R.B. 8/AGO/17 "Cercado de bons amigos"



"Cercado de bons amigos"

São Paulo, 8 de agosto de 2017 (TERÇA-FEIRA).

Mercados e Economia:

Hoje (1) a BOVESPA deve seguir em alta, rumo aos 70.000pts, impulsionada pelo aumento das “apostas” de que Temer conseguirá aprovar a Reforma da Previdência, acompanhando a valorização das commodities e seguindo o movimento ascendente das principais bolsas mundiais e (2) o DÓLAR pode voltar a cair, podendo “testar o suporte” dos R$ 3,10 ainda esta semana, influenciado pelos mesmos motivos que devem animar a bolsa e elevar o fluxo positivo de recursos externos.

Ontem, no BRASIL, (1) a BOVESPA subiu 1,6%, com bom volume de negócios (R$ 7,9bi), para fechar o dia no maior patamar desde 17/MAI/17 (aos 67.939pts), quando foi divulgada a delação da JBS, acompanhando o movimento ascendente das principais bolsas mundiais e a beneficiada principalmente pela alta das commodities e (2) o DÓLAR caiu -0,1% à R$ 3,12, devolvendo uma pequena fração dos ganhos de sexta-feira, influenciado pela melhora do “humor” na bolsa e pelo fluxo positivo de recursos externos.

Também ontem, nas principais bolsas (1) da ÁSIA, Japão 0,5% e China 0,5%, beneficiadas pelo clima positivo gerado por dados melhores do que o esperado do mercado de trabalho dos EUA divulgados na sexta-feira, (2) da EUROPA, sem uma tendência única, Inglaterra p0,3% e França 0,1%, com destaques de alta para as mineradoras, como BHP Billiton (2,3%) e Antofagasta (1,5%), que foram beneficiadas pela valorização do minério de ferro, porem Alemanha -0,3%, prejudicada pela divulgação de que a produção industrial do país recuou -1,1% em JUN/17 ante MAI/17 e (3) dos EUA, com o DJ fechando no maior patamar da história pela 35º vez no ano, S&P 0,2%, DJ 0,1% e NASDAQ 0,5%, sustentadas principalmente pelas ações dos setores de tecnologia e financeiro, em dia de poucos indicadores e com a agenda política em Washington escassa devido às férias do presidente Trump.

Com o “mercado” acreditando cada dia mais que Temer ficará no cargo e conseguirá aprovar a Reforma da Previdência, ontem o índice que mede o risco Brasil caiu -2,3% e assim atingiu o menor patamar desde 29/DEZ/14.

Mostrando otimismo, sem explicar porque, o admirado empresário brasileiro Jorge Paulo Lemann disse ontem que acha que "o Brasil vai sofrer uma grande transformação no ano que vem e nos próximos anos".

Menos otimista com o futuro do país, Armínio Fraga, que foi presidente do BC no governo FHC, alertou que a economia brasileira só voltará a crescer com vigor quando houver clareza sobre as forças políticas que vão liderar o próximo governo, ressaltando seu temor de o país ter em 2018 um guinada populista.

Coberto de razão, Eduardo Guardia, que é secretário-executivo do Ministério da Fazenda, afirmou que não adianta avançar na reforma tributária sem resolver antes a reforma Previdência, ressaltando que o problema brasileiro não é de receita, é de despesa, que cresce a uma velocidade insustentável.

Acreditando agora que o ciclo de corte da taxa de juros será maior e que por isto a Selic fechará 2017 em 7,5%, e não mais em 8,0% ao ano, o “mercado” manteve em 0,34% suas “apostas” para o desempenho do PIB brasileiro este ano e elevou, de 3,40% para 3,45%, suas projeções para a inflação medida pelo IPCA este ano, patamar ainda bem abaixo do centro da meta (4,5%).

Na semana passada, mesmo com exportações 2,5% maiores e com importações 19,8% superiores, ambas na comparação com o mesmo período de 2016, a balança comercial brasileira registrou superávit de US$ 350mi, elevando o saldo positivo do ano para US$ 42,9bi.

