R.B. 6/JUN/17 "Mais um amigão de Temer atrás das grades"



"Mais um amigão de Temer atrás das grades"

São Paulo, 6 de junho de 2017 (TERÇA-FEIRA).

Mercados e Economia:

Hoje (1) a BOVESPA deve seguir em queda, acompanhando o recuo das commodities e as perdas das demais bolsas mundiais e principalmente prejudicada pela constante piora do cenário político tupiniquim e (2) o DÓLAR pode voltar a subir, para fechar o dia acima dos R$ 3,30, acompanhando a esperada piora do “humor” na bolsa brasileira e assim ampliando a ainda pequena valorização acumulada (4,9%) desde que foi divulgado do teor de conversas do presidente Temer com o empresário picareta Joesley Batista, dono da Friboi.

Ontem, no BRASIL, (1) a BOVESPA caiu -0,1%, aos 62.450pts, com baixo volume de negócios (R$ 5,7bi), acompanhando as perdas das demais bolsas mundiais, que são prejudicadas pelo recuo das commodities e pelo aumento da tensão geopolítica, e também prejudicada pela insistência do presidente Temer em permanecer no poder mesmo diante da enorme quantidade de denúncias contra ele e (2) o DÓLAR subiu 1,1% à R$ 3,29, seguindo a trajetória internacional da moeda norte-americana e impulsionado pelos mesmos motivos que derrubaram a bolsa tupiniquim.

Também ontem, nas principais bolsas (1) da ÁSIA, Japão -0,1% e China -0,4%, prejudicadas pelo último ataque terrorista em Londres e pelo recuo das commodities, (2) da EUROPA, realizando lucros recentes, Inglaterra -0,3%, França -0,7% e Alemanha -0,6%, com os investidores cautelosos diante da aproximação das eleições gerais do Reino Unido e a decisão de juros do BC Europeu e (3) dos EUA, também realizando lucros recentes, S&P -0,1%, DJ -0,1% e NASDAQ -0,2%, com destaques de queda para as ações dos setores de viagem e lazer, como Royal Caribbean Cruises (-1,2%), Wynn Resorts (-1,0%) e Host Hotels & Resorts (-1,7%)prejudicadas pelo ataque terrorista em Londres.

Ressaltando que “está ruim, mas poderia ser pior”, o gigante banco global UBS divulgou um relatório afirmando que a recuperação dos países mais desenvolvidos do mundo e fundamentos mais sólidos da economia brasileira permitiram que o mercado financeiro tivesse uma reação mais pontual e controlada ante a crise desencadeada pelas delações do empresário Joesley Batista.

Já refletindo o corte de -1,0% da taxa básica de juros promovida pelo Copom na semana passada, o “mercado”, mostrando um pouco mais de otimismo, reduziu, de 3,95% para 3,90%, suas “apostas” para o IPCA de 2017 e elevou, de 0,49% para 0,50%, suas previsões para o desempenho do PIB tupiniquim neste ano.

Como, diante de políticas desastrosas de estímulo ao consumo irresponsável do governo Dilma, a população brasileira aprendeu “à duras penas” a controlar seus impulsos de comprar, o consumo interno, que sempre foi um dos principais motores da economia brasileira, tem exibindo sinais cada dia maiores de fraqueza, o que deve dificultar a saída da recessão em que o país afundou há mais de 2 anos.

Por conta da instabilidade política e da fraqueza da economia tupiniquim, o percentual da força de trabalho do país com alguma ocupação recuou para 86% entre JAN/17 e ABR/17, o que representa o mais baixo patamar em mais de 2 décadas e o que acontece de maneira contínua desde o início de 2015.

Ajudando cada dia mais no equilíbrio das contas do país, no acumulado de doze meses, de JUN/16 até MAI/17, a  balança comercial brasileira acumulou um superávit de US$ 57bi, valor que é 36,9% superior ao saldo alcançado em equivalente período anterior (US$ 41,7bi de JUN/15 até MAI/16).

