R.B. 14/SET/17 "Pode dar ruim"



"Pode dar ruim"

São Paulo, 14 de setembro de 2017 (QUINTA-FEIRA).

Mercados e Economia:

Hoje (1) a BOVESPA deve cair, realizando uma pequena parte dos lucros acumulados no ano (24,2%) e nos últimos 12 meses (31,1%), acompanhando as perdas das demais bolsas mundiais e pressionada pela piora do cenário político tupiniquim e (2) o DÓLAR pode voltar a subir, com “boas chances” de fechar o dia acima dos R$ 3,15, seguindo os mesmos motivos que devem derrubar a bolsa brasileira.

Ontem, no BRASIL, (1) a BOVESPA subiu 0,3%, revertendo uma abertura negativa, para fechar em alta pela 3ª vez seguida e registrando mais um recorde histórico (74.787pts), diante de “rumores” de que Meirelles, “queridinho do mercado”, será candidato à presidente em 2018 pelo PSD de Kassab e (2) o DÓLAR subiu 0,3% à R$ 3,14, seguindo o comportamento da divisa no exterior, e alguma cautela interna, embora tenha desacelerado os ganhos à tarde em meio aos “rumores” que animaram a bolsa tupiniquim.

Também ontem, nas principais bolsas (1) da ÁSIA, Japão 0,5% e China 0,2%, seguindo os ganhos das principais bolsas mundiais no dia anterior e com destaques de alta para as exportadoras, (2) da EUROPA, Inglaterra 0,2%, França 0,2% e Alemanha 0,2%, ajudadas pela leve queda do euro em relação ao dólar, que fortaleceu companhias exportadoras, e também beneficiadas pela divulgação de dados positivos da economia da região, como a redução da taxa de desemprego no Reino Unido e o aumento da produção industrial na zona do euro e (3) dos EUA, batendo novos recordes históricos de alta, S&P 0,1%, DJ 0,2% e NASDAQ 0,1%, impulsionadas principalmente por companhias de energia, que acompanharam a forte alta nos preços do petróleo, e aliviadas com a diminuição da preocupação com as tensões geopolíticas.

Contrariando as “comemorações e declarações”, precipitadas e fantasiosas, do governo Temer de que a economia tupiniquim está se recuperando, em JUL/17 o setor de serviços, que é o que mais emprega no país, interrompeu uma sequência de 3 altas modestas e recuou -0,8% na comparação com JUN/17 e -3,2% na comparação com JUL/16, registrando assim o pior resultado desde o início desta série histórica, que ocorreu em JUL/12.

Como que passando, conforme já esperado, “o maior cheque sem fundo da história do país”, ontem o presidente Temer sancionou as novas metas fiscais de 2017 e 2018, que em ambos os casos preveem déficits de R$ -159bi.

Cada dia com menos medo de falar em privatização, o que é ótimo para o país e péssimo para políticos safados, Maurício Quintella, ministro dos Transportes, Portos e Aviação Civil, afirmou que o governo quer abrir o capital da Infraero.

Podendo ajudar a aumentar as exportações brasileiras, ontem a China anunciou que pretende ampliar o uso de etanol combustível a todo seu território, o que é mais um passo para reforçar a sua luta contra a poluição e para buscar possibilidades para os colossais excedentes de milho.

Cobertos de razão, produtores de milho e indústrias de etanol norte-americanos pediram ao presidente Trump que tome medidas contra a taxa de importação de etanol colocada recentemente pelo Brasil nos produtos oriundos dos EUA.

-    A Apple caiu -0,8% na bolsa de NY, pressionada pela falha no sistema de reconhecimento facial do iPhone X no evento da empresa no dia anterior e também pela demora que o aparelho vai demorar para chegar aos clientes, o que ocorrerá apenas em NOV/17.
-   A JBS subiu 2,4%, diante da “esperança” de que após a prisão dos bandidos Joesley e Wesley, seus maiores acionistas, trocaria seu comando, porém, após o fechamento do pregão, o conselho de administração da empresa anunciou que decidiu não indicar um presidente interino, mantendo os referidos presidiários no comando.

