R.B. 15/DEZ/17 "Um futuro sombrio para o Brasil"



"Um futuro sombrio para o Brasil"

São Paulo, 15 de dezembro de 2017 (SEXTA-FEIRA).

Mercados e Economia:

Hoje (1) a BOVESPA deve seguir em queda, rumo aos 70.000pts, acompanhando as perdas das demais bolsas mundiais e prejudicada pela crescente deterioração do cenário político tupiniquim, que inevitavelmente e lamentavelmente vai destruir qualquer possibilidade de recuperação econômica e (2) o DÓLAR pode subir, rumo aos R$ 3,50, influenciado pelos mesmos motivos que devem derrubar a bolsa brasileira e também pelo aumento das “apostas” de corte da “nota” do país pelas agências de classificação de risco.

Ontem, no BRASIL, (1) a BOVESPA caiu -0,7%, com ótimo volume de negócios (R$ 12,7bi) e prejudicada principalmente pelas “apostas” de que, com o “sepultamento” da reforma da previdência, as agências de classificação de risco, se tiverem o mínimo de vergonha na cara, devem reduzir a “nota” do Brasil em breve e (2) o DÓLAR subiu 0,4% à R$ 3,36, acompanhando a piora do “humor” da bolsa tupiniquim e seguindo a trajetória internacional da moeda norte-americana, mesmo com os leilões de venda do BC.

Também ontem, nas principais bolsas (1) da ÁSIA, Japão -0,3% e China -0,3%, reagindo negativamente à elevação, já amplamente esperada, dos juros norte-americanos, e a divulgação de dados levemente piores do que o esperado da economia chinesa, (2) da EUROPA, próximas das mínimas do dia, Inglaterra -0,7%, França -0,8% e Alemanha -0,4%, com destaques de queda para as ações dos bancos, como Lloyds (-1,6%), HSBC (-1,6%) e BNP (-1,3%), diante da perspectiva de juros baixos na região por um tempo mais longo e (3) dos EUA, realizando lucros recentes, S&P -0,4%, DJ -0,3% e NASDAQ -0,3%, pressionados por dúvidas se os republicanos vão conseguir conciliar itens importantes da proposta para reforma tributária num curto período de tempo.

Respectivamente aquém do resultado anterior (6,2%) e também do esperado (10,3%), em NOV/17 na China, principal parceiro comercial do Brasil, a produção industrial teve expansão anual de 6,1% e as vendas do varejo cresceram 10,2% na mesma base de comparação.

Acompanhando o que disse no dia anterior a Fitch, na tarde de ontem a agencia de classificação de risco Moody's afirmou que a postergação da votação da reforma da Previdência é "fator de crédito negativo" para o Brasil, por indicar falta de apoio político para a proposta em um ano de eleição presidencial.

Acreditado, lá do Olimpo de sua vaidade, que seu bigode vale alguma coisa, Meirelles, ministro brasileiro da Fazenda, afirmou que (1) vai conversar com as agências internacionais de classificação de risco para “garantir” que a reforma da Previdência será aprovada no ano que vem e (2) não reabriu a temporada de negociações da matéria.

Mesmo após o sepultamento da reforma da previdência e diante da possibilidade cada vez maior de rebaixamento da “nota” do Brasil, o Ministério da Fazenda, contando mais uma mentira, anunciou ontem que elevou, de 2,0% para 3,0%, suas “apostas” para o crescimento do PIB brasileiro em 2018.

Diferentemente da BR Distribuidora, que ainda vai seguir na mão do incompetente Estado tupiniquim e por isto atraiu pouco interesse e saiu no preço mínimo, a oferta pública da Burger King, que é comandada pelos magos brasileiros da 3G Capital (Jorge Paulo Lemann, Marcel Telles e Beto Sicupira), saiu pelo valor máximo e atraiu muito mais demanda.

Confirmando o peso de ser uma empresa controlada pelo Estado tupiniquim, a BR Distribuidora, que estreia hoje na Bolsa de SP, é a terceira maior companhia de capital aberto do país em receita, porem em valor de mercado suas ações, que foram vendidas ao preço mínimo, colocam a empresa na 36ª posição entre as maiores da bolsa tupiniquim.

-    A Disney subiu 2,7% e a Fox avançou 5,8%, ambas obviamente na bolsa de NY, após a primeira anunciar a compra da segunda por US$ 66bi.

Política:

Apresentando “um futuro sombrio para o Brasil”, segundo uma pesquisa de intenções de voto para presidente divulgada hoje pelo DataPoder360, Lula tem 26%, Bolsonaro 21%, Marina Silva 7%, Ciro Comes 6%, Alckmin 4%, Álvaro Dias 2%, Manuela D’Ávila 2%, Meirelles 1%, Luciana Genro 1% e João Amoêdo, o único descente da lista, 1%.

Tentando comprar apoio dos parlamentares e da sociedade, segundo cálculos preliminares o governo Temer já gastou mais de R$ 43bi para tentar aprovar a reforma da Previdência, que mesmo assim foi adiada para o ano que vem.

Sem nenhum controle da sua “base aliciada”, que quanto mais recebe mais quer e menos entrega, o governo Temer, após ver frustradas as tentativas de conseguir votos em troca de liberação de cargos e dinheiro, o governo decidiu flexibilizar ainda mais a proposta de reforma da Previdência e adiar oficialmente a votação da matéria para 19/FEV/18.

Beneficiando, com dinheiro público, caloteiros, muitos deles inclusive presentes e votando no plenário, ontem o Senado aprovou uma medida provisória que parcela, em inacreditáveis 176 vezes, as dívidas de produtores do agronegócio com o Fundo de Assistência ao Trabalhador Rural, dando desconto de 100% das multas e juros.

Mostrando um enorme apego ao poder, Luislinda Valois, a ministra dos direitos humanos mais desqualificada da história e que já afirmou que “passaria fome” com o salário de “apenas” R$ 30mil, pediu desfiliação do PSDB para tentar permanecer à frente da pasta, uma vez que a direção nacional tucana defende o desembarque da sigla da Esplanada dos Ministérios.

Colocando mais um presidenciável tucano na mira da justiça, ontem o STJ autorizou a abertura de inquérito contra Alckmin, governador de SP, que é acusado de ter recebido R$ 10,7mi do departamento de propinas da Odebrecht.

Revelando que a corrupção está presente na mais elevada corte do país, Gilmar Mendes e Joesley Batista mantiveram uma parceria comercial e uma convivência amigável, a ponto de se visitarem em Brasília e SP, trocarem favores, compartilharem certezas e incertezas jurídicas e tocarem projetos comuns, como o patrocínio que a JBS fez ao IDP.

Enquanto o PT vai seguir apresentando Lula como seu candidato à presidente, mesmo que ele esteja preso, o DEM vai anunciar a candidatura presidencial de Rodrigo Maia, alegando que ele é o único nome que poderia unificar o país.

Crítica:

Confirmando a atratividade do Brasil para investimentos no setor eólico, a Casa dos Ventos vendeu, por mais de R$ 1,8bi, uma usina eólica na Serra do Araripe, entre os Estados do Piauí e Pernambuco, para uma empresa que foi formada pela união entre a Votorantim Energia e um fundo de pensão canadense.

PAZ, amor e bons negócios;
Alfredo Sequeira Filho

O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer crítica, dúvida ou sugestão, favor contatar: alfredo@relatoriobrasil.com

Conheça e indique nosso Blog: www.relatoriobrasil.com
Curta nossa página no Facebook: www.facebook.com/relatoriobrasil

Nenhum comentário:

Postar um comentário