Mostrando que adora um monopólio e que a política petista, que criou monstros como a Friboi, ainda está em voga, Paulo Rabello de Castro, presidente do BNDES, afirmou que considera positiva a possível aquisição da Eldorado Brasil pelas rivais Fibria ou Suzano.

Ajudando pela enésima vez as construtoras, mesmo diante dos escândalos divulgados pela operação Lava-Jato, esta semana o governo Temer lançará, pela Caixa Econômica Federal, uma linha de credito de R$ 1,5bi para financiar empresas do setor imobiliário interessadas na construção de lotes urbanizados.

Política:

“Cercado de bons amigos”, ontem, logo após ser “paparicado” pelo presidente Temer, que o chamou de “grande companheiro”, Doria, prefeito de SP, foi para Salvador se encontrar com ACM Neto, que lhe convidou para ingressar no DEM caso não encontre espaço no PSDB para disputar a presidência do Brasil em 2018.

Conhecida como “a amante” nas planilhas da Odebrecht, a senadora petista Gleisi Hoffmann, que também é presidenta do seu partido e que ontem foi formalmente acusada pela Polícia Federal de corrupção e lavagem e dinheiro, precisa, mais do que nunca, conservar o foro privilegiado para se livrar da cadeia e, como tem poucas chances de se reeleger para o cargo no senado, deve acabar se candidatando a deputada estadual.

Cumprindo sua missão, já que foi colocado no cargo por Dilma para livrar bandidos da cadeia, Edson Fachin, ex-advogado e ex-militante petista e atualmente relator da Lava Jato no Supremo Tribunal Federal, determinou o arquivamento de três pedidos de inquéritos abertos com base na delação da Odebrecht contra a senadora Marta Suplicy, do PMDB de SP, e os deputados Jarbas Vasconcelos, do PMDB de PE e Roberto Freire, do PPS d e SP, que foram acusados pelos delatores de receber caixa 2 em campanhas eleitorais.

O vice-governador de São Paulo, Márcio França, afirmou ontem que seu partido, o PSB, pode não apoiar a candidatura presidência de Alckmin em 2018 se o PSDB lançar candidato a governador, em vez de apoiar a sua reeleição.

Acreditando que a melhor defesa é o ataque, o presidente Temer começou a definir estratégia para tentar enfraquecer a denúncia que deve ser apresentada contra ele pelo procurador-geral, Rodrigo Janot, por obstrução de Justiça.

Conforme já se esperava, achando que o Brasil é a Venezuela, o advogado de Temer, Antônio Claudio Mariz de Oliveira, entregará hoje ao ministro Edson Fachin, relator da Lava Jato no STF, um pedido de suspeição do procurador-geral da República, Rodrigo Janot.

Dias após a bancada do PSDB sair rachada da votação da denúncia contra Michel Temer, a ala do partido contrária ao presidente prepara um texto alternativo à reforma da Previdência apresentada pelo governo.

Segundo uma pesquisa divulgada ontem pelo Instituto Paraná, nas eleições do ano que vem 63,2% dos eleitores pretendem votar em deputados federais que nunca exerceram cargos públicos.

Crítica:

Com a chapa esquentando cada dia mais, o final de semana passado o Conselho de Segurança da ONU decidiu, de forma unanime, impor novas sanções à Coreia do Norte, devido a seu recente teste com um míssil balístico intercontinental, porém é cada dia mais claro que estas sanções não devem impedir Pyongyang de seguir adiante com suas ambições nucleares e que uma solução definitiva só ocorrerá com a queda do ditador norte-coreano.

PAZ, amor e bons negócios;
Alfredo Sequeira Filho

O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer crítica, dúvida ou sugestão, favor contatar: alfredo@relatoriobrasil.com

Conheça e indique nosso Blog: www.relatoriobrasil.com
Curta nossa página no Facebook: www.facebook.com/relatoriobrasil

Nenhum comentário:

Postar um comentário