucos, porém ainda bem distante, da realidade, o BC tupiniquim, alegando perda de ritmo da recuperação e estagnação da confiança de empresas e consumidores na economia, reduziu de 2,6% para 1,6% sua projeção para o crescimento do PIB tupiniquim este ano, algo que se chegar a 1,0% já deveria ser comemorado.

Alegando que sua equipe econômica não tem muitas certezas do que vem pela frente, Ilan Goldfajn, presidente do BC tupiniquim, afirmou que não irá sinalizar uma tendência para os juros na próxima reunião do Copom, que ocorrerá no final de JUL/18.

Indicando que o Copom, se quiser manter sua credibilidade e também a estabilidade econômica do país, terá que elevar a taxa básica de juros este ano, o IGP-M de JUN/18 registrou inflação de 1,87%, patamar acima do esperado pelo “mercado” (1,78%) e o maior valor desde OUT/15, acumulando com isto uma alta de 6,92% nos últimos 12 meses.

Apresentando receitas 9,8% maiores, por conta de fatores não recorrentes, e despesas -7,2% menores, por conta de cortes de subsídios, em MAI/18 as contas públicas tupiniquins registraram déficit de R$ -11,02bi, rombo -63,5% menor do que o registrado no mesmo mês do ano passado.

Ajudando a reduzir o rombo das contas públicas também a cumprir a chamada regra de ouro, ontem, (1) pela segunda vez no ano, o BNDES efetivou o pagamento de mais R$ 30bi ao Tesouro Nacional, elevando o saldo do ano para R$ 60bi e (2) Moreira Franco, ministro de Minas e Energia, afirmou que o projeto de lei que permite à Petrobras vender participação em reservas cedidas pelo governo em 2010 pode render à estatal R$ 108bi.

Após cerca de 12 horas, o leilão de linhas de transmissão de energia realizado ontem na bolsa tupiniquim terminou com o maior deságio registrado em 20 anos, com um desconto médio de -55% nos 20 lotes que foram leiloados.

Como, com a taxa básica de juros em 6,5% ao ano, os investidores são “obrigados” a buscar alternativas mais arrojadas de investimento, a alocação média de capital em renda fixa caiu de 51,3% em MAR/17 para 43,9% em MAR/18, segundo 36 gestoras ouvidas no país pela consultoria Mercer.

-    O Banco do Brasil subiu 5,8%, o Bradesco avançou 3,4% e o Itaú ganhou 2,8%, beneficiadas pela redução dos “temores” de que estes bancos estejam na primeira delação de Palocci.
-    A Eletrobras subiu 21,8%, recuperando parte da queda da véspera, após Moreira Franco, bandido e ministro de Minas e Energia, dizer que tem total confiança na realização do leilão das distribuidoras da estatal, marcado para 26/JUL/18.

Política:

Com as eleições presidenciais se aproximando, ontem o Ibope divulgou uma pesquisa que, no cenário sem o presidiário Lula, mostra que (1) Bolsonaro segue na liderança com 17% dos votos, (2) Marina é a que mais cresceu e está em segundo com 13%, (3) Ciro perdeu terreno e tem 8%, (4) Alckmin, cada dia mais sem apoio até entre os tucanos, definha com 6% e (5) Álvaro Dias, mesmo nanico, tem 3%.

Interessante ressaltar que na pesquisa espontânea, quando não são apresentados nomes aos eleitores, (1) Lula, bandido, presidiário e inelegível, segue liderando com 21%, (2) Bolsonaro, bastante conhecido nacionalmente, tem 11%, (3) Ciro e Marina estão empatados com 2% e (4) Alckmin, ao lado dos nanicos Amoedo e Álvaro Dias, tem 1% cada.

Confirmando que o governo Temer só se sustenta na base da propina e da troca de favores entre executivo, legislativo e até o judiciário, segundo a pesquisa divulgada ontem 90% da população desaprova a forma como o referido peemedebista governa o país e 92% não confia nele, o que representam os maiores patamares de rejeição da história da republica tupiniquim.

Obviamente com o objetivo de manter as “boquinhas” em empresas públicas e de dar ainda mais poder aos seus comparsas do Congresso Nacional, Rodrigo Maia, presidente da Câmara, saiu em defesa da decisão do ministro Lewandowski, do STF, que proibiu governo federal, estados e municípios de vender o controle acionário de estatais e de suas subsidiárias sem aval do Poder Legislativo e licitação prévia.

