R.B. 3/JAN/18 "Deixando bem claro quem manda no Brasil"



"Deixando bem claro quem manda no Brasil"

São Paulo, 3 de janeiro de 2018 (QUARTA-FEIRA).

Mercados e Economia:

Hoje (1) a BOVESPA deve seguir em alta, para fechar em território positivo pelo oitavo pregão consecutivo, beneficiada pela valorização das commodities e pelo bom desempenho das principais bolsas mundiais, porem deve-se ressaltar que o patamar atual é muito interessante para vendas, diante das expectativas de piora do cenário político tupiniquim e (2) o DÓLAR pode voltar a cair, testando o “suporte” dos R$ 3,25, influenciado pela esperada manutenção do “humor positivo” na bolsa brasileira e pelo fluxo positivo de recursos externos.

Ontem, no BRASIL, (1) a BOVESPA subiu 1,9%, para fechar o primeiro pregão do ano no maior patamar da história (aos 77.891pts), “aliviada” pelo não rebaixamento da “nota” do Brasil pela S&P e impulsionada pelos sinais de que a taxa básica de juros da economia tupiniquim seguirá em queda próxima reunião do Copom e (2) o DÓLAR caiu -1,7% à R$ 3,26, acompanhando a forte melhora do “humor” na bolsa brasileira, seguindo a trajetória internacional da moeda norte-americana e também influenciado pelos dados robustos da balança comercial do Brasil em 2017.

Também ontem, nas principais bolsas (1) da ÁSIA, Japão não teve pregão por conta de feriado nacional e China 1,3%, beneficiada pela divulgação de dados animadores da economia chinesa, como o índice dos gerentes de compras do país, que subiu de 50,8pts em NOV/17 para 51,5pts em DEZ/17, (2) da EUROPA, realizando lucros recentes, Inglaterra -0,5%, França -0,4% e Alemanha -0,4%, com a alta do euro e da libra frente ao dólar prejudicando as ações de exportadoras, que também foram pressionadas pelo aumento da tensão geopolítica e (3) dos EUA, com S&P e NASDAQ batendo novos recordes de alta já no primeiro pregão do ano, S&P 0,8%, DJ 0,4% e NASDAQ 1,5%, desta vez com destaques de alta para as ações das companhias ligadas ao setor de tecnologia, como Apple (1,8%), Amazon (1,7%), Google (1,9%), Facebook (2,8%) e Netflix (4,8%).

Citando o aumento do protecionismo comercial em razão da pressão populista e o declínio da influência dos EUA no mundo, a consultoria norte-americana Eurasia alertou ontem que existe risco de que se repita mundialmente neste ano uma crise político-econômica semelhante à de 2008.

Após ressaltar que o alto volume de reservas em dólar, a inflação baixa e a redução de contratos de swaps cambiais são algumas ferramentas que permitem ao BC lidar com "qualquer cenário" de volatilidade nos mercados durante o período eleitoral deste ano, Ilan Goldfajn, presidente do BC brasileiro, afirmou que existe a possibilidade de corte adicional da taxa básica de juros desde que a inflação continue baixa e que os riscos continuem como estão atualmente.

Acreditando, sabe-se lá a que preço, no “fio do bigode de Meirelles”, a agência de classificação de risco S&P, apesar da remota chance de aprovação da reforma da Previdência, terminou 2017 sem rebaixar sua “nota” para o Brasil e, como sinalizou anteriormente que não costuma fazer revisões de “nota” em anos eleitorais, chegou-se à conclusão de que dificilmente o Brasil sofrerá rebaixamento neste ano por parte dessa agência.

Ontem, após transferir cerca de R$ 1,5bi da educação básica para o fundo eleitoral e para os partidos, o presidente Temer sancionou o Orçamento para 2018, mantendo a previsão de um vergonhoso déficit do governo de R$ -157bi.

Piorando ainda mais o cenário das contas públicas tupiniquins, Carlos Thadeu de Freitas, diretor do BNDES, alertou que, se tiver que repassar recursos ao PIS/Pasep e ao FAT, o referido banco de fomento não terá como devolver ao governo federal os R$ 130bi aguardados em 2018.

