R.B. 2/JUL/18 "Um duro golpe nos vagabundos comedores de mortadela"



"Um duro golpe nos vagabundos comedores de mortadela"

São Paulo, 2 de julho de 2018 (SEGUNDA-FEIRA).

Mercados e Economia:

Hoje (1) a BOVESPA deve cair, retornando à sua trajetória de baixa, acompanhando as perdas das demais bolsas mundiais, prejudicada pelo recuo das commodities e pressionada principalmente pela crescente piora dos cenários econômico e político no Brasil e (2) o DÓLAR pode subir, com “boas chances” de atingir R$ 4,00 até o final do mês, impulsionado pelos mesmos motivos que devem derrubar a bolsa tupiniquim e seguindo a trajetória internacional da moeda norte-americana.

Sexta-feira, no BRASIL, (1) a BOVESPA subiu 1,4%, recuperando mais uma parte das perdas acumuladas no primeiro semestre (-4,8%), acompanhando a trajetória ascendente das principais bolsas mundiais, beneficiada pela valorização das commodities e influenciada positivamente com a aproximação de Marina, candidata do Rede, com o “mercado” e (2) o DÓLAR subiu 0,5% à R$ 3,88, para acumular uma valorização de 17,0% nos 6 primeiros meses do ano, seguindo a trajetória internacional da moeda norte-americana e influenciado pela ausência do BC na ponta vendedora.

Também sexta-feira, nas principais bolsas (1) da ÁSIA, Japão 0,2% e China 2,2%, recuperando perdas recentes, após Pequim anunciar medidas para reduzir restrições a investimentos externos em alguns setores, como o bancário, (2) da EUROPA, Inglaterra 0,3%, França 0,9% e Alemanha 1,1%, com os investidores avaliando positivamente o acordo imigratório alcançado pelos líderes da União Europeia e as empresas do setor de energia impulsionadas pelo avanço nos preços do petróleo e (3) dos EUA, apesar de perderem forças ao longo do dia, S&P 0,1%, DJ 0,2% e NASDAQ 0,1%, impulsionadas por comentários do presidente Trump, que sinalizou que está disposto a negociar parcerias comerciais com a União Europeia e a China, além de ressaltar que apoia o livre-comércio, mas que deseja torná-lo mais justo.

Com os investidores globais fugindo cada dia mais rapidamente, e com mais razão, da crescente corrupção, burocracia e falta de qualificação tupiniquim, nos 6 primeiros meses do ano o real foi a terceira moeda que mais se desvalorizou no mundo frente ao dólar, com queda de -17,0%, perdendo apenas do peso argentino (-55,0%) e a lira turca (-21,0%).

Estufando o peito como um pombo idiota que cagou no tabuleiro de xadrez, derrubou as peças e saiu dizendo que tinha ganhado o jogo, na sexta-feira à tarde, após o dólar acumular uma alta de 17,0% no semestre, o BC tupiniquim “avisou” que (1) realizará a rolagem integral de contratos de swaps que vencem em 1/AGO/18, (2) oferecerá US$ 14bi em novas operações e (3) continuará intervindo no mercado nas próximas semanas sempre que necessário para conter a disparada da moeda norte-americana.

Ajudado pelo desempenho positivo dos estados, municípios e estatais, cenário que pode ser afetado à frente diante da atividade econômica mais fraca, o setor público consolidado brasileiro registrou déficit primário de “apenas” R$ -8,2bi em MAI/18, patamar abaixo do esperado pelo mercado (R$ R$ -11,6bi).

Criados e estimulados para consumirem mais do que o necessário e para viverem acima do seu padrão financeiro, apenas 11% dos brasileiros, segundo uma pesquisa do Banco Mundial, economizam dinheiro para a aposentadoria, o que coloca o Brasil na 101º pior posição deste ranking que tem 144 países.

Finalmente dando uma boa notícia para o Brasil, segundo um levantamento feito pela Confederação Nacional da Indústria, a guerra comercial entre EUA e China aumenta o potencial de exportação do Brasil para esses dois países em US$ 7,4bi ao ano.

Dando 2 novos sinais negativos da economia tupiniquim, (1) a taxa média de vacância de imóveis industriais no estado de SP subiu de 20,5% em ABR/18 para 21,5% em MAI/18 e o preço médio do aluguel recuou -0,5% na mesma base de comparação e (2) o índice de Intenção de Consumo das Famílias de SP caiu de 91,8pts em MAI/18 para 89,7pts em JUN/18.

Por conta da baixa rentabilidade da renda fixa, do aumento do desemprego, da queda da renda e da busca por aplicações mais agressivas, segundo dados do Tesouro Nacional, desde AGO/17 até JUN/18 os investidores têm mais resgatado do que aplicado em títulos na plataforma Tesouro Direto.

