R.B. 26/JAN/18 "Um importante alerta enquanto os investidores tupiniquins sambam na beira do abismo"



"Um importante alerta enquanto os investidores tupiniquins sambam na beira do abismo"

São Paulo, 26 de janeiro de 2018 (SEXTA-FEIRA).

Mercados e Economia:

Hoje (1) a BOVESPA deve voltar a subir, seguindo a valorização das commodities e o desempenho ascendente das principais bolsas mundiais e principalmente com os investidores ainda “eufóricos” com a possibilidade de prisão de Lula e de sua não participação na disputa presidencial deste ano e (2) o DÓLAR pode cair, novamente influenciado pelos mesmos motivos que devem animar a bolsa tupiniquim e também acompanhando a trajetória internacional da moeda norte-americana.

Quarta-feira, no BRASIL, (1) a BOVESPA disparou 3,7%, para fechar o dia no maior patamar da história (aos 83.680ptspts), com ótimo volume de negócios (R$ 15,7bi) e com os investidores “eufóricos” com a confirmação da condenação de Lula, por 3 votos a 0, em segunda instância e (2) o DÓLAR despencou -1,9% à R$ 3,17, no menor patamar em quase 3 meses, influenciado pelo mesmo motivo que animou a bolsa tupiniquim e também seguindo a trajetória internacional da moeda norte-americana.

Ontem, nas principais bolsas (1) da ÁSIA, realizando lucros recentes, Japão -1,1%, desta vez com as exportadoras prejudicadas pela valorização da moeda local (o iene) frente ao dólar e China -0,3%, com destaques de queda para as ações de financeiras e do setor imobiliário, (2) da EUROPA, Inglaterra -0,4%, França -0,2% e Alemanha -0,9%, com os investidores avaliando negativamente a decisão de política monetária do BC Europeu e a coletiva de imprensa do presidente da instituição, Mario Draghi, que indicaram que a economia da região ainda precisa de estímulos e (3) dos EUA, novamente nos maiores patamares da história, S&P 0,1%, DJ 0,5% e NASDAQ 0,1%, beneficiadas pela divulgação de bons resultados corporativos, como do da 3M (1,9%).

Crítico feroz e gabaritado do governo Trump, que segundo ele é “um perigo para o mundo”, o megainvestidor George Soros “alertou”, durante sua participação no Fórum Econômico Mundial, que empresas como Facebook e Google se tornaram "obstáculos para a inovação".

Desgastado após ter se envolvido em discussões sobre mudanças metodológicas no estudo "Doing Business" que teriam levado a resultados supostamente enganosos, Paul Romer, economista-chefe do Banco Mundial, anunciou ontem que está deixando a instituição depois de apenas 15 meses no cargo.

Fazendo “um importante alerta enquanto os investidores tupiniquins sambam na beira do abismo”, o FMI, ao divulgar ontem um novo relatório sobre a expectativa de crescimento do Brasil, ressaltou que (1) considera que o processo eleitoral do país deve pesar no desempenho da economia em 2018, (2) a provável candidatura do ex-presidente Lula, mesmo após sua condenação em segunda instância, será "um fator adicional" de incertezas, tensões e conflitos e (3) os investimentos no Brasil devem ser postergados ou reduzidos na expectativa do resultado do pleito presidencial e da reforma da Previdência.

Falando para investidores globais em Davos, na Suíça, onde participa do Fórum Econômico Mundial, Meirelles, ministro tupiniquim da Fazenda, “avisou” que o governo não considera, neste momento, subir impostos para cumprir em 2018 a meta de um déficit de até R$ -159bi, ressaltado que acredita na aprovação da reforma da Previdência e a arrecadação de impostos pelo governo pode "surpreender", caso o crescimento econômico do país seja mais acelerado.

Assim como um “vendedor de ilusões”, Temer, presidente tupiniquim, afirmou, para uma plateia bastante esvaziada em Davos, que "o Brasil está de volta" com (1) melhora do investimento direto, (2) reforma Trabalhista aprovada, (3) queda do risco-país, (4) aumento do superávit comercial e (5) controle da inflação.

