R.B. 6/DEZ/17 "Mamãe metralha"



"Mamãe metralha"

São Paulo, 6 de dezembro de 2017 (QUARTA-FEIRA).

Mercados e Economia:

Hoje (1) a BOVESPA deve seguir em queda, acompanhando as perdas das demais bolsas mundiais, diante do aumento da tensão geopolítica, prejudicada pelo recuo das commodities e ainda pressionada pela crescente redução das “apostas” de aprovação da reforma da Previdência, e (2) o DÓLAR pode subir, com “boas chances” de fechar o ano próximo dos R$ 3,30, impulsionado pela esperada priora do “humor” na bolsa tupiniquim, acompanhando a trajetória internacional da moeda norte-americana e influenciado pela esperada redução da taxa básica de juros brasileira, que diminui os juros reais do país.

Ontem, no BRASIL, (1) a BOVESPA caiu -0,7%, devolvendo os ganhos registrados na abertura e no pregão anterior, influenciada pelo recuo das bolsas de NY, pela baixa das commodities e pela redução das “apostas” de aprovação da reforma da Previdência e (2) o DÓLAR caiu -0,3% à R$ 3,24, reduzindo as perdas da abertura, diante da piora do “humor” na bolsa tupiniquim, porem com a baixa sustentada por um leilão de venda do BC.

Também ontem, nas principais bolsas (1) da ÁSIA, Japão -0,4% e China -0,2%, acompanhando as perdas do setor de tecnologia ocorridas no dia anterior em Wall Street, (2) da EUROPA, Inglaterra -0,2%, França -0,3% e Alemanha -0,1%, prejudicadas pela divulgação de indicadores econômicos ruins, como o recuo de -1,1% das vendas no varejo da zona do euro, e pelas incertezas em torno do Brexit e (3) dos EUA, realizando lucros recentes, S&P -0,4%, DJ -0,4% e NASDAQ -0,2%, com destaques de queda para as ações de bancos, como Goldman Sachs (-0,9%), J.P.Morgan (-1,2%) e o Citigroup (-0,7%).

Hoje termina a última reunião do ano do Copom e, com a autoridade tranquila em relação à inflação e necessitando estimular a economia, mais de 90% do “mercado aposta” que a taxa básica de juros será reduzida dos atuais 7,5% para 7,0%, o que representará o menor patamar da história.

Ressaltando que atualmente as contas públicas são o único risco em alta do país, ontem a agencia de classificação de risco Standard & Poor's, que ao que tudo indica está “100% alinhada” com Meirelles, afirmou que considera que a situação fiscal brasileira em 2018 não será distinta da de anos passados.

Dando mais um “tímido sinal positivo” da economia brasileira, OUT/17 a produção industrial teve alta de 0,2% na comparação com SET/17 e de 5,3% na comparação com OUT/16, impulsionada principalmente pelos setores farmacêutico, de bebidas, vestuário, metalurgia e máquinas e equipamentos.

Esperando um excelente crescimento de até 11% para o setor este ano, a Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil divulgou ontem que “aposta” que em 2018 o PIB da agropecuária tupiniquim avançará “apenas” 5%.

Segundo os autores do livro “A Família Investidora e o Family Office”, para perpetuar um patrimônio familiar, quebrando o ciclo vicioso da sabedoria popular que diz “pai rico, filho nobre, neto pobre”, é necessário (1) controlar custos, (2) diversificar o portfólio, principalmente em dólar, (3) planejar e estabelecer bem as regras e controles das retiradas para despesas programadas e (4) ter visão de longo prazo.

Alongando e barateando sua dívida, ontem a Petrobras anunciou a assinatura de contrato de financiamento com o Banco de Desenvolvimento da China, no valor de US$ 5bi, que será pago com o fornecimento de 100 mil barris de petróleo por dia, durante o prazo de 10 anos.

-  A Snap saltou 10,1% na bolsa de NY, depois que analistas do Barclays elevaram a recomendação de compra para a ação e demonstraram otimismo quanto à decisão da Snap de redesenhar o Snapchat e classificar o conteúdo de alguma forma algorítmica em vez de em ordem cronológica.
-   A Walt Disney recuou -2,7% na bolsa de NY, já que os investidores não viram com bons olhos a iniciativa da companhia de poder comprar a divisão de filmes e TV da Fox.

