R.B. 14/FEV/18 "Acreditando que só se faz democracia com o dinheiro dos outros"



R.B.
"Acreditando que só se faz democracia com o dinheiro dos outros"

Heavenly, 14 de fevereiro de 2018 (QUARTA-FEIRA).

Mercados e Economia:

Hoje (1) a BOVESPA deve voltar a cair, reduzindo mais uma parte dos ganhos ainda acumulados no ano (5,9%), prejudicada pelo recuo das commodities, pela piora do cenário político tupiniquim e pela divulgação de notícias negativas para empresas brasileiras e (2) o DÓLAR pode subir, para recuperar o patamar dos R$ 3,30, seguindo os mesmos motivos que devem derrubar a bolsa brasileira e impulsionado pela redução do fluxo positivo de recursos externos.

Sexta-feira, no BRASIL, (1) a BOVESPA caiu -0,8%, após um pregão com boa volatilidade, já que na máxima avançou -0,5% e na mínima recuou -2,3%, no qual fechou o dia com os investidores colocando as “barbas de molho” durante o feriado de Carnaval tupiniquim, acompanhando o recuo das commodities e piora do “humor” nas bolsas de NY e (2) o DÓLAR subiu 0,5% à R$ 3,29, para fechar o dia no maior patamar desde 28/DEZ/17, mesmo com o anúncio de um novo leilão de venda do BC, seguindo a trajetória internacional da moeda norte-americana e influenciado pelos mesmos motivos que derrubaram a bolsa tupiniquim.

Ontem, nas principais bolsas (1) da ÁSIA, Japão -0,6%, com as exportadoras prejudicadas pela valorização da moeda local (o iene) frente ao dólar e os investidores também aguardando a divulgação do PIB do país e China 1,0%, seguindo o movimento de recuperação iniciado no dia anterior nas bolsas de NY, (2) da EUROPA, devolvendo os ganhos do pregão anterior, Inglaterra -0,1%, França -0,6% e Alemanha -0,7%, desta vez prejudicadas pelo recuo do petróleo e (3) dos EUA, recuperando perdas recentes pelo terceiro pregão seguido, S&P 0,3%, DJ 0,2% e NASDAQ 0,4%, desta vez impulsionadas pelas ações dos bancos, como Wells Fargo (2,7%) e Goldman Sachs (0,9%).

Ontem, durante sua cerimônia de posse, Jerome Powell, novo presidente do FED (“BC” dos EUA), afirmou que continuará observando os riscos sobre a estabilidade financeira e preservará melhorias "essenciais" na regulação financeira desde a crise de 2007-2009.

Se esbaldando cada dia mais no monopolista e lucrativo mercado bancário tupiniquim, no ano passado os bancos de varejo do país (Itaú, Bradesco, Caixa, Banco do Brasil e Santander) fecharam um recorde de 1,5 mil

Mostrando alguma recuperação após 3 anos consecutivos de queda, em 2017 as vendas do comércio varejista brasileiro cresceram 2,0% na comparação com 2018, patamar bem abaixo do esperado pelo “mercado” (4,7%).

Apresentando mais um sinal “tímido” de recuperação, no ano passado, depois de 2 anos de forte queda, a arrecadação de tributos nos Estados avançou 0,43% na comparação com o auferido no ano de 2016.

Em busca principalmente de menos impostos, mas também menos burocracia e um estado menos socialista, no ano passado 18 grandes empresas brasileiras (como Riachuelo e Estrela) tiveram seu projeto aprovado pelo governo paraguaio no "programa de maquila", que oferece isenção tributária para fomentar mão de obra local, desde que a produção seja exportada.

O barril do petróleo Brent, referência internacional, que já tinha recuado -9,0% na semana passada, recuou ainda mais esta semana, atingindo o menor patamar do ano, por conta no anúncio de aumento da produção norte-americana do referido “ouro-negro”.

Defendendo, de forma legítima, os interesses dos seu País, Trump, presidente dos EUA, “avisou” que considera uma série de opções envolvendo as importações de alumínio e aço, incluindo a imposição de tarifas ou de cotas, o que se implementado afetará diretamente o Brasil.

Política:

Com a canalhice peculiar a 99,9% dos políticos profissionais do Brasil, Rodrigo Maia, presidente da Câmara, admitiu que a aprovação da reforma da Previdência é difícil e ressaltou que só é possível reunir os votos necessários para passá-la caso haja engajamento de prefeitos e governadores.

Enquanto na Califórnia empresários faturam bilhões e o governo arrecada milhões com a legalização da maconha, no Brasil, trabalhando ao serviço dos grandes chefões do tráfico, que vivem nos gabinetes de Brasília, o retrogrado, incompetente e acéfalo Osmar Terra, que é ministro do Desenvolvimento Social, afirmou que, além de ser contra a legalização das drogas, defende “o endurecimento das penas”.

“Acreditando que só se faz democracia com o dinheiro dos outros”, o PSB, foi ao Supremo para tentar reverter decisão do TSE que permitiu aos candidatos financiarem suas campanhas com dinheiro do próprio bolso.

Tentando fingir que no Brasil a lei é igual para todos, Luís Roberto Barroso, ministro do STF, intimou Fernando Segovia, diretor-geral da Polícia Federal, a confirmar as declarações dadas por ele em entrevista de que não existem provas de crime e que a tendência é arquivar a investigação sobre o presidente Temer, ressaltando que sua fala pode, em tese, "caracterizar infração administrativa e até mesmo penal".

Incomodados com as declarações do diretor-geral da Polícia Federal, Fernando Segovia, sobre o inquérito que investiga decreto de Temer, integrantes da corporação querem reavivar no Congresso a discussão de um projeto que dá autonomia funcional, administrativa e orçamentária à PF.

Ministros do TSE que acompanham a atuação e conhecem o estilo do corregedor eleitoral, ministro Napoleão Nunes Maia, dizem que ele é um “garantista” e preveem que não deixará prosperar a ação movida contra a Rede Globo e o apresentador Luciano Huck.

Embora até integrantes do governo expressem pessimismo sobre as chances de aprovação da reforma da Previdência, o engajamento dos empresários é considerado uma cartada importante em ano eleitoral.

Ao retomar a discussão sobre a criação de um Ministério da Segurança Pública, o governo se prepara para mudar de assunto no Congresso quando a reforma da Previdência naufragar.

Movimentos em busca de renovação política que pipocaram nos últimos meses preparam o lançamento de ao menos 500 candidatos para as eleições de OUT/18, por diferentes partidos.

Crítica:

Dando um “recado” que poderia ser endereçado para as empresas e para o governo brasileiro, o fundo soberano da Noruega, o maior do mundo com mais de US$ 1 trilhão em ativos, pediu ontem para as cerca de 9.150 empresas nas quais investe para lutarem contra a corrupção.

PAZ, amor e bons negócios;
Alfredo Sequeira Filho

O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer crítica, dúvida ou sugestão, favor contatar: alfredo@relatoriobrasil.com

Conheça e indique nosso Blog: www.relatoriobrasil.com
Curta nossa página no Facebook: www.facebook.com/relatoriobrasil


Nenhum comentário:

Postar um comentário