R.B. 23/JAN/18 "Politicamente, seria bom"



"Politicamente, seria bom"

São Paulo, 23 de janeiro de 2018 (TERÇA-FEIRA).

Mercados e Economia:

Hoje (1) a BOVESPA deve subir, com o “mercado apostando” que a provável condenação de Lula em segunda instancia vai resolver todos os problemas tupiniquins, porem deve-se ressaltar que o patamar é excelente para vendas já que (a) o referido ex-presidente fará o que pode, e o que não pode, para ser candidato à presidente, criando uma enorme insegurança jurídica no país, (b) as chances de aprovação da reforma da Previdência são remotas e (c) as agências de classificação Fitch Ratings e Moody's devem em breve seguir a S&P e também rebaixarem sua “nota” para o Brasil  (2) o DÓLAR pode cair, seguindo o esperado “humor positivo” da bolsa brasileira e a trajetória internacional da moeda norte-americana.

Ontem, no BRASIL, (1) a BOVESPA subiu 0,6%, revertendo as perdas da abertura, na qual chegou a recuar -0,5%, para fechar na máxima do dia e no maior patamar da história (aos 81.675pts), acompanhando a melhora do “humor” nas bolsas de NY, diante da melhora das perspectivas do FMI para a economia mundial, porem com baixo volume de negócios (R$ 7,7bi) por conta da cautela antes do julgamento de Lula em primeira instancia e (2) o DÓLAR subiu 0,3% à R$ 3,21, recuperando uma pequena parte das perdas registradas no ano (.3,3%), por conta de um fluxo comprador por parte de importadores.

Também ontem, nas principais bolsas (1) da ÁSIA, Japão 0,1%, beneficiadas pela decisão do BC local de manter inalterada sua política monetária e China 0,5%, ultrapassando a barreira dos 3.500 pontos pela primeira vez em mais de 2 anos, (2) da EUROPA, Inglaterra 0,1%, França 0,3% e Alemanha 0,2%, com os investidores deixando de lado a paralisação do governo dos EUA e focando no noticiário corporativo favorável, como o anúncio de que a francesa Orange e a alemã Deutsche Telekom iniciaram no final do ano negociações para uma eventual fusão e (3) dos EUA, novamente nos maiores patamares da história, S&P 0,8%, DJ 0,6% e NASDAQ 1,0%, com os investidores acompanhando com otimismo as negociações entre republicanos e democratas para um acordo em torno do financiamento ao governo federal do país.

Enquanto cerca de 90% da imprensa tupiniquim, com viés 99% socialista, continua criticando Trump, ontem o FMI divulgou um relatório elevando em 0,20% suas projeções para o crescimento médio da economia mundial e ressaltando que fez isto sobretudo por conta da reforma tributária nos EUA.

Inovando, a anos luz de sua correlata tupiniquim, a Deutsche Börse, que é a operadora da Bolsa de Frankfurt, lançou um índice que segue empresas líderes em inteligência artificial, a partir de um algoritmo que afirma ser capaz de identificar as companhias que adotam essa tecnologia.

Mesmo após o rebaixamento da “nota” do Brasil pela S&P, o “mercado” manteve (1) em 2,70% suas “apostas” para o crescimento da economia tupiniquim em 2018, (2) em 3,95% suas previsões para a inflação brasileira neste ano, patamar abaixo do centro da meta do BC (4,5%) e (3) em 6,75% suas projeções para a taxa básica de juros no final do ano.

Criando uma espécie de Frankinstem tupiniquim, o BNDES, sem se preocupar com o aumento de sua dívida, pediu autorização do BC para emitir LCIs e assim usar o dinheiro captado para devolver R$ 150bi para a União.

Confirmando mais uma vez a “vocação monopolista tupiniquim”, a joint venture de lubrificantes formada por Chevron e Ipiranga, que começou a operar no país em DEZ/17, já nasce concentrando 24% das vendas de lubrificantes no país.

Ainda acreditando na aprovação da reforma da Previdência, algo que nem o presidente Temer mais “aposta”, o FMI elevou, de 1,5% para 1,9%, suas previsões para o crescimento da economia brasileira neste ano de 2018.