Política:

“Amigo da onça” do governo Temer, de quem certamente estará do lado oposto nas eleições presidenciais de 2018, o PSDB, com sua indecisão costumas, ainda não decidiu se fecha ou não questão em torno da aprovação da reforma da Previdência.

Já tratado como o "dia D" da reforma, hoje Temer reunirá líderes dos principais partidos aliados para ter um raio-X mais realista sobre as intenções de voto dos deputados, porem até agora nem o PMDB, partido do presidente, fechou questão sobre o assunto, estabelecendo, para quem não seguir a decisão, punições que podem incluir até a expulsão.

Apesar de cobrar publicamente e veementemente fidelidade aos demais partidos da base aliada, que segundo ele deveriam votar de forma unanime a favor da reforma da Previdência, Meirelles, ministro da Fazenda, não conseguiu nem que seu partido, o PSD, feche questão sobre o tema.

“Raposa velha” da política, correligionário de Rodrigo Maia, que é presidente da Câmara, e presidente do DEM, o senador Agripino Maia “alertou” para que não se “bote tanta fé” na possibilidade de aprovação da reforma da Previdência, ressaltando que “tem muita espuma aí”.

Apesar de ser do PMDB, partido do presidente Temer, Eunício Oliveira, presidente do Senado, negou que tenha se comprometido a pautar e concluir a votação da reforma da Previdência no Senado até FEV/18.

“Ajudando a atrapalhar” a aprovação da reforma da Previdência, que todos sabem é um tema “sensível” ao eleitorado, ontem foi divulgada uma pesquisa revelando que a rejeição ao trabalho do Congresso Nacional atingiu o seu maior número na história recente, já que atualmente 60% dos brasileiros consideram ruim ou péssimo o desempenho dos atuais 513 deputados federais e 81 senadores e apenas 5% aprovam.

Segundo o advogado Luiz Fernando Casagrande Pereira, que é o autor do parecer que definiu a estratégia de Lula para concorrer ao Planalto mesmo condenado em segunda instância, a tentativa de acelerar o julgamento do petista no TRF-4 “muda pouca coisa no cenário geral”.

O rápido e forte aumento da rejeição dos paulistanos ao trabalho de Doria na prefeitura assustou pessoas próximas ao tucano, porem o referido prefeito já anunciou que fará uma a operação de resgate de imagem para não perder cacife como pré-candidato ao governo do Estado em 2018.

Com a comprovação do envolvimento de Marluce Vieira Lima, agora também conhecida como “mamãe metralha”, o Planalto viu no texto da denúncia contra seus filhos Lúcio e Geddel Vieira Lima iscas para atrair os 2 a uma delação, algo que atingirá em cheio a cúpula do PMDB e o presidente Temer.

Eficiente em ágil em livrar picaretas, ontem o Tribunal Superior Eleitoral, mostrando que a lei é apenas aos otários, absolveu Lula e Bolsonaro da acusação de fazerem campanha presidencial antecipada.

Crítica:

Ajudando na tomada de decisões, reduzindo custos operacionais e aumentando a produtividade, a internet das Coisas, termo usado para definir a comunicação via internet entre objetos e equipamentos, já é usada por 29% das empresas pelo mundo.

Amigão de Lula e até bem pouco tempo atrás dizendo pelo mundo que a queda da presidenta Dilma foi um golpe, ontem Evo Morales, ditador da Bolívia, foi recebido no Brasil com honras de Estado pelo presente Temer.

Visivelmente bastante incomodado, Temer nem se dignou a levantar para aplaudir o juiz Sergio Moro, que ontem recebeu o prêmio de “homem do ano” e em seu discurso de agradecimento defendeu a Lava jato.

Cumprindo mais uma de suas promessas de campanha, Trump, presidente dos EUA, anunciará hoje a mudança da embaixada americana em Israel de Tel Aviv para Jerusalém, o que certamente trará obstáculos para a as negociações de paz entre palestinos e israelenses.

PAZ, amor e bons negócios;
Alfredo Sequeira Filho

O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer crítica, dúvida ou sugestão, favor contatar: alfredo@relatoriobrasil.com

Conheça e indique nosso Blog: www.relatoriobrasil.com
Curta nossa página no Facebook: www.facebook.com/relatoriobrasil

Nenhum comentário:

Postar um comentário