R.B. 17/JUL/17 "A família real tupiniquim é composta de servidores públicos"



"A família real tupiniquim é composta de servidores públicos"

São Paulo, 17 de julho de 2017 (SEGUNDA-FEIRA).

Mercados e Economia:

Hoje (1) a BOVESPA deve cair, em um movimento de realização de lucros após 5 pregões seguido de alta, influenciado pelo recuo das commodities e pela constatação de que denúncia contra Temer será votada, na melhor das hipóteses, apenas em AGO/17, e (2) o DÓLAR pode subir, também em um “ajuste técnico” após fechar o pregão anterior no menor patamar desde 17/MAI/17, seguindo os mesmos motivos que devem derrubar a bolsa tupiniquim e acompanhando a trajetória internacional da moeda norte-americana.

Sexta-feira, no BRASIL, (1) a BOVESPA subiu 0,4%, para fechar em alta pela 5ª vez consecutiva, acompanhando o movimento ascendente das bolsas dos EUA e beneficiada pela valorização das commodities, porem com baixo volume de negócios (R$ 6,2bi) diante das indefinições políticas e (2) o DÓLAR caiu -0,8% à R$ 3,18, para fechar o dia registrando a quinta baixa em 6 pregões, nos quais acumulou perdas de -3,5%, desta vez influenciado pela divulgação de dados piores do que o esperado da economia norte-americana, o que reduz as chances de elevação de juros nos EUA.

Também sexta-feira, nas principais bolsas (1) da ÁSIA, Japão 0,1% e China 0,1%, com investidores digerindo novos comentários da autoridade monetária dos EUA e à espera da divulgação de uma série de balanços corporativos, (2) da EUROPA, Inglaterra -0,5%, França -0,1% e Alemanha -0,1%, em meio à realização de lucros recentes e à valorização do euro e da libra esterlina frente ao dólar, o que prejudicou exportadoras como BMW (-0,7%), Mercedes (-0,4%) e Vodafone (-0,9%) e (3) dos EUA, S&P 0,5%, DJ 0,4% e NASDAQ 0,6%, com destaques de alta para os papéis do setor de tecnologia e beneficiadas pela avaliação de que indicadores fracos da economia local devem fazer com que o FED (“BC” norte-americano) seja mais contido na trajetória de elevação de juros.

No mínimo incomodado com a decisão dos “nobres” parlamentares de ajudar as grandes empresas caloteiras, Meirelles, ministro brasileiro da fazenda, alertou que a proposta de Refis aprovada em fase de relatório pelo Congresso reduzirá de forma "substancial" a arrecadação prevista inicialmente pelo governo com o programa.

Frustrando as “apostas otimistas do mercado”, que na média estavam em +0,50%, em MAI/17 o Índice de Atividade Econômica do BC, que é uma espécie de prévia do PIB, recuou -0,51% na comparação com ABR/17, o que reforça a necessidade de cortes mais intensos da taxa básica de juros, atualmente em 10,25%, nas próximas reuniões do Copom.

Indicando que foi colocado no cargo para acobertar as maracutaias ocorridas durante os governos Lula e Dilma, Paulo Rabello de Castro, novo presidente do BNDES, afirmou que o “apoio” de R$ 8,1bi à JBS "foi um dos negócios mais bem bolados e bem-sucedidos" do BNDESPar, o braço de participações da instituição, que detém 21,3% das ações da companhia.

Colocando novamente “o Brasil no foco”, no seu editorial de hoje o prestigiado jornal britânico "Financial Times" alerta que o processo de queda do presidente Temer, acusado de corrupção, pode demorar mais de 7 meses.

Com uma administração competente, que está mantendo o foco em reduzir seu endividamento, a Petrobrás, mesmo após ter anunciado IPO da BR Distribuidora, acelerar seu processo de parcerias e desinvestimentos e comunicar a venda de outros ativos nos próximos meses, principalmente a partir de SET/17.

