R.B. 24/OUT/17 "Fofocagem sem importância"



"Fofocagem sem importância"

São Paulo, 24 de outubro de 2017 (TERÇA-FEIRA).

Mercados e Economia:

Hoje (1) a BOVESPA deve subir, tentando recuperar uma parte das perdas do pregão anterior, influenciada positivamente pela valorização das commodities e pelo movimento ascendente das principais bolsas mundiais e (2) o DÓLAR pode cair, em um “ajuste técnico” após fechar o pregão anterior no maior patamar desde 11/JUL/17, também influenciado pela esperada melhora do “humor” na bolsa tupiniquim.

Ontem, no BRASIL, (1) a BOVESPA caiu -1,3%, revertendo os ganhos da abertura, quando na máxima avançou 0,3%, pressionada pela piora do clima político no país, seguindo o recuo das commodities e acompanhando as perdas das bolsas de NY e (2) o DÓLAR subiu 1,4% à R$ 3,23, rompendo com facilidade a “resistência” dos R$ 3,20, influenciado pelos mesmos motivos que derrubaram a bolsa tupiniquim e também pela valorização internacional da moeda norte-americana, diante da expectativa com o plano de redução de imposto nos EUA e da indefinição sobre quem será o novo presidente do FED (“BC” norte-americano).

Também ontem, nas principais bolsas (1) da ÁSIA, sem uma direção única, Japão 1,1%, conquistando a marca inédita de 15 pregões consecutivos de ganhos, após a esperada vitória eleitoral do atual governo nas eleições parlamentares e China -0,1%, prejudicada pelo recuo das ações dos bancos, (2) da EUROPA, próximas da estabilidade, Inglaterra 0,1%, França 0,3% e Alemanha 0,1%, sustentadas pelos sinais de que Trump terá um caminho relativamente fácil para aprovar sua reforma tributária nos EUA e pelo anuncio de aumento do o índice de confiança do consumidor da zona do euro e (3) dos EUA, realizando lucros recentes após 1 semana de recordes históricos, S&P -0,4%, DJ -0,2% e NASDAQ -0,6%, diante da divulgação de balanços piores do que o esperado, como o da Hasbro (-8,6%) e o da GE (-6,3%).

Coberta de razão, apesar de não explicar porque ainda não rebaixou novamente sua “nota” para o país, a agencia de classificação de risco Moody's alertou ontem que a aprovação de uma reforma da Previdência no Brasil com "conteúdo significativo" é "improvável".

Esperando um corte de -0,75% na taxa básica de juros, de 8,25% para 7,5%, na reunião do Copom desta semana, o “mercado” também (1) elevou, de 3,00% para 3,06%, suas “apostas” para a inflação medida pelo IPCA em 2017 e (2) aumentou, de 0,72% para 0,73%, suas projeções para o crescimento do PIB do país neste ano.

“Maquiada” positivamente pela devolução antecipada, e obviamente não recorrente, de R$ 33bi do BNDES ao Tesouro, em SET/17 a dívida pública federal tupiniquim cresceu “apenas” 0,79% na comparação com AGO/17, somando R$ 3,4tri.

Indicando que o otimismo do governo Federal com o futuro da economia brasileira não é o mesmo do empresariado, (1) a programação das feiras de negócios de 2018 terá -30 eventos a menos que a deste ano, o que representa uma queda de -14% e (2) a procura por estagiários, cuja alta temporada começou neste mês, tem demanda -6,7% menor que no mesmo período do ano passado.

Segundo o embaixador Ronaldo Costa Filho, a expectativa do governo brasileiro é que a conclusão política do acordo comercial entre Mercosul e União Europeia, que se arrasta há cerca de 17 anos, seja anunciada em DEZ/17.

Ajudando a segurar a cotação do dólar e contribuindo com o aumento do PIB, a balança comercial tupiniquim, apesar de criticada por ter exportações concentradas em produtos básicos, acumulou até o final da semana passada um superávit de US$ 56,9bi, patamar recorde e 49,7% superior ao auferido no mesmo período de 2016 (US$ 38,0bi).