Covil de bandidos, oportunistas e vagabundos, ontem a Assembleia Legislativa do RJ, como que zombando do caos econômico, de segurança e social que passa o referido Estado, aprovou um projeto de lei que concede reajuste de 5% aos servidores da Justiça, do Ministério Público estadual e da Defensoria Pública.

Claramente trabalhando à favor dos vagabundos sindicalistas e também desrespeitando uma decisão já tomada pelo Congresso Nacional na reforma trabalhista, o Supremo Tribunal Federal deverá retomar hoje o julgamento de uma série de ações que questionam o fim da contribuição sindical obrigatória.

Seguindo sua “labuta de soltar vagabundos”, Marco Aurélio, ministro do STF e primo do Collor, concedeu habeas corpus ao ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha, preso em Curitiba, que mesmo assim seguirá enjaulado já que foi condenado em mais 2 processos.

Assustando com a perda do segundo lugar nas pesquisas de intenção de voto, Ciro, percebendo que precisa reforçar suas alianças, afirmou que (1) está disposto a pedir desculpas por ofensas que possa ter feito a partidários do DEM e (2) não haverá surpresas em seu governo se for eleito e pediu confiança a um grupo de investidores e analistas do mercado financeiro.

Com aproximação da Rede, partido da presidenciável Marina, e do Podemos, sigla do pré-candidato Álvaro Dias, o manifesto que pede união do centro foi lançado em SP com um apelo para evitar o que o ex-presidente e tucano FHC chamou de “catástrofe na eleição presidencial”.

Ressaltando que “nunca fugiu de uma luta”, Dilma, ex-presidente e ex-terrorista, confirmou ontem que disputará, e se depender dos eleitores mineiros “politizados” será eleita, uma vaga no senado federal pelo PT de MG.

Com poder para derrubar e até para prender o presidente Temer, algo que teria um enorme apoio da população, a cúpula do Judiciário, sem nenhum escrúpulo, começou a se mobilizar para tentar convencer o Planalto a, em meio a cortes de verbas até da saúde e da educação, conceder um aumento de 12% para o seu funcionalismo, o que teria um impacto de cerca de R$ 12bi nas já capengas contas do Tesouro.

Crítica:

Com uma “mentalidade socialista”, que despreza o uso dos serviços púbicos e que ao invés de pensar em valores absolutos usa dados percentuais para distorcer a realidade, o economista Bernard Appy, e ex-Secretário de Política Econômica no governo Lula, afirmou que rico paga menos imposto do que pobre no Brasil e que essa questão precisa ser observada numa reforma tributária, praticamente sugerindo a criação de um imposto sobre dividendos, algo que vai afugentar ainda mais investidores do país.

PAZ, amor e bons negócios;

O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer crítica, dúvida ou sugestão, favor contatar: rb@relatoriobrasil.com

Conheça e indique nosso Blog: www.relatoriobrasil.com
Curta nossa página no Facebook: www.facebook.com/relatoriobrasil

Um comentário:

  1. Sem polemizar o assunto, nem levar as considerações para o lado politico e pensamento do Bernardo Appy, se socialista, esquerdista, ou qualquer destes títulos e mesmo sem considerar para quem é onde ele trabalhou, devo concordar com ele, no Brasil o pobre paga muito mais impostos que os ricos. Pois se considerarmos que o pobre e o rico pagam impostos sobre os mesmos alimentos, remédio , e serviços que ambos consomem, talvez estamos em um país quase igualitário em termos de impostos, o que muda é o volume. Entretanto, se considerarmos que o tipo de renda de ambos existe uma desvantagem percentual na tributação da renda do pobre em relacao a renda do rico a saber:
    1) normalmente o pobre tem como renda o seu salário, tributado sem do nem piedade pelo IR, 27.5 %.
    2) O rico tem honorário ou salário também tributado pelo IR em percentual idêntico.
    3) Normalmente o rico tem recebimento de dividendos, que normalmente são a grande parte de sua renda, sobre o qual nada paga. O pobre é pobre não tem dividendo.
    4) O rico normalmente tem rendimentos altos de aluguéis, que devem ser tributados aos 27,5% no carne Leão, igualmente ao pobre se tiver um pequeno imóvel para renda, mas o rico pode criar uma empresa imobiliária, tributada pelo lucro presumido, que levará sua alíquota para cerca de 9% e depois ainda receber todos os aluguéis como dividendos sem imposto.
    5) os profissionais liberais, normalmente ricos recebem seus honorários através de empresas uniprofissionais, cujas as alíquotas não passam de 10%. O pobre vive de salários.
    Para não se prorrogar esta discussão interminável eu concluo que pobre no Brasil paga mais imposto que o rico.

    ResponderExcluir