-    O J.P.Morgan caiu -0,9% na bolsa de NY, mesmo após o maior banco dos EUA em ativos superar as projeções dos analistas para lucro e receita.

Política:

Com o objetivo explícito de permitir a candidatura do bandido do Lula, que está prestes a perder os direitos políticos, o deputado petista Vicente Cândido pretende colocar em votação um projeto de Lei que tem o objetivo de evitar a prisão de candidatos até 8 meses antes da eleição.

Como não poderia ser diferente, o presidente Temer quer usar o recesso parlamentar, que começa hoje e termina no dia 2/AGO/17, para tentar tirar a denúncia contra ele da agenda política e emplacar discurso de retomada da discussão da Reforma da Previdência.

Logo após “comemorar” sua vitória na Comissão de Constituição e Justiça da Câmara, o presidente Temer foi avisado por líderes de partidos do centrão que, apesar de terem fechado questão pela rejeição da denúncia de Rodrigo Janot, não conseguirão evitar traições em suas bancadas durante a votação do tema em plenário.

Na tentativa de marcar um novo rumo e recuperar parlamentares perdidos, principalmente para o partido de Kassab (o PSD), o DEM vai mudar de nome após sua refundação e estuda defender a convocação de uma assembleia constituinte em 2019 para tratar exclusivamente da reforma política, levantando a bandeira da implantação do parlamentarismo no Brasil.

Atingindo mais um “velho antro de corrupção tupiniquim”, na delação premiada que negocia com procuradores da Operação Lava Jato, a empreiteira OAS apresentou fatos ilícitos que, segundo ela, evolvem ministros do Tribunal de Contas da União e conselheiros de Tribunais de Contas da maioria dos Estados em que a empresa tinha obras.

Diante das dificuldades na mobilização de quórum suficiente para votar na Câmara a denúncia por corrupção passiva, o presidente Temer já admite a possibilidade de postergar a decisão final do seu caso para SET/17.

Caladinho desde que foi colocado em liberdade condicional, o empresário picareta Eike Batista está preparando os anexos de uma delação premiada em que citará o ex-presidente Lula, o ex-ministro Guido Mantega e o ex-governador Sérgio Cabral.

Ao invés de cuidar da cidade que foi eleito prefeito, Doria, que é principal fiador da manutenção do PSDB na base aliada de Temer, voltou a fazer duras críticas ao ex-presidente Lula e a Dilma, que ele classificou como anta, ressaltando que os referidos petistas enterraram o Brasil em 13 anos de governo.

A expectativa de que Palocci entregue um suposto esquema de venda de dados nos governos do PT para bancos levou advogados de poupadores a questionarem o que teria motivado seu “companheiro” Mantega a defender instituições financeiras nas ações sobre os planos econômicos.

Abrindo o bolsa para manter Temer no poder, o Planalto, mesmo diante de uma enorme crise das contas públicas, liberou nos últimos 2 meses R$ 1bi para projetos de emendas de parlamentares, valor que é 31% maior do que o mesmo período do ano passado.

Crítica:

Envergonhando o país, mesmo com a aprovação de novas verbas para a retomada da emissão de passaportes, o aperto orçamentário segue preocupando a Polícia Federal e agora os delegados têm alertado que já em AGO/17 pode faltar dinheiro para recursos básicos, como combustível, pagamento de diárias e manutenção de equipamentos.

Enquanto no Reino Unido 2,3% do PIB é gasto com o pagamento de aposentadoria dos funcionários públicos, no Brasil, mostrando que “a família real tupiniquim é composta de servidores públicos”, este percentual já está em 3,5% do PIB, o que representa o maior patamar entre os 34 países desenvolvidos reunidos na Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico.

PAZ, amor e bons negócios;
Alfredo Sequeira Filho

O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer crítica, dúvida ou sugestão, favor contatar: alfredo@relatoriobrasil.com

Conheça e indique nosso Blog: www.relatoriobrasil.com
Curta nossa página no Facebook: www.facebook.com/relatoriobrasil

Nenhum comentário:

Postar um comentário