R.B. 25/OUT/17 "Mentalidade estatal tupiniquim"



"Mentalidade estatal tupiniquim"

São Paulo, 25 de outubro de 2017 (QUARTA-FEIRA).

Mercados e Economia:

Hoje (1) a BOVESPA deve seguir cair, acompanhando as perdas das demais bolsas mundiais, prejudicada pelo recuo das commodities e influenciada negativamente pelas “apostas” de que, apesar de provavelmente se livrar da justiça, Temer terá hoje menos votos ao seu favor do na primeira denúncia votada em OUT/17 e (2) o DÓLAR pode seguir em alta, para fechar em território positivo pelo sexto pregão consecutivo, desta vez seguindo a esperada piora do “humor” na bolsa tupiniquim e também influenciado pelas “apostas” de novo corte da taxa básica de juros, que em tese diminui o fluxo positivo de recursos externos por conta da redução da atratividade por investimentos em renda fixa no país.

Ontem, no BRASIL, (1) a BOVESPA subiu 1,2%, recuperando quase todas as perdas do pregão anterior (-1,3%), influenciada positivamente pela valorização das commodities e pelo movimento ascendente das principais bolsas mundiais e (2) o DÓLAR subiu 0,5% à R$ 3,25, desconsiderando a melhora do “humor” na bolsa tupiniquim, diante de uma cautela dos investidores tanto com a questão política interna quanto com a perspectiva de alta de juros nos EUA em meio às incertezas em torno de quem será o novo presidente do FED (“BC” norte-americano).

Também ontem, nas principais bolsas (1) da ÁSIA, Japão 0,5%, em alta pelo 16º pregão consecutivo e atingindo o maior patamar em 21 ano, ainda favorecido pela fácil vitória do governo na eleição parlamentar de domingo e China 0,2%, após o Partido Comunista confirmar, como esperado, o status do presidente Xi Jinping como líder mais forte da China em décadas, ao fazer uma emenda na Constituição para incluir seu nome e ideologia, (2) da EUROPA, Inglaterra 0,1%, França 0,1% e Alemanha 0,1%, sustentadas pelo bom desempenho das ações dos bancos, como Barclays (1,3%), Commerzbank (6,0%), Deutsche Bank (3,0%) e Société Générale (1,3%) e (3) dos EUA, em novos recordes históricos, S&P 0,2%, DJ 0,7% e NASDAQ 0,2%, sustentadas pela divulgação de bons resultados corporativos, como os da Caterpillar (5,0%) e os da 3M (4,9%), que superaram as expectativas dos analistas, e pelo aumento das “apostas” de aprovação da reforma tributária no Congresso do país.

Hoje, após o fechamento do pregão, termina a reunião do Copom e, se projeções feitas por economistas e investidores se confirmarem, os juros básicos da economia brasileira serão reduzidos em -0,75%, de 8,25% para 7,50%, caminhando assim para o nível mais baixo em 60 anos, o que certamente vai estimular investimentos no setor produtivo do país.

Contrariando a opinião de boa parte do “mercado”, que já nem sonha com a aprovação da reforma da Previdência neste ano, Meirelles, ministro da Fazenda, disse acreditar que haja "clima" entre os parlamentares para que isso ocorra na segunda quinzena de NOV/17.

Comparando o processo de privatização da Eletrobras com os leilões de telefonia, em 1998, Meirelles, ministro brasileiro da Fazenda, lembrou que naquela época uma linha telefônica valia US$ 5 mil pois a empresa era estatal, ressaltado que seu foco ao tratar de privatização não é a arrecadação, mas o aumento de eficiência para a economia.

Diante de uma base bastante fraca de comparação, o que não representa um sinal claro de retomada, nos 8 primeiros meses deste ano a produção física de calçados no Brasil cresceu 4,5% na comparação com o mesmo período de 2016, segundo a Abicalçados e o IBGE.

Certamente gerando pressão inflacionária, algo que atualmente não é muito preocupante, por conta do aumento dos valores das bandeiras tarifárias anunciado ontem pela Aneel, aumento na conta de luz do brasileiro será de 3,3% em NOV/17, o que por outro lado vai reunir um volume maior de recursos para aliviar o caixa das distribuidoras, que estão pagando mais caro pela energia por causa da crise hídrica.

