R.B. 29/MAI/18 "O governo atingiu um nível extremo de enfraquecimento político"



"O governo atingiu um nível extremo de enfraquecimento político"

São Paulo, 29 de maio de 2018 (TERÇA-FEIRA).

Mercados e Economia:

Hoje (1) a BOVESPA deve cair, para fechar em território negativo pelo quinto pregão consecutivo, ainda em razão da crise gerada pela greve dos caminhoneiros, que entra no nono dia sem quase nenhuma perspectiva de solução, prejudicando a economia e a credibilidade tupiniquim e (2) o DÓLAR pode seguir em alta, para fechar em território positivo pelo quarto pregão consecutivo, acompanhando a trajetória internacional da moeda norte-americana e impulsionado pelos mesmos motivos que devem derrubar a bolsa tupiniquim.

Ontem, no BRASIL, (1) a BOVESPA caiu -4,5%, para fechar o dia registrando a maior baixa percentual desde 18/MAI/17 e no menor patamar desde 22/DEZ/17 (aos 75.356pts), acompanhando o recuo das commodities e cada dia mais prejudicada pela percepção de que o presidente Temer, nocauteado e sem moral, perdeu a capacidade de governar o país, causando reflexos negativos na inflação, nos juros e no PIB e (2) o DÓLAR subiu 2,0% à R$ 3,73, para fechar o dia acima dos R$ 3,70, acompanhando a derrocada da bolsa tupiniquim e influenciado pelo aumento das "apostas" de novos rebaixamentos da "nota" do país pelas agências internacionais de classificação de risco.

Também ontem, nas principais bolsas (1) da ÁSIA, Japão 0,1% e China 0,1%, aliviadas por novos sinais de que o encontro entre Trump e o ditador da Coréia do Norte, Kim Jong-um, por acontecer, (2) da EUROPA, com baixo volume de negócios por conta do feriado na Inglaterra, França -0,6% e Alemanha -0,6%, com as ações dos bancos, como Commerzbank (-2,3%) e Deutsche Bank (-0,9%), prejudicadas por problemas políticos na Itália e na Espanha e com as ações das empresas de energia, como Total (-0,6%), pressionada pelo recuo do petróleo e (3) dos EUA, S&P, DJ e NASDAQ ficaram fechadas por conta do feriado do Memorial Day.

Aproximando-se, aos poucos mas consistentemente, da previsão do R.B. (1,0%), o "mercado", já influenciado pela greve dos caminhoneiros, reduziu de pela quarta semana seguida, desta vez 2,50% para 2,30%, suas "apostas" para o crescimento da economia brasileira neste ano e elevou, agora de 3,50% para 3,60%, suas previsões para a inflação registrada pelo IPCA em 2018.

Se especializando em mentir, Ilan Goldfajn, presidente do BC tupiniquim, "garantiu" que (1) o impacto da paralisação dos caminhoneiros na inflação será temporário, (2) a autoridade monetária continuará atuando no mercado de câmbio, para reduzir volatilidade, por meio dos leilões de swaps cambiais tradicionais e (3) os últimos indicadores de atividade econômica mostram um  contexto de recuperação consistente.

Apresentando os primeiros estragos na economia tupiniquim causados pela greve dos caminhoneiros, no final de semana, segundo dados oficiais do Operador Nacional do Sistema Elétrico, o consumo de eletricidade no país ficou -6,7% abaixo do previsto inicialmente.

Alguns "números tristes" causados pela greve dos caminhoneiros, (1) a produção da indústria do RJ recuou -44%, (2) a confederação de lojistas estima perdas de R$ -27bi, (3) a aviação tem prejuízo diário de R$ -50mi, (4) as vendas no varejo caíram cerca de -30%, (5) todas as 150 usinas de açúcar e álcool de SP param a produção e (6) mais de 50 mil frangos já morram por falta de ração apenas na Bahia.

Principal mentiroso e comparsa do governo Temer, Eliseu Padilha, ministro da Casa Civil, "garantiu" que o governo não estuda alterar política de preço da Petrobras e nem cogita a possibilidade de demitir Pedro Parente da presidência da empresa.

Como já era de se esperar, 8 entidades do agronegócio, principal motor da economia tupiniquim, se posicionaram contra a tabela de preço mínimo para o frete rodoviário, estabelecida pelo governo Temer em medida provisória para tentar acabar com a greve dos caminhoneiros.

