R.B. 25/MAI/18 "Viciado em Estado e acha que o governo deve resolver todos os seus problemas"



"Viciado em Estado e acha que o governo deve resolver todos os seus problemas"

São Paulo, 25 de maio de 2018 (SEXTA-FEIRA).

Mercados e Economia:

Hoje (1) a BOVESPA deve seguir em queda, rumo aos 70.000pts, já que, mesmo após o governo Temer ceder em quase tudo e colocar na conta da população as reivindicações dos caminhoneiros, a greve ainda não acabou, a Petrobrás perdeu credibilidade e a “paciência” dos investidores internacionais com o país está se esgotando e (2) o DÓLAR pode seguir em alta, rumo os R$ 3,70, acompanhando a trajetória internacional da moeda norte-americana e impulsionado pela forte redução do fluxo de recursos externos.

Ontem, no BRASIL, (1) a BOVESPA caiu -0,9%, com bom volume de negócios (R$ 16,2bi) e pressionada principalmente pela forte queda das ações da Petrobrás (-13,7%), diante da decisão equivocada, populista e covarde do governo Temer de reduzir e congelar o preço do diesel para tentar acabar com a greve dos caminhoneiros e (2) o DÓLAR subiu 0,4% à R$ 3,64, impulsionado pelo mesmo motivo que derrubou a bolsa tupiniquim e consequentemente afugentou ainda mais os investidores externos.

Também ontem, nas principais bolsas (1) da ÁSIA, Japão -1,1% e China -0,4%, diante dos “temores” com declarações do governo norte-americano de iniciar uma investigação sobre importações de carros que podem levar à imposição de novas tarifas, (2) da EUROPA, Inglaterra -0,9%, França -0,3% e Alemanha -0,9%, com destaques de queda para as ações das montadoras, como Peugeot (-1,1%), Renault (-1,7%), Daimler (-2,8%) e BMW (-1,7%) e (3) dos EUA, S&P -0,2%, DJ -0,3% e NASDAQ -0,1%, prejudicadas pelo aumento da tensão geopolítica, diante da decisão de Trump de cancelar a reunião com o ditador da Coreia do Norte, Kim Jong-um.

Se unindo para tentar fazer frente às ambições de Trump, ontem, em reunião com Angela Merkel, Li Keqiang, primeiro-ministro chinês, afirmou que a China acolhe empresas alemãs e protegerá seus investimentos e a chanceler alemã ressaltou que os 2 países, que aliás sãos os que tem o maior superávit comercial com os EUA, advogam pelo livre comércio global.

Confirmando a crescente falta de confiança no Brasil, em ABR/18 o volume de investimento estrangeiro direto destinado ao país somou US$ 2,6bi, o que representa uma queda de -50% na comparação com o registrado em ABR/17.

Apesar dos sérios indícios de locaute, que é quando a greve é incentivada pelos próprios empresários, o governo Temer cedeu mais uma vez à pressão dos caminhoneiros e decidiu fechar um acordo que custará aos cofres da União, ou seja será pago pelos impostos dos trabalhadores, cerca de R$ 5bi para garantir que os reajustes de preços do diesel sejam mensais e não diários até o final deste ano.

Como o Estado não gera riqueza, ao reduzir impostos e bancar o desconto que a Petrobras foi obrigada a dar nos combustíveis, o Brasil terá (1) aumento da dívida pública e do gasto com juros, (2) corte de gastos em saúde, segurança e educação e (3) aumento de impostos.

Segundo um estudo divulgado pelos renomados economistas Antonio Quintella e Nilson Teixeira, um amplo programa de desestatização no Brasil alavancaria a produtividade e a competitividade no país, contribuindo para uma alocação mais eficiente dos recursos públicos no médio prazo em temas mais relevantes para população, como a melhoria da educação, saúde e segurança pública.

-    A BRF subiu 6,4%, diante das especulações de que Pedro Parente, que preside o Conselho de Administração da companhia de alimentos, manterá sua coerência e currículo e pedirá demissão da Petrobrás.

Política:

Encurralado e sem nenhuma garantia de que a greve será encerrada, o governo Temer agora vai centrar forças em alardear os termos do acordo para tentar desmobilizar o maior número possível de manifestantes.

Colocando a culpa da paralisação do transporte rodoviário do país na política de preços de combustíveis da Petrobras, ontem parlamentares da oposição e da base aliada pediram, de forma contundente, a demissão de Pedro Parente, presidente da referida Estatal tupiniquim.

Com Renan Calheiro como principal cabo eleitoral, o nome de Nelson Jobim, que também é amigão de Lula, passou a circular como possível pré-candidato a presidente pelo PMDB, já que ele seria uma opção para derrotar Meirelles, que é o candidato de Temer.

Aumentando as chances do presidiário Lula, o ministro Napoleão Maia Filho, do Tribunal Superior Eleitoral, reviu seu voto e decidiu admitir a discussão sobre a possibilidade de um réu condenado ser candidato a presidente da República.

Governado por bandidos e totalmente quebrado, o Estado do RJ, agindo de forma populista e jogando a conta para o contribuinte pagar, anunciou que vai reduzir a alíquota do ICMS que incide sobre o óleo diesel de 16% para 12% para agradar os caminhoneiros.

Mostrando que a atual presidenta do PT está cada dia mais perto da cadeia, Celso de Mello, ministro do STF, “avisou” que vai liberar nos próximos dias o julgamento de Gleisi Hoffmann, ressaltando que está praticamente concluindo a revisão do seu voto.

Apesar de ter perdido o mandato em um processo de impeachment, a petista Dilma recebe um salário mensal de R$ 17.000,00 bancado por uma entidade petista que é sustentada com dinheiro público oriundo do fundo partidário.

Cada dia mais lunáticos ontem os petistas Gleisi Hoffmann, Lindbergh Farias e Paulo Pimenta soltaram uma nota dizendo que a TV Globo usa o motim dos caminhoneiros para armar um golpe militar no Brasil.

Em mais um sinal das dificuldades internas pelas quais passa o PSDB, o diretório paulista do partido discutiu obrigar seus filiados a declararem apoio formal a Doria para governador e a Alckmin para presidente, sob pena de expulsão por infidelidade.

Solto por uma decisão monocrática de Gilmar Mendes, o trambiqueiro Eike Batista, segundo investigações da Lava Jato, teve encontros privados com o megadoleiro Dario Messer, chefe de uma rede de doleiros que teria movimentado US$ 1,6bi em dinheiro de corrupção.

Crítica:

A greve dos caminhoneiros, que prova pela enésima vez que o brasileiro é “viciado em Estado e acha que o governo deve resolver todos os seus problemas”, teve como vencedores os caminhoneiros e os donos das transportadoras, que terão aumento da margem de lucro, e como perdedores a Petrobrás, que teve sua imagem mais uma vez arruinada, e principalmente a população brasileira, que vai pagar a conta via aumento de impostos e redução dos serviços prestados.

PAZ, amor e bons negócios;

O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer crítica, dúvida ou sugestão, favor contatar: rb@relatoriobrasil.com

Conheça e indique nosso Blog: www.relatoriobrasil.com
Curta nossa página no Facebook: www.facebook.com/relatoriobrasil

Nenhum comentário:

Postar um comentário