-    A Caterpillar subiu 5,0% na bolsa de NY, após ter registrado uma receita mais forte do que o esperado, além de crescimento nos lucros e de melhora nas perspectivas para o ano.
-    A 3M avançou 4,9% na bolsa de NY, pois também apresentou lucro e receita acima das expectativas dos analistas.
-    A Whitbread recuou -4,8% na bolsa de Londres, após a empresa, que é a maior operadora hoteleira do Reino Unido, registrar desaceleração nas vendas e estabilidade no lucro operacional no primeiro semestre.
-    O Commerzbank disparou 6,0% na bolsa de Frankfurt, após o anúncio de que o banco teria contratado assessores financeiros para se preparar para possíveis ofertas de compra.
-    A Vale subiu 3,4% apoiada na alta do minério de ferro e no bom desempenho de outras mineradoras no exterior.

Política:

99% certo de que hoje a Câmara vai novamente livrar o presidente Temer da segunda denúncia contra ele, o governo Federal já “avisou” que pretende retomar as negociações para a realização da reforma da Previdência ainda nesta semana.

Apesar da vitória quase certa, o tamanho do placar redimensionará a força de Temer nos 14 meses que lhe restarão de mandato e, por isso, o esforço de seus assessores é para que ele mantenha ou até mesmo amplie os votos da sessão de 2/AGO/17, que enterrou a primeira acusação por corrupção passiva que tramitava contra ele com 263 votos ao seu favor.

Em mais uma cartada para atrair votos para livra-lo da segunda denúncia, ontem o presidente Temer, ajudando caloteiros, sancionou o Refis, que é o programa de parcelamento de dívidas com o fisco, e também anunciou que negocia com os parlamentares a publicação da prorrogação do prazo final de adesão ao programa, que expira em 31/OUT/17, por pelo menos mais 15 dias.

De forma quase inédita ajudando que faz as coisas certas, ontem o plenário do Senado aprovou o texto-base do projeto de lei que torna automática a adesão de consumidores ao cadastro positivo, que deve ajudar na redução dos juros dos empréstimos e cujo número de participantes deve superar 100 milhões em poucos meses.

Fazendo o que deveria ser feito pelo seu chefe, Meirelles, ministro d Fazenda, afirmou que vai buscar uma nova aproximação com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, para tentar destravar a pauta econômica após a votação da segunda denúncia contra o presidente Temer.

Como “bandido defende bandido”, o “nobre” senador peemedebista João Alberto Souza, que é maranhense, pau-mandado de Sarney do Maranhão e presidente do Conselho de Ética, arquivou um novo pedido de impeachment contra o também “nobre” senador Aécio Neves, do PSDB de MG.

Mostrando mais uma vez como é difícil colocar na cadeia o maior bandido deste país, o desembargador Néviton Guedes, do Tribunal Regional Federal da 1ª Região, acatou o pedido da defesa do ex-presidente Lula e suspendeu o depoimento do petista no processo da Operação Zelotes, em que ele é acusado de tráfico de influência na compra de 36 caças suecos pelo governo brasileiro.

Crítica:

Confirmando a força do monopólio bancário tupiniquim, a Nubank, admirada Fintech que desafiou os bancões ao lançar um cartão de credito sem anuidade, com juros baixos e com programa de milhas, faz 2 anos que aguarda a aprovação do BC tupiniquim para virar banco e poder oferecer aos seus clientes uma conta-corrente.

Confirmando a “mentalidade estatal tupiniquim”, contrariando o que ocorre em países desenvolvidos como EUA e China que, com perfis mais inovadores, a maioria dos investimentos é privada, no Brasil 71% do valor investido em inovação pelas empresas privadas é feito com recursos públicos.

PAZ, amor e bons negócios;
Alfredo Sequeira Filho

O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer crítica, dúvida ou sugestão, favor contatar: alfredo@relatoriobrasil.com

Conheça e indique nosso Blog: www.relatoriobrasil.com
Curta nossa página no Facebook: www.facebook.com/relatoriobrasil


Nenhum comentário:

Postar um comentário