Já que "o cobertor é curto", Eduardo Guardia, ministro da Fazenda, "avisou" que o governo terá que aumentar impostos para compensar redução de tributos sobre diesel, ressaltando também que poderá recorrer à eliminação de benefícios fiscais em vigor.

Além de pagar a conta dos subsídios que o governo Temer deu aos caminhoneiros, o consumidor tupiniquim também pagará a conta da desestruturação atual da produção de alimentos, cuja recuperação poderá durar vários meses, causando redução de oferta e, consequentemente, preço maior dos produtos.

Fugindo, com toda a razão, cada vez mais rápido de um país cada dia mais socialista, intervencionista e desgovernado, até quinta-feira da semana passada o saldo líquido dos investimentos na bolsa tupiniquim estava negativo em US$ -5,5bi no mês de maio e em US$ -1,1bi no ano.

-    A Petrobras despencou -14,6%, ampliando a queda no mês para -26,3%, diante do aumento dos "rumores" de que Pedro Parente cogita trocar a presidência da empresa pelo comando da BRF.

Política:

Como pimenta no olho dos outros é colírio, FHC, que não fez nada para privatizar a Petrobrás e teve um governo corrupto e lotado de vagabundos, o ex-presidente FHC afirmou que "falta rumo ao Brasil" e que a paralisação dos caminhoneiros não é uma questão só da categoria.

Aumentando consideravelmente a chance do PSDB trocar seu candidato ao Palácio do Planalto, segundo uma pesquisa de intenção de votos para presidente feita apenas em SP, Bolsonaro lidera com 19%, Alckmin tem 13%, Marina Silva 9% e Ciro Gomes 3%.

Frustrando seus eleitores, que são sedentos por sangue, Bolsonaro, além de dizer que os caminhoneiros grevistas já estão "forçando a barra" e deveriam voltar ao trabalho, ressaltou também que não acha prudente a queda do governo Temer faltando poucos meses para a eleição.

Enquanto 99% dos seguidores do "mito" defendem a criminosa, oportunista e chantagista greve dos caminhoneiros, Bolsonaro, candidato à presidente pelo PSL, é autor de projeto de Lei que pune com até 4 anos de cadeia aqueles que impedirem ou dificultarem o trânsito de veículos e pedestres nas vias públicas.

Totalmente fora da realidade, o PT, que vai afundar junto com Lula, vai pedir à Justiça uma autorização para que o referido ex-presidente e atual presidiário possa gravar vídeos com mensagens políticas enquanto estiver preso.

Responsável por um dos votos contra a aprovação da reforma trabalhista, o novo ministro da Secretaria-Geral da Presidência, Ronaldo Fonseca, disse ao tomar posse ontem que o governo do presidente Temer será conhecido por ser o mais reformista "desde o advento da nova República".

Como "filha de bandidão bandidinha é", Danielle Ditz da Cunha, que é filha do presidiário e peemedebista Eduardo Cunha, é candidatíssima a deputada federal pelo PMDB do RJ e, apostando na idiotice do eleitor carioca, vai usar o número o usado pelo seu pai nas últimas eleições (1530).

A greve dos caminhoneiros, que conseguiu atingir todos os objetivos da categoria, não terminou ainda pois agora eles pedem abertamente pela queda do governo Temer e também por intervenção militar.

Ainda de forma discreta, cada dia mais aliados de Temer no Congresso Nacional e ministros do Supremo Tribunal Federal afirmam que "o governo atingiu um nível extremo de enfraquecimento político", não descartando, em caso de piora na situação, o risco de a gestão não conseguir se sustentar nos 7 meses que lhe restam.

Crítica:

Como o corrupto, nefasto e populista governo do presidente Temer não vai cortar impostos, esta greve dos caminhoneiros, que vai prejudicar ainda mais a economia e a credibilidade tupiniquim, "só é boa para" (1) caminhoneiros e donos de empresas de transporte, (2) apoiadores do Lula e (3) apoiadores do Bolsonaro.

PAZ, amor e bons negócios;

O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer crítica, dúvida ou sugestão, favor contatar: rb@relatoriobrasil.com

Conheça e indique nosso Blog: www.relatoriobrasil.com
Curta nossa página no Facebook: www.facebook.com/relatoriobrasil

Nenhum comentário:

Postar um comentário