R.B. 20/JUL/17 "Dinheiro de pinga"



"Dinheiro de pinga"

São Paulo, 20 de julho de 2017 (QUINTA-FEIRA).

Mercados e Economia:

Hoje (1) a BOVESPA deve subir, recuperando as perdas do pregão anterior, beneficiada pela valorização das commodities, acompanhando o movimento ascendente das principais bolsas mundiais e impulsionada pelo fechamento do cerco contra Lula e (2) o DÓLAR pode subir, em um “ajuste técnico” após 4 pregões seguidos de queda, influenciado pela aproximação da reunião do Copom, que na semana que vem deve cortar a taxa básica de juros da economia brasileira em -1,0%, dos atuais 10,25% para 9,25% ao ano.

Ontem, no BRASIL, (1) a BOVESPA caiu -0,2%, revertendo uma abertura positiva, na qual chegou a avançar 0,4% embalada pela da valorização das commodities, diante dos “rumores”, confirmados após o fechamento do pregão, de aumento de impostos para garantir o cumprimento da meta fiscal do ano e (2) o DÓLAR caiu -0,2% à R$ 3,15, após um pregão com baixa volatilidade, já que na mínima recuou -0,30% e na máxima avançou 0,2%, influenciado pela expectativa de aumento do fluxo positivo de recursos externos, destinados a temporada de IPOs na bolsa tupiniquim, e acompanhando a trajetória internacional da moeda norte-americana.

Também ontem, nas principais bolsas (1) da ÁSIA, Japão 0,1%, sustentada pelo bom desempenho da bolsa chinesa e China 1,4%, no maior patamar em 3 meses, em meio ao bom desempenho de ações de corretoras e de estatais produtoras de aço e carvão após uma injeção de US$ 25bi promovida pelo BC local no mercado monetário, (2) da EUROPA, Inglaterra 0,5%, França 0,8% e Alemanha 0,2%, impulsionados por balanços corporativos positivos na região, além de uma alta nos preços do petróleo (1,5%), que influenciou positivamente companhias de energia e (3) dos EUA, renovando novamente os maiores patamares de fechamento da história, S&P 0,5%, DJ 0,3% e NASDAQ 0,6%, beneficiadas pelos mesmos motivos que impulsionaram as bolsas europeias, em um dia com agenda de indicadores fraca e no qual o noticiário corporativo prevaleceu.

Confirmando os “rumores” que já circulavam no “mercado”, ontem, após o fechamento do pregão, governo Temer anunciou que, com o objetivo de cobrir um buraco nas receitas públicas, decidiu aumentar tributos que incidem sobre os combustíveis, tentando assim evitar uma revisão na meta de déficit de R$ -139bi neste ano.

Finalmente dando uma boa notícia para as contas públicas do Brasil, no primeiro semestre deste ano a arrecadação federal de impostos registrou um crescimento real, que já desconta a inflação, de 0,77% na comparação com o mesmo período de 2016 e somou R$ 648,5bi, o que (1) representa o melhor resultado para o período desde 2015, (2) foi impulsionado principalmente pelos royalties de petróleo e (3) é a primeira alta na comparação interanual desde novembro de 2014.

Enxergando uma luz no final do túnel, o sindicato paulista da indústria construção pesada anunciou ontem que sua expectativa é que o setor, que perdeu -12,5% dos postos de trabalho no ano passado, terá na pior das hipóteses uma estabilidade nas vagas em SP este ano, ressaltando que há vários editais para obras em rodovias em andamento.

Sem medo do tema, o governo federal espera arrecadar pelo menos R$ 30bi com a venda de usinas da Eletrobrás e pretende usar um terço do valor para compensar o aumento no preço da energia para o consumidor em razão dessa privatização.

Diante de uma base de comparação fraca, em MAI/17 foram lançadas 5.827 unidades novas de imóveis no Brasil, o que representa um crescimento de 3,1% em relação a MAI/16 e foi caudado principalmente pelo forte aumento na oferta empreendimentos enquadrados no Minha Casa Minha Vida, que totalizaram 4.820 unidades, uma alta de 62,3% na mesma base de comparação.