Com a força de um gigante global, o Google, que sempre inova com ótimas ideias, anunciou ontem o lançamento do “Pagar com Google”, que, assim como o PayPal e PagSeguro, visa agilizar o pagamento de compras feitas em sites e aplicativos.

-    A General Electric despencou -6,3% na bolsa de NY, registrando seu maior recuo diário desde 2011, após vários analistas cortarem as metas de preço para as ações na sequência do último balanço da empresa, que veio aquém do esperado e com reduções nas projeções.

Política:

Apesar de mais de 90% dos analistas ainda “apostarem” que a segunda denúncia contra Temer será novamente barrada pela Câmara, atualmente o que preocupa o “mercado” é saber o quanto de apoio o presidente terá na votação de amanhã, já que as projeções indicam algo próximo de 220 votos, menos que os 263 da primeira denúncia e muito menos do que o necessário para aprovar temas importantes, como a Reforma da Previdência.

Enquanto Lula burla a lei eleitoral, que proibi propaganda antecipada, fazendo comícios pelo país, Alckmin, mostrando que os tucanos iguais aos petistas, colocou em seu site pessoal uma peça publicitária dizendo que ele está “preparado para o Brasil”.

Indicando como será difícil o já fragilizado governo Temer “descascar o abacaxi da Reforma da Previdência”, o senador Hélio José, relator da CPI da Previdência, apresentou ontem o relatório final da comissão, que investigou as contas de seguro social do país e que declara que, "tecnicamente”, é possível afirmar com convicção que inexiste déficit da Previdência Social ou da Seguridade Social no Brasil.

Disposto a entregar até as pregas para se livrar da cadeia, o presidente Temer, para agradar Rodrigo Maia, presidente da Câmara, e Eunício Oliveira, presidente do Senado, desistiu de baixar medidas provisórias para adiar o reajuste e aumentar a contribuição previdenciária dos servidores federais, além de taxar fundos exclusivos de investimento, e vai dar ao Congresso o poder de decidir como arrumar os R$ 14bi necessários para o cumprimento da meta de déficit de R$ -159bi em 2018.

Defensor de bandidos do Parlamento, da Esplanada do Ministérios e do Palácio do Planalto, Gilmar Mendes, que é ministro do STF, classificou como “fofocagem sem importância” a divulgação, pela Polícia Federal, de que foram feitas 46 ligações via WhatsApp entre os telefones dele e o de Aécio Neves de FEV/17 até MAI/17, uma delas inclusive no dia em que ele deu uma decisão favorável ao tucano.

Com uma planilha de apoiadores cerca de 20 votos mais magra do que na análise da primeira denúncia, em AGO/17, o presidente Temer decidiu priorizar nas últimas 48 horas conversas pessoais com um grupo de 40 parlamentares para tentar evitar um resultado politicamente negativo na sessão de amanhã.

No Vale do Aço para o lançamento de sua caravana pelo Estado de MG, Lula, que estava acompanhando da ex-presidenta Dilma, responsabilizou Aécio Neves, presidente do PSDB e senador, pela atual crise brasileira.

Crítica:

Partindo, de forma bastante calculada, para o confronto, o governo central espanhol invocou o artigo 155 da Constituição do país e anunciou a dissolução do Parlamento regional da Catalunha, além de antecipar as eleições gerais na região em até seis meses.

Indicando que atualmente ter ensino superior é algo básico, os trabalhadores que concluíram a universidade formam um grupo seleto de brasileiros que não sofreram com a onda de desemprego que eliminou 2 milhões de postos formais em 2016, já que, mantendo uma tendência verificada pelo menos desde 2010, as vagas mais qualificadas foram as únicas a crescer no ano passado (1,5%).

PAZ, amor e bons negócios;
Alfredo Sequeira Filho

O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer crítica, dúvida ou sugestão, favor contatar: alfredo@relatoriobrasil.com

Conheça e indique nosso Blog: www.relatoriobrasil.com
Curta nossa página no Facebook: www.facebook.com/relatoriobrasil

Nenhum comentário:

Postar um comentário