Apesar da euforia inicial apresentada pela bolsa tupiniquim no primeiro dia útil do ano, segundo os prestigiados economistas do Credit Suisse Hedging-Griffo, que estão entre os que mais acertaram as projeções econômicas no Boletim Focus, a taxa de desemprego do Brasil deve permanecer em 12% ao longo deste ano de 2018, patamar muito distante do piso, que foi de 6,2% no último trimestre de 2013, quando então o desemprego começou a aumentar.

Dando 2 sinais positivos da economia brasileira, nos 11 primeiros meses de 2017 (1) o faturamento das redes de farmácia do país cresceu 8,8% na comparação com o mesmo período de 2016 e (2) a produção de cigarros no Brasil cresceu 5,4% na comparação com os 11 primeiros meses de 2016.

Com exportações, focadas principalmente no agronegócio, 18,5% maiores e importações 10,5% superiores, ambas na comparação com 2016, em 2017 a balança comercial brasileira, registrando o melhor resultado anual da história, acumulou um saldo comercial positivo de US$ 67bi.

-    A Walt Disney subiu 4,0% na bolsa de NY, após a Macquarie elevar sua recomendação de compra para a empresa, ressaltando positivamente os números das bilheterias de cinema referentes a 2017.

Política:

“Deixando bem claro quem manda no Brasil”, ontem, por ordem expressa do velho coronel Sarney, o presidente Temer foi “obrigado” a desistir de nomear o deputado Federal Pedro Fernandes, do PTB do Maranhão, como seu novo ministro do Trabalho, e já pediu para Roberto Jefferson, dono do partido, escolher outro nome para o cargo.

Ajudando a animar os investidores com o Brasil, é cada vez maior a expectativa de que o Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4) confirme a condenação de 9 anos e 6 meses de prisão do ex-presidente Lula, cujo recurso será julgado pelo Tribunal no dia 24/JAN/18.

Disposto a fazer até pacto com o capeta para ser presidente do Brasil, Alckmin, após flertar com Luciano Huck para ser seu vice, agora se aproxima do DEM para tentar ter ACM Neto ou até Rodrigo Maia como seu companheiro de chapa na corrida presidencial deste ano.

Apesar de elogiar a capacidade técnica de Alckmin, FHC, provando mais uma vez que é especialista em “fogo amigo”, afirmou que o PSDB não pode descartar a possibilidade de apoiar um nome de fora do partido, como Rodrigo Maia ou Henrique Meirelles, na corrida presidencial deste ano.

Disposto a mostrar à militância tucana de que ele é melhor do que Alckmin, o prefeito de Manaus Arthur Virgílio Neto, que tem vários amigos no RJ, onde estudou durante anos, deixará a capital amazonense por uns dias e, em campanha, percorrerá municípios cariocas, onde lançará o chamado “Movimento Popular Arthur Virgílio Presidente”.

Provando que sua candidatura à presidente do Brasil pelo PSOL existirá apenas para ser mais uma linha auxiliar do PT, o terrorista e bandido Guilherme Boulos, líder do MST, afirmou que a condenação de Lula seria uma aberração jurídica, além de “um profundo ataque à democracia”.

Com 2 vagas em disputa neste ano, a população de Alagoas terá como principais candidatos ao senado os picaretas e coronéis Renan Calheiros, Benedito de Lira e Teotônio Vilela.

Crítica:

Metendo o “bedelho” no legislativo, que é incompetente, corrupto e não faz sua parte, ontem Carmen Lucia, presidente do Supremo Tribunal Federal, decidiu suspender, de forma liminar, parte de um convênio que altera as regras do recolhimento do ICMS no regime de substituição tributária e que, segundo uma reclamação feita pela confederação da indústria, criava dupla tributação e só poderia ser feita via lei complementar.

PAZ, amor e bons negócios;
Alfredo Sequeira Filho

O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer crítica, dúvida ou sugestão, favor contatar: alfredo@relatoriobrasil.com

Conheça e indique nosso Blog: www.relatoriobrasil.com
Curta nossa página no Facebook: www.facebook.com/relatoriobrasil

Nenhum comentário:

Postar um comentário