R.B. 28/JUL/17 "Comprando simpatia da TV Globo e dos bicheiros"



"Comprando simpatia da TV Globo e dos bicheiros"

São Paulo, 28 de julho de 2017 (SEXTA-FEIRA).

Mercados e Economia:

Hoje (1) a BOVESPA deve cair, acompanhando as perdas das demais bolsas mundiais, pressionada pela desvalorização das commodities e prejudicada pela piora constante das contas públicas tupiniquins e (2) o DÓLAR pode subir, seguindo a esperada piora do “humor” na bolsa brasileira e recuperando mais uma parte da baixa acumulada no mês (-4,6%).

Ontem, no BRASIL, (1) a BOVESPA subiu 0,4%, acompanhando o movimento ascendente das bolsas de NY e impulsionada pelo aumento das “apostas” de manutenção do ritmo de cortes mais da taxa básica de juros brasileira, porem em um pregão com baixo volume de negócios (R$ 5,9bi) e (2) o DÓLAR subiu 0,3% à R$ 3,15, recuperando perdas recentes, acompanhando a trajetória internacional da moeda norte-americana e também pautado pela cautela diante da questão fiscal do País.

Também ontem, nas principais bolsas (1) da ÁSIA, Japão 0,2% e China 0,1%, inspiradas por novos recordes nas bolsas de NY, (2) da EUROPA, realizando lucros recentes, Inglaterra -0,1%, França -0,1% e Alemanha -0,8%, com as notícias do setor corporativo no radar dos investidores, em meio à temporada de balanços e (3) dos EUA, sem uma tendência única e após um pregão com bastante volatilidade, S&P -0,1%, DJ 0,4% e NASDAQ -0,6%, com os resultados das empresas e os recordes históricos de alta auferidos no mês influenciado nos negócios.

Exalando otimismo pelos poros, Luiz Carlos Trabuco, presidente do Bradesco, afirmou ontem que (1) o cenário para o segundo semestre é o melhor dos últimos 3 anos, (2) os ativos brasileiros são destaques entre investidores globais e (3) a inflação está abaixo da meta, os juros estão em trajetória de queda, o câmbio está competitivo e o PIB vai retomar a rota de expansão.

Como “é curto o cobertor das contas públicas tupiniquins” e o presidente Temer preferiu comprar parlamentares para se manter no poder, o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) será a principal vítima do bloqueio adicional de recursos no Orçamento anunciado na semana passada, pois perderá R$ -7,4bi em recursos, ou 27% do previsto até então.

Cansada da burocracia e da corrupção tupiniquim, a taiwanesa Foxconn, responsável pela montagem dos produtos Apple e que em 2011 prometeu investir R$ 1bi e criar até 100 mil empregos para montar iPhones e iPads no Brasil, anunciou ontem que decidiu cancelar suas operações e sair do país.

Segundo dados oficiais do BC brasileiro, com a crise econômica, o estoque de crédito da economia, ou seja, tudo o que está emprestado, caiu -0,9% no primeiro semestre na comparação com o mesmo período do ano passado.

Para tentar mostrar que é um executivo sem “rabo preso” com o governo, Fábio Schvartsman, presidente da Vale e que está há pouco mais de 2 meses no cargo, fez duras críticas ao novo modelo de cobrança de royalty para o setor de mineração no país.

Colhendo os frutos da sua “ousadia” de cobrar por um produto de qualidade, a receita do jornal New York Times com assinaturas digitais atingiu o recorde histórico de US$ 83mi no segundo trimestre e superou pela primeira vez o faturamento com publicidade em mídia impressa (US$ 77mi).

Fruto da vitória de Trump nos EUA, segundo uma pesquisa feita pela consultoria A.T. Kearney 74% dos executivos de alto escalão projetam uma queda nas trocas internacionais no próximo ano devido a uma escalada no protecionismo.

-    A Verizon subiu 7,7% na bolsa de NY, após a empresa de telecomunicações reportar uma receita no segundo trimestre que superou as expectativas do mercado.
-    A AstraZeneca caiu -15,4% na bolsa de Londres, após a farmacêutica anunciar que um aguardado remédio para o câncer não atendeu às expectativas.
-    O Deutsche Bank caiu -6,5% na bolsa da Alemanha, após divulgar um balanço que não agradou o mercado.
-    A Vale caiu -0,5%, após a mineradora anunciar um lucro líquido de apenas US$ 16mi no segundo trimestre de 2017, ante um ganho de US$ 1,1bi no mesmo período de 2016 e US$ 533mi da média das “apostas do mercado”.
-    O Bradesco caiu -0,1%, após o banco informar que no segundo trimestre teve um lucro líquido ajustado de R$ 4,7bi, com alta de 13% sobre o segundo trimestre de 2016 e pouco acima da média das projeções, de R$ 4,6bi.

Política:

Com 70% da população considerando seu governo ruim ou péssimo, o que é o pior patamar da história de um presidente brasileiro, Temer “garantiu” que sua administração não passará "em branco" se ele conseguir aprovar as reformas previdenciária, tributária e política.

Para dificultar as pretensões de seu correligionário Doria, Alckmin, governador de SP, passou a defender que o PSDB realize já em DEZ/17 suas prévias para a escolha do candidato do partido à presidente em 2018.

Ajudando a destruir ainda mais o PSDB, Marconi Perillo, o governador tucano de Goiás, avisou a aliados que aceita concorrer à presidência do seu partido, em oposição a Tasso Jereissati e com o apoio da ala tucana que defende a permanência da sigla no governo Temer.

Como se estivesse em campanha presidencial, Lula, depois do giro pelo Nordeste, que começará no dia 17/AGO/17, já está programando uma visita ao Sul do país, com destaque para uma longa agenda no interior de SP, que é um tradicional reduto do PSDB.

Celso Amorim, ex-ministro das Relações Exteriores e da Defesa no governo Lula, “alertou”, com a maior cara de pau, que uma reforma política precisa estar na plataforma do próximo presidente do Brasil e que mudar o sistema eleitoral é essencial para coibir a troca de favores entre Planalto e Congresso em Brasília, realizada sem cerimônia, "na frente de todo mundo".

Crítica:

“Comprando simpatia da TV Globo e dos bicheiros”, o presidente Temer “garantiu”, após reunião com os principais dirigentes das escolas de samba do RJ, que destinará à referida festa cerca de R$ 13mi de recursos públicos.

Acreditando que são uma classe diferenciada, que tem muito mais direitos do que deveres, representantes dos servidores públicos se mostraram indignados com a intenção do governo federal de adiar para o segundo semestre de 2018 o reajuste salarial dos servidores públicos que estava previsto para JAN/18.

PAZ, amor e bons negócios;
Alfredo Sequeira Filho

O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer crítica, dúvida ou sugestão, favor contatar: alfredo@relatoriobrasil.com

Conheça e indique nosso Blog: www.relatoriobrasil.com
Curta nossa página no Facebook: www.facebook.com/relatoriobrasil

Nenhum comentário:

Postar um comentário