“Rasgando dinheiro público” para pagar a conta da roubalheira e da falta de capacidade administrativa dos políticos, ontem o presidente Temer autorizou o BNDES a comprar ações da Cedae, estatal de saneamento e abastecimento de água do RJ, por cerca de R$ 3bi, como forma de socorrer o caixa do governo fluminense, que enfrenta uma grave crise financeira há mais de um ano.

-    A Electrolux subiu 3,0% na bolsa da Suécia, após resultados positivos referentes ao segundo trimestre deste ano.
-    O Morgan Stanley subiu 3,3% na bolsa de NY, após o banco reportar lucro líquido de US$ 1,76bi no segundo trimestre do ano.

Política:

Enchendo ainda mais as repartições públicas de corruptos, ontem o governo Temer começou a promover as primeiras trocas de cargos para garantir votos no plenário da Câmara contra a denúncia da Procuradoria-Geral da República, que acusa o presidente de cometer crime de corrupção passiva no exercício do cargo.

Obviamente com potencial para causar mais estragos na política nacional, a defesa dos delatores da JBS anunciou que em SET/17 vai entregar à Procuradoria-Geral da República cerca de 20 novos anexos que complementarão o acordo de colaboração premiada assinado pelos irmãos Joesley e Wesley Batista e diretores do grupo.

Segundo “rumores” com potencial para desarranjar o apoio político a Temer no Congresso, é grande a expectativa de que a delação do doleiro Lucio Funaro seja homologada logo após o Supremo voltar do recesso do Judiciário, em AGO/17.

Disputando as atenções com o doleiro Lucio Funaro, os advogados do ex-deputado Eduardo Cunha fazem nesta semana uma nova rodada de negociações com a Procuradoria-Geral da República na tentativa de selar um acordo de delação para o peemedebista.

Mais sujo do que “pau de galinheiro”, o senador tucano Serra propôs a aliados que o PSDB formule documento com as linhas gerais de uma reforma política profunda, ressaltando que o texto poderia ser usado, inclusive, para firmar um novo pacto programático com o PMDB.

Para manter o apoio do DEM, legenda da base aliada com a qual está com relações estremecidas, o presidente Temer prometeu, durante um jantar realizado ontem na casa de Rodrigo Maia, viabilizar no segundo semestre as reformas tributária e previdenciária.

“Insistindo em não largar o osso”, já que trabalhar em prol dos trabalhadores é uma opção que não consta nos seus planos futuros, os sindicalistas estão pressionando os presidentes de partidos do centrão para a criação de uma contribuição assistencial, tributo que funcionaria como uma compensação pelo fim do imposto sindical.

Com potencial para tirar muito esqueleto do armário, o ex-publicitário e atualmente já experiente presidiário Marcos Valério fechou um acordo de delação premiada com a Polícia Federal de MG e agora só aguarda a homologação do Supremo para contar tudo que sabe sobre o mensalão.

Jogando “mais merda no ventilador”, o lobista Jorge Luz, preso na Operação Lava Jato, admitiu que fez pagamentos de propina a políticos do PMDB, incluindo o senador Renan Calheiros, o senador Jader Barbalho e o deputado federal Aníbal Gomes, que segundo ele participaram de um acerto para apoiar, via partido, a permanência dos diretores da Petrobras Paulo Roberto Costa e Nestor Cerveró, em troca de R$ 11,5mi.

Representando “dinheiro de pinga” para um homem que atualmente só toma uísque com no mínimo 21 anos, ontem, uma semana após ser condenado por corrupção, Lula, o maior picareta da história do Brasil, teve a “ninharia” de R$ 606 mil bloqueados em suas contas bancárias por ordem da Justiça.

Crítica:

Como quer manter seu currículo limpo, ficando longe dos trambiques e safadezas do governo Federal, ontem Ricardo Baldin, diretor de controladoria do BNDES, decidiu deixar o cargo alegando divergências com o novo presidente do banco, Paulo Rabello de Castro, que por sua vez nada mais é do que um “pau mandado” do atual presidente Temer.

PAZ, amor e bons negócios;
Alfredo Sequeira Filho

O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer crítica, dúvida ou sugestão, favor contatar: alfredo@relatoriobrasil.com

Conheça e indique nosso Blog: www.relatoriobrasil.com
Curta nossa página no Facebook: www.facebook.com/relatoriobrasil

Nenhum comentário:

Postar um comentário