R.B. 16/MAI/18 "Cada dia mais sem apoio"



"Cada dia mais sem apoio"

São Paulo, 16 de maio de 2018 (QUARTA-FEIRA).

Mercados e Economia:

Hoje (1) a BOVESPA pode seguir em queda, com cada dia mais chances de retornar aos 70.000pts até o final do ano, desta vez prejudicada pelo recuo das commodities, pela instabilidade das principais bolsas mundiais e pelos  sinais cada vez piores da economia tupiniquim e (2) o DÓLAR deve voltar a subir, mesmo após fechar o pregão anterior no maior patamar desde 7/ABR/16, acompanhando a provável piora do “humor” na bolsa brasileira e impulsionado pela esperada redução da taxa básica de juros do país, cuja divulgação ocorrerá para após o fechamento do pregão.

Ontem, no BRASIL, (1) a BOVESPA caiu -0,1%, acompanhando o recuo das bolsas de NY, diante da divulgação de dados piores do que o esperado da economia chinesa, e também influenciada negativamente pela fraqueza crescente da candidatura de Alckmin, porem com as perdas novamente amenizadas pelo bom desempenho das ações da Petrobrás (2,1%) e (2) o DÓLAR subiu 1,0% à R$ 3,66, impulsionado, mesmo com os leilões de venda do BC, pelos mesmos motivos que derrubaram a bolsa brasileira e também pelo aumento das “apostas”  de intensificação do ritmo de alta dos juros nos EUA.

Também ontem, nas principais bolsas (1) da ÁSIA, sem uma tendência única, Japão -0,2%, com destaques de queda para as ações dos bancos e China 0,6%, mesmo diante da divulgação de dados econômicos piores do que o esperado, (2) da EUROPA, Inglaterra 0,2%, França 0,2% e Alemanha 0,1%, sustentadas pela divulgação de bons resultados corporativos e com o enfraquecimento do euro e da libra frente ao dólar impulsionando as exportadoras e (3) dos EUA, realizando lucros após o DJ registrar uma sequência de 8 altas seguidas, S&P -0,7%, DJ -0,8% e NASDAQ -0,8%, prejudicadas pela divulgação de dados que dão condições para que o FED (“BC” local) acelere as altas de juros nos do país.

Elevando as “apostas” de que, por conta do bom desempenho de sua economia, o ritmo de alta dos juros dos EUA pode ser mais intenso do que o esperado, John Williams, presidente da distrital de San Francisco do FED (“BC” norte-americano), ressaltou que 3 a 4 aumentos de juros neste ano "é a direção certa para a política monetária".

Mostrando que está finalmente aprendendo que a capital do Brasil não é Buenos Aires, ontem a agencia de classificação de risco Moody's afirmou que é improvável que a turbulência nos mercados financeiros da Argentina se espalhe para o restante da América Latina.

Hoje, após o fechamento do pregão, termina a reunião do Copom e atualmente mais de 90% do “mercado aposta” em um corte de -0,25% da taxa básica de juros, dos atuais 6,50% para 6,25%, o que se ocorrer será a 13ª redução consecutiva de ciclo iniciado em OUT/16.

Ao reduzir a taxa básica de juros para 6,25%, o que representa o menor patamar da história, a autoridade monetária tupiniquim levará em conta os dados mais recentes de inflação e atividade econômica, que nos 2 casos estão bem mais fracos do que o esperado.

Dando mais um péssimo sinal da economia tupiniquim, no primeiro trimestre deste ano o setor de serviços, que é o que mais emprega no país, encolheu -0,9% na comparação com o quarto trimestre de 2017 e recuou -0,8% na comparação com o mesmo período do ano passado.

Como se todas as mentiras que Temer conta fossem verdades e como se todos os crimes do referido presidente picareta fossem mentira, Eduardo Guardia, ministro tupiniquim da Fazenda, teve a “cara de pau” de dizer ontem que a alta do dólar, que já sobe 10,3% no ano, ocorre apenas por fatores externos.

Impulsionada pela forte valorização do dólar, desde JAN/18 a dívida externa dos estados brasileiro cresceu R$ 15,1bi, já que saiu de R$ 97bi e atingiu R$ 112,1bi, segundo estimativas feitas com base em dados do BC.

Antro de corrupção, como cerca de 90% das estatais tupiniquins, ontem a Eletrobrás, que é uma estatal monopolista, anunciou que registrou um lucro líquido de apenas R$ 56mi no primeiro trimestre deste ano, patamar -96% inferior aos R$ 1,4bi obtidos no mesmo período do ano passado.

-    A Vodafone recuou -4,3% na bolsa de Londres, após a notícia de que o executivo-chefe da companhia, Vittorio Colao, deixará o posto em OUT/18.
-    A Airbus caiu -0,9% na bolsa de Paris, após a Organização Mundial de Comércio dizer que a União Europeia havia fracassado em retirar todos os subsídios dados à empresa, o que poderia levar os EUA a retaliar exportações da União Europeia.

Política:

“Cada dia mais sem apoio”, tanto no partido como com os eleitores, Alckmin, que também tem problemas cada vez maiores com a justiça, agora enfrenta previsões pessimistas de analistas tucanos que alertam tem, no ritmo negativo que está sua campanha, suas intenções de voto em JUL/18 podem cair para 3,0%.

Comemorando seu oportunismo, Mario França, governador de SP e candidato à reeleição pelo PSB, comemorou uma pesquisa indicando que 90% da população de SP apoiou a homenagem que ele fez à PM que matou um ladrão na porta de uma escola.

Meirelles, que sempre é bom lembrar foi ministro de Lula, empregado de Joesley e ministro de Temer, afirmou duas vezes ontem, nos 2 “eventos VIP” que foi divulgar sua candidatura presidencial, que Bolsonaro gera insegurança no “mercado”.

Com ausências de lideranças do Congresso e de representantes de partidos aliados, o presidente Temer, cada dia com menos amigos e mais perto da cadeia, promoveu ontem um evento em comemoração aos seus dois anos à frente do Palácio do Planalto.

A Polícia Federal pediu a prorrogação por mais 60 dias do inquérito que investiga o pagamento de uma propina de R$ 10mi ao MDB pela Odebrecht e que envolvem o presidente Temer, que se tudo seguir como esperado vai para a cadeia logo que sair da presidência do Brasil.

Ontem, enquanto Temer comemorava seus 2 anos como presidente no Palácio do Planalto, o seu colega peemedebista Fábio Ramalho, que é vice-presidente da Câmara, discursava na tribuna da Casa fazendo duras críticas ao Presidente da República e seus ministros, classificando seu governo como tirano e corrupto.

Crítica:

Julgando, como de costume, à favor de bandidos, ontem Gilmar Mendes, ministro do Supremo Tribunal Federal, concedeu uma liminar em habeas corpus para soltar Milton Lyra, lobista que estava preso desde ABR/18, que é apontado como operador do PMDB na Lava Jato e que estava prestes a fazer um acordo de delação premiada.

PAZ, amor e bons negócios;

O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer crítica, dúvida ou sugestão, favor contatar: rb@relatoriobrasil.com

Conheça e indique nosso Blog: www.relatoriobrasil.com
Curta nossa página no Facebook: www.facebook.com/relatoriobrasil

Nenhum comentário:

Postar um comentário