Política:

Na madrugada de hoje, conforme já esperado, Rodrigo Janot, o Procurador Geral da República que deixará o cargo amanhã, concluiu uma nova denúncia contra o presidente Temer, desta vez acusado dos crimes de organização criminosa e obstrução de Justiça em uma peça que tem de mais de 200 páginas e que deve ser apresentada até o fim da tarde de hoje a Supremo Tribunal Federal.

Aniquilando os argumentos da defesa de Temer, ontem, sem a participação de Gilmar Mendes, o plenário do Supremo Tribunal Federal decidiu, por unanimidade, rejeitar o pedido de suspenção de Rodrigo Janot dos processos envolvendo o presidente Temer, aproveitando a ocasião para elogiar, com bastante veemência, o trabalho do referido Procurador Geral da República.

Encurralando mais um picareta que é aliado, e ministro, de Temer, na manhã de hoje a Polícia Federal realizou buscas em endereços ligados a Blairo Maggi, que foi alvo da delação premiada do ex-governador peemedebista Silval Barbosa, que o sucedeu no governo do MS.

Com a cara de pau de quem é mentiroso profissional, ontem, em depoimento ao Juiz Serio Moro, Lula fez duras críticas ao Ministério Público Federal e à Operação Lava Jato e, para provando pela enésima vez sua enorme falta de caráter, afirmou que a responsabilidade pelo pagamento do aluguel da casa onde mora era de sua esposa falecida.

Mostrando que tem picaretas em todos os grandes partidos, ontem Rodrigo Janot, o Procurador Geral da República, denunciou o senador José Agripino Maia, presidente do DEM, ao Supremo Tribunal Federal, que agora precisa decidir se vai acatar ou não a acusação.

Mais uma vez por falta de consenso, o que mostra que a base aliada está totalmente descontrolada, ontem, após mais de 11 horas de discussão, foi novamente adiada a votação da Reforma Política na Câmara Federal.

“Pode dar ruim” a ideia de Temer que, tentando mostrar que tem apoio internacional, decidiu ir na segunda-feira para os EUA jantar com Trump, já que o referido presidente dos EUA “avisou” que vai pressionar o presidente do Brasil a tomar medidas contra a Venezuela.

Meirelles foi ministro de Lula, é ministro do Temer, foi empregado do Joesley, é "queridinho do mercado", aparentemente tem a reputação ilibada e, mesmo com todas estas contradições, pode ser candidato a presidente pelo PSD do bandido do Kassab, ex-prefeito de SP e atual ministro de Temer.

Apesar de estar mais sujo do que pau de galinheiro, o presidente Temer, em um café da manhã com parlamentares governistas realizando no Palácio da Alvorada, (1) fez um apelo para a retomada das discussões das reformas governistas, como a da Previdência e (2) estimulou seus aliados a rebaterem as críticas de corrupção apresentando dados econômicos.

Participante, ativo e com cargos elevados, dos governos do PT e do PSDB, ontem Nelson Jobim, que também foi ministro e presidente do Supremo Tribunal Federal e atualmente é sócio de André Esteves no BTG Pactual, deu ontem uma entrevista na Globo News na qual (1) afirmou que o país está evoluindo e que a economia está no caminho certo e (2) defendeu o FHC, o Lula, a Dilma, o Temer e o Aécio e só faltou o defender a exposição do Santander e o Punheteiro do buzão.

Inchado, quebrado e lotado de vagabundos, o governo Temer lança hoje seu o Programa de Desligamento Voluntário para servidores do Poder Executivo com o objetivo de economizar parte dos R$ -284bi por ano que gasta com salários, o que representa o segundo maior gasto do governo federal.

Crítica:

Ressaltando que a crise econômica atravessada pelo Brasil também é causada pela cultura da busca por privilégios e proteções para diferentes setores, o que ele apelidou de "cultura da meia entrada", Marcos Lisboa, presidente do Insper e o doutor em economia, é um dos idealizadores do abaixo-assinado criticando a obrigatoriedade de cursar uma graduação em economia e estar credenciado no conselho de classe para atuar na área.

PAZ, amor e bons negócios;
Alfredo Sequeira Filho

O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer crítica, dúvida ou sugestão, favor contatar: alfredo@relatoriobrasil.com

Conheça e indique nosso Blog: www.relatoriobrasil.com
Curta nossa página no Facebook: www.facebook.com/relatoriobrasil

Nenhum comentário:

Postar um comentário