-    A Petrobras subiu 1,0%, na contramão da trajetória internacional do petróleo e também contrariando a tendência de queda da bolsa tupiniquim, após Pedro Parente, presidente da referida estatal, ressaltar que suas prioridades são (1) a melhora em regras de governança da empresa, (2) a elevação da frequência de alterações nos preços dos combustíveis e (3) incluir a fatia que possui na Braskem entre os ativos que pretende vender ou fazer parcerias dentro de seu plano de desinvestimentos.
-    O Google subiu 0,8% na bolsa de NY, após chegar durante o pregão a ultrapassar brevemente o patamar histórico de US$ 1 mil por ação, em mais uma demonstração de força do setor de tecnologia.

Política:

Preocupando cada dia mais o establishment tupiniquim, o deputado federal Jair Messias Bolsonaro, do PSC do RJ, ultrapassou o senador tucano Aécio Neves, que está afastado do cargo por ordem judicial, e se tornou a maior página no Facebook de um político presidenciável ao pleito de 2018, já que agora conta com 4,291 milhões de seguidores na referida rede social.

Colocando “mais um amigão de Temer atrás das grades”, na manhã de hoje a Polícia Federal prendeu o peemedebista Henrique Eduardo Alves, ex-ministro do Turismo e ex-presidente da Câmara, que é acusado de corrupção ativa e passiva, além de lavagem de dinheiro, na construção da Arena das Dunas, o inútil estádio construído em Natal para a Copa do Mundo.

Hoje, em um “jogo de cartas marcadas”, o TSE, comandado por “amigos” do presidente Temer, deve inocentar ou adiar o julgamento da chapa Dilma-Temer, que é acusada, com toda razão, de abuso de poder econômico e de uso de Caixa 2 durante a campanha presidencial de 2014.

As especulações em torno dos votos no julgamento da ação no TSE, que dizem que a chapa Dilma-Temer será inocentada por 6 votos a 1, têm irritado ministros da corte, provavelmente e obviamente por estarem corretas.

Depois do encontro cordial do presidente Temer com Alckmin, o governador de SP, na sexta-feira passada, o líder do PSDB na Câmara, Ricardo Tripoli, desistiu de participar da reunião do diretório paulista do partido.

Se parecendo cada vez mais com o PMDB, que sempre está ao lado do poder, a cúpula tucana decidiu isolar o presidente da legenda em São Paulo, Pedro Tobias, e tratar sua posição sobre o desembarque do PSDB do governo como uma decisão monocrática, que não conta com o amparo de Alckmin, principal líder da sigla no Estado.

Pessoas que costumam acompanhar de perto o trabalho de Rodrigo Janot na PGR acreditam que ele apresentará denúncia contra Michel Temer antes de 26/JUN/17, data em que termina a campanha dos candidatos à lista tríplice.

Ontem integrantes do Senado fizeram as contas e disseram que, apesar da pressão do governo e das promessas de fidelidade, existe sim um sério risco de a reforma trabalhista não ser aprovada esta semana, como quer o Palácio do Planalto.

Crítica:

Como as autoridades tupiniquins sempre são “boazinhas” com quem é “mais importante”, à espera de acordos de compartilhamento de dados com mais nações, a Receita Federal decidiu prorrogar, de JUL/17 para DEZ/17, o prazo para que multinacionais entreguem seus relatórios sobre a atuação global das companhias.

No dia 18/JUN/17 (domingo) acontecerá a parada gay em SP, que já é uma das maiores do mundo, porém, mostrando que ainda “é preciso ser muito macho para ser gay no Brasil”, o nosso país é, vergonhosamente, campeão mundial de assassinato de homossexuais.

Em resposta à aqueles que dizem que a referida autarquia “só pega peixe pequeno”, a CVM decidiu que os julgamentos de processos e inquéritos abertos recentemente envolvendo a JBS e sua controladora J&F são uma prioridade.

PAZ, amor e bons negócios;
Alfredo Sequeira Filho

O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer crítica, dúvida ou sugestão, favor contatar: alfredo@relatoriobrasil.com

Conheça e indique nosso Blog: www.relatoriobrasil.com
Curta nossa página no Facebook: www.facebook.com/relatoriobrasil


Nenhum comentário:

Postar um comentário