Contrariando o discurso de Temer, que “garantiu” que o Brasil está aberto ao comércio global, Roberto Azevêdo, diretor-geral da Organização Mundial do Comércio, afirmou que essa abertura é apenas incipiente que e as eleições presidenciais tupiniquins deste ano colocam uma incógnita sobre ela.

Com bastante “transito” no governo Temer, a economista Maria Silvia Bastos Marques, ex-presidente do BNDES, assumirá a presidência no Brasil do banco de investimentos norte-americano Goldman Sachs, sucedendo o economista Paulo Leme, que anunciou sua aposentadoria em DEZ/17.

Com potencial para ajudar bastante pequenos e médios empresários brasileiros, já está no ar uma nova versão do WhatsApp que se destina a micro e pequenas empresas e que, entre outras funções, permite colher estatísticas para entender se as estratégias de comunicação da empresa estão funcionando.

Política:

Canalha, oportunista e com enormes problemas na justiça para resolver após perder o fórum privilegiado, o presidente Temer teve a “cara de pau” de dizer que a bolsa tupiniquim disparou 3,7% na quarta-feira passada por conta do seu discurso em Davos, na Suíça.

Com chances cada dia menores de aprovação da matéria, o deputado Arthur Maia, redator da reforma da Previdência na Câmara, admitiu que já negocia mais um "pacote de mudanças" em troca do apoio de parlamentares ao texto.

Evitando a fuga do bandido condenado, que já se preparava para embarcar para Etiópia, pais alias sem acordo de extradição para o Brasil, ontem o juiz Ricardo Leite, da Justiça Federal no DF, determinou a apreensão do passaporte de Lula e a proibição dele de deixar o país.

Infelizmente, a situação de Lula atualmente é parecida com a de Maluf que, em 2014, mesmo já condenado em segunda instancia e com a lei do Ficha Limpa já em vigor, conseguiu se candidatar e tomar posse como deputado Federal com base em liminares do TSE, que aliás nestas eleições presidenciais será presidido por Dias Toffoli, ministro do supremo e ex-advogado do PT.

Citando não apenas o caso da apreensão do passaporte de Lula, mas também o impasse sobre a posse de Cristiane Brasil no Ministério do Trabalho, dirigentes dos velhos e corruptos partidos começam a disseminar a tese de que o ativismo judicial tornará o Brasil ingovernável.

A possibilidade de o ex-presidente Lula conseguir um habeas corpus para evitar o início do cumprimento da pena são maiores no STF (Supremo Tribunal Federal) do que no STJ (Superior Tribunal de Justiça), dizem ministros das cortes superiores ouvidos em caráter reservado.

Conforme já era de se esperar, ontem a direção nacional do PT se reuniu para reafirmar a candidatura de Lula a presidente da República, um dia depois da derrota do petista por unanimidade no TRF-4.

Crítica:

Com o país já “colhendo os frutos” da reforma Trabalhista aprovada recentemente, em 2017 os empregadores pagaram R$ 1,6bi a ex-funcionários com quem fizeram acordos para encerrar litígios na Justiça do Trabalho de SP, valor 81% maior que a de 2016.

Certamente com uma enorme ajuda de compradores do Legislativo, Judiciário e Executivo tupiniquins, ontem o grupo francês de marcas de luxo LVMH, dono da Louis Vuitton, anunciou que em 2017 ultrapassou a marca histórica dos 42bi de euros de faturamento e a de 5bi de euros de lucro.

PAZ, amor e bons negócios;
Alfredo Sequeira Filho

O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer crítica, dúvida ou sugestão, favor contatar: alfredo@relatoriobrasil.com

Conheça e indique nosso Blog: www.relatoriobrasil.com
Curta nossa página no Facebook: www.facebook.com/relatoriobrasil

Nenhum comentário:

Postar um comentário