A BRF acumula queda de -50,8% no valor de suas ações este ano e na sexta-feira passada, 2 semanas depois de assumir a presidência executiva da empresa, Pedro Parente anunciou que, para reduzir a dívida e recuperar a gigante de alimentos, pretende levantar R$ 5bi até o fim do ano, vendendo fábricas na Argentina, Tailândia e Europa, participações minoritárias em outras companhias, ativos imobiliários e não operacionais, além de uma melhor gestão de estoques e reestruturação fabril.

Política:

Dando “um duro golpe nos vagabundos comedores de mortadela”, que terão que agora que trabalhar para sobreviver, na sexta-feira, por 6 votos a 3, o Supremo Tribunal Federal, metendo indevidamente o bedelho em uma decisão já tomada pelo legislativo, decidiu que o fim da obrigatoriedade da contribuição sindical é constitucional, e validou esse ponto da reforma trabalhista já aprovada pelo Congresso Nacional no ano passado.

Ontem, no mesmo dia em que Bolsonaro disse, com toda razão, que FHC negociou com o que “há de pior na política” para conseguir aprovar a emenda que permitiu a reeleição, Janaina Pascoal, admirada advogada responsável inicial pelo impeachment de Dilma, declarou que votará no referido candidato à presidente do PSL.

Cada dia mais longe do PT, o PSB, que se aproxima rapidamente da candidatura presidencial de Ciro Gomes e inclusive pode indicar seu vice, já avalia a possibilidade de se fundir com o PDT após as eleições presidenciais, formando assim um grande partido de esquerda.

A “bagatela” de R$ 250mil por mês do próprio bolso é o que Meirelles, cada dia mais maluco e alucinado, gasta todos os meses para, apesar de ter menos de 1% nas pesquisas de intenção de votos, manter sua candidatura presidencial sustentando um time que tem 2 marqueteiros, 1 analista de pesquisas, 2 assessores de imprensa, 1 coordenador de agenda, 1 elaborador de programa de governo e até uma fonoaudióloga, para melhorar sua criticada dicção.

Segundo uma pesquisa de intenções de voto para presidente feita apenas com eleitores de SP, que tem o maior colégio eleitoral do Brasil, (1) Bolsonaro lidera com 19%, (2) Alckmin, que não ganha nem em casa, tem 15%, (3) Marina Silva, que cresce, tem 13% e (4) Haddad, que é o petista na disputa, tem 3%.

O resultado da última pesquisa encomendada pelo DEM foi tão ruim para Alckmin que fez nomes do partido que torcem o nariz para uma aliança com Ciro Gomes, do PDT, ampliarem a pregação por um acordo em torno de Álvaro Dias, do Podemos.

“De olho” nos votos do PT, que podem garantir sua vitória, Marina Silva, candidata à presidente pelo REDE, intensificar suas viagens ao Nordeste e reforçar seu perfil de mulher que superou a pobreza para combater a percepção de que ela é frágil.

Como sabe que está com o “filme queimado” em MG e que se perder o fórum privilegiado vai rapidamente para a cadeia, Aécio Neves, que é senador, decidiu que vai concorrer a uma “modesta” vaga de deputado federal nestas eleições.

Complicando cada dia mais a candidatura de Alckmin, a Justiça Federal decretou a prisão preventiva de Laurence Casagrande Lourenço, ex-presidente da Dersa e ex-secretário estadual no governo do referido tucano, que é alvo da Operação Pedra no Caminho, que investiga fraudes e desvios nas obras do trecho norte do Rodoanel.

Para fazer um contraponto ao esquerdista Foro de SP, aliados de Bolsonaro organizaram um evento para expor projetos realizados pela direita em outros países que foi batizado de “Cúpula Conservadora das Américas” e que está prevista para ocorrer no dia 28/JUL/18 em Foz do Iguaçu.

Crítica:

Confirmando, pela enésima vez, a mentalidade intervencionista e socialista do Estado tupiniquim, segundo Alexandre Barreto, presidente do Cade, que é o órgão que fiscaliza a livre concorrência, o governo federal tem sim o direito de exigir uma periodicidade para o reajuste dos combustíveis pela Petrobras.

Mostrando que “a América Latina, com raras exceções, segue rumando para a latrina”, ontem o México elegeu como seu presidente o populista, messiânico e esquerdista López Obrador, que é comparado à Lula e a Hugo Chávez e que é visto com bastante ceticismo pelo mercado financeiro e pela comunidade empresarial mexicana, por suas críticas de longa data ao neoliberalismo e sua promessa de reverter as privatizações ocorridas no país.

PAZ, amor e bons negócios;

O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer crítica, dúvida ou sugestão, favor contatar: rb@relatoriobrasil.com

Conheça e indique nosso Blog: www.relatoriobrasil.com
Curta nossa página no Facebook: www.facebook.com/relatoriobrasil

Nenhum comentário:

Postar um comentário