Apresentando uma conta cada dia mais salgada para a sociedade brasileira, no ano passado a Previdência Social registrou um déficit recorde de R$ -268,8bi, o que representou um crescimento de 18,5% na comparação com o resultado auferido em 2016 (R$ -226,8bi).

Elevando cada dia mais o superávit da balança comercial brasileira, (1) as vendas externas de soja, o carro-chefe da balança comercial tupiniquim, já atingem o recorde de 1,04 milhão de toneladas nos 14 primeiros dias úteis de JAN/18 e, no ritmo atual, devem somar 1,64 milhão de toneladas no período e (2) os embarques de etanol devem somar pelo menos 150 milhões de litros neste mês, 50% mais do que em igual período do ano passado.

Conforme já deveria ser esperado, a fabricante sueca Saab pode rever seu contrato para fornecer caças Gripen à Força Aérea Brasileira se considerar que a eventual associação entre a americana Boeing e a brasileira Embraer coloca em risco segredos tecnológicos de seu produto.

-    A Chevron subiu 1,0% e a ExxonMobil avançou 1,3%, ambas na bolsa de NY, diante das expectativas positivas com seus balanços do quarto trimestre e beneficiadas pela alta do petróleo.

Política:

Aprimorando a cada dia sua enorme capacidade de falar besteira, a senadora petista Gleisi Hoffmann, que na semana passada “avisou” que “para prender Lula, vai ter que matar muita gente”, afirmou ontem que “o caminho para barrar o golpe e o estado de exceção é a greve geral”.

Em Davos, para se apresentar ao mundo ao lado de Temer, Doria, prefeito de SP, fará um discurso no Fórum Econômico Mundial no qual atacará problemas nacionais e elogiará Meirelles, a quem obviamente está ofuscando, e Pedro Parente, presidente da Petrobras que tirou a empresa da “UTI!”.

Depois da decisão de Cármen Lúcia de suspender a posse de Cristiane Brasil no Ministério do Trabalho, as relações entre ela e Temer, que já eram ruins, ficaram péssimas, porem com o ministro Dias Toffoli, próximo presidente do STF e ex-advogado do PT, a sintonia com o presidente do Brasil é cada dia maior.

Repetindo, de maneira populista e inoportuna, o coro de Ciro Gomes, FHC, Gleisi Hoffmann, Lindberg Farias e Manuela d'Ávila, ontem Meirelles, ministro tupiniquim da Fazenda, afirmou, diretamente de Londres, que "politicamente, seria bom" que o ex-presidente Lula, que aliás assim como o dono da JBS também já foi seu chefe, participasse da disputa presidencial deste ano.

Aliados do presidente Temer vitimizaram Cristiane Brasil e chegaram a dizer que, ao vetar o ingresso dela no ministério, o Supremo está, na prática, cassando seus direitos políticos, porem a bancada do PTB na Câmara está menos solidária e já começou a pressionar o presidente do partido, Roberto Jefferson, a indicar um nome técnico para o posto.

Com o objetivo de comprar adesão à reforma da Previdência, o Planalto, com o aval do presidente da Câmara Rodrigo Maia, vai iniciar um pente-fino nas emendas de parlamentares que ainda estão sob análise para identificar casos em que será possível antecipar o pagamento de verbas.

Crítica:

“Se nutrindo do que restou da mortadela petista”, ontem a Federação Nacional dos Jornalistas, que é entidade máxima do jornalismo tupiniquim, divulgou uma nota “em defesa da democracia e do Estado Democrático de Direito” que é, na verdade, um vergonhoso panfleto pró-Lula, que inclusive é comparado a Nelson Mandela.

PAZ, amor e bons negócios;
Alfredo Sequeira Filho

O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer crítica, dúvida ou sugestão, favor contatar: alfredo@relatoriobrasil.com

Conheça e indique nosso Blog: www.relatoriobrasil.com
Curta nossa página no Facebook: www.facebook.com/relatoriobrasil

Nenhum comentário:

Postar um comentário