R.B. 18/DEZ/17 "A onda direitista global finalmente chegando na América Latina"



"A onda direitista global finalmente chegando na América Latina"

São Paulo, 18 de dezembro de 2017 (SEGUNDA-FEIRA).

Mercados e Economia:

Hoje (1) a BOVESPA deve cair, realizando lucros acumulados no ano (20,5%) e na contramão do movimento ascendente das principais bolsas mundiais, diante do aumento das “apostas” de rebaixamento da “nota” do Brasil por conta da não aprovação da reforma da Previdência e (2) o DÓLAR pode subir, com “boas chances” de zerar a baixa ainda registrada no ano (-2,8%), influenciado pelo mesmo motivo que deve derrubar a bolsa tupiniquim e reduzir o fluxo positivo de recursos externos.

Sexta-feira, no BRASIL, (1) a BOVESPA subiu 0,2%, com baixa volatilidade e poucas referências para operar, já que a reforma da Previdência foi oficialmente adiada e os investidores tentaram recuperar perdas recentes diante da influência positiva das bolsas de NY e da valorização das commodities e (2) o DÓLAR caiu -0,9% à R$ 3,31, acompanhando a melhora do “humor” na bolsa tupiniquim e influenciado pela “conversa fiada” do presidente Temer e do ministro Meirelles de que a reforma da Previdência será aprovada no primeiro trimestre de 2018.

Também sexta-feira, nas principais bolsas (1) da ÁSIA, Japão -0,6% e China -0,8%, seguindo as perdas das bolsas de NY no dia anterior e com destaques de queda para as ações do setor de telecomunicações, após anúncio de que o segmento de telefonia móvel japonês poderá ganhar mais um concorrente, (2) da EUROPA, Inglaterra 0,6%, França 0,1% e Alemanha 0,3%, influenciadas positivamente ela resolução temporária do impasse envolvendo o Brexit e pela valorização das mineradoras, como Glencore (1,9%), Antofagasta (1,7%) e BHP (2,3%) e (3) dos EUA, com os 3 índices batendo novamente recordes históricos de alta, S&P 0,9%, DJ 0,6% e NASDAQ 1,3%, impulsionadas pelas perspectivas positivas em torno da reforma tributária de Trump.

Acreditando “no poder do fio do bigode que ele não tem”, Meirelles, ministro brasileiro da fazenda, afirmou que vai pedir às agências de classificação de risco para reavaliarem a nota de crédito do Brasil somente depois da votação da Previdência.

Com a quase certeza de que a reforma da Previdência não será aprovada em 2018, os olhos dos analistas das agências de classificação de risco se voltaram aos perdões de dívidas e isenções aprovados pelo Congresso nas últimas semanas, o que certamente ajudará a acelerar o corte da “nota” do Brasil.

Coberto de razão, o empresário Walter Schalka, que é presidente da Suzano, afirmou que o atual baixo nível de investimentos das empresas brasileiras está relacionado não só à atividade econômica ainda lenta, mas também ao receio com o resultado das eleições do ano que vem.

Com muitos interessados (mais de 14 proponentes por lote) e em uma disputa acirrada (já que o deságio médio foi de 40,5%), o leilão de linhas de transmissão, que ocorreu na sexta-feira na bolsa brasileira, foi considerado um sucesso e trará investimentos de R$ 8,7bi ao país nos 11 lotes arrematados.

Dando sinais divergentes da economia tupiniquim, (1) o mercado de suplementos nutricionais, que já movimenta R$ 1,9bi por ano no país, vai fechar 2017 com crescimento de 11% na comparação com 2016 e (2) em OUT/17 o setor de serviços, que é o que mais emprega no país, encolheu -0,8% na comparação com SET/17 e -0,3% na comparação com OUT/16.

Confirmando a falta de capacidade de marketing e de estratégia da cara, ineficiente e monopolista bolsa tupiniquim, que tem quase 130 anos de história e que até hoje só conseguiu ter 613 mil CPFs cadastrados, o bitcoin, que foi lançado oficialmente apenas em 2009, se valorizou 1,800% este ano e recentemente foi chamado de bolha por Ilan Goldfajn, o presidente do BC brasileiro, já faz parte do portfólio de investimento de mais de 1 milhão de brasileiros.

-    A BR Distribuidora subiu 6,7% no seu dia de estreia na bolsa brasileira, se tornando assim o segundo melhor dos 9 IPOs que a Bovespa teve no ano.

Política:

Apesar de não dizer qual será o castigo, Alckmin, governador tucano de SP e recém-eleito presidente nacional do PSDB, “avisou” que haverá punição para deputados do seu partido que votarem contra a reforma da Previdência.

“Matando o discurso governista”, que já era falho, de eliminação de privilégios, a enésima proposta de reforma da Previdência, que o governo agora “garante” que será aprovada no primeiro trimestre de 2018, vai beneficiar 52% dos servidores federais.

Certamente com a certeza de que é “a bolacha mais gostosa do pacote”, Joaquim Barboza, ex-ministro do STF, que largou a toga por medo de ser morto pelo PT, que é chato para caramba e que não se elegeria nem para sindico do prédio que mora, adiou para FEV/18 o prazo para responder ao PSB se topa ser candidato a presidente pelo partido.

Líder da gang do governo no Senado e presidente nacional da organização criminosa travestida de partido e conhecida como PMDB, Romero Jucá, mostrando que perdeu completamente a noção de realidade, afirmou que o candidato governista à Presidência em 2018 precisa demonstrar "capacidade de ganhar a eleição".

Obviamente pensando no próprio nome, o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, do DEM, defendeu a construção de um projeto eleitoral para 2018 envolvendo um candidato à presidente que tenha uma agenda de reformas.

Mostrando sua disposição de naufragar abraçado com Lula, o PT, organização criminosa e cada dia mais terrorista, aprovou uma resolução na qual ressalta que (1) está “absolutamente convencido" de que Lula é o "plano A do povo brasileiro" e (2) vai lançar a candidatura de Lula e seguir com ela até o final, independentemente do resultado de 24/JAN/18, dia do julgamento do recurso apresentado no caso do tríplex do Guarujá.

Crítica:

Com “a onda direitista global finalmente chegando na América Latina”, o Chile, país culturalmente e economicamente mais desenvolvido da região, elegeu ontem Sebastián Piñera ser seu novo presidente e, como da primeira vez, em 2010, ele receberá o bastão das mãos de Michelle Bachelet, atual mandatária, que é de esquerda.

Provando, pela enésima vez, que para quem tem muito dinheiro e pouco caráter o crime compensa bastante no Brasil, amanhã, após apenas 914 dias atrás das grades, Marcelo Odebrecht vai sair da prisão, trocando sua atual cela de 12 metros quadrados pelo conforto de uma mansão de 3.000 metros quadrados no bairro paulista do Morumbi, onde cumprirá mais 2,5 anos de prisão domiciliar.

PAZ, amor e bons negócios;
Alfredo Sequeira Filho

O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer crítica, dúvida ou sugestão, favor contatar: alfredo@relatoriobrasil.com

Conheça e indique nosso Blog: www.relatoriobrasil.com
Curta nossa página no Facebook: www.facebook.com/relatoriobrasil

Nenhum comentário:

Postar um comentário