R.B. 16/MAI/17 "Presidiário VIP"



"Presidiário VIP"

São Paulo, 16 de maio de 2017 (TERÇA-FEIRA).

Mercados e Economia:

Hoje (1) a BOVESPA deve subir, mesmo após 5 pregões seguidos de alta e depois de fechar o pregão anterior no maior patamar desde 22/FEV/17, seguindo a valorização do petróleo, beneficiada pelo aumento das “apostas” de aprovação da reforma da previdência e impulsionada pelos sinais de que o Copom pode cortar a taxa básica de juros da economia tupiniquim em -1,25% na reunião do final deste mês e (2) o DÓLAR pode seguir em queda, para romper o “suporte” dos R$ 3,10, acompanhando a esperada manutenção do “bom humor” na bolsa tupiniquim e pressionado pelas expectativas de aumento do fluxo positivo de recursos externos diante de uma nova captação da Petrobrás e do início dos trabalhos do fundo bilateral China/Brasil.

Ontem, no BRASIL, (1) a BOVESPA subiu 0,4%, com bom volume de negócios (R$ 12,2bi) por conta do vencimento de opções, impulsionada por boas notícias corporativas e beneficiada principalmente pela boa valorização das commodities e (2) o DÓLAR caiu -0,6% à R$ 3,10, para fechar em território negativo pelo quinto pregão consecutivo, acompanhando a trajetória internacional da moeda norte-americana e seguindo a melhora do “humor” na bolsa tupiniquim.

Também ontem, nas principais bolsas (1) da ÁSIA, mesmo após mais um teste de míssil realizado pelo ditador maluco da Coreia do Norte no fim de semana, Japão 0,1% e China 0,2%, sustentadas pelas empresas de tecnologia de informação, que acabaram sendo beneficiadas pelo ataque mundial a computadores, (2) da EUROPA, Inglaterra 0,3%, França 0,2% e Alemanha 0,3%, em sessão uma marcada pelo avanço do petróleo, que beneficiou ações do setor de energia, e pela divulgação de que o PIB de Portugal cresceu 2,8% na comparação anual e (3) dos EUA, com o Nasdaq e o S&P fechando o dia nos maiores patamares da história, S&P 0,5%, DJ 0,4% e NASDAQ 0,5%, desta vez impulsionadas principalmente pelas ações das mineradoras, na esteira de um avanço dos metais básicos, após o presidente da China, Xi Jinping, se comprometer no fim de semana com mais de US$ 100bi em novos financiamentos, como parte de uma grande iniciativa de infraestrutura em várias nações.

Finalmente, após 2 anos seguidos de recessão, dando uma boa nova da economia tupiniquim, o IBC-Br, que é uma espécie de prévia do PIB, cresceu 1,12% no primeiro trimestre deste ano em relação aos 3 últimos meses do ano passado, influenciado principalmente pelo ótimo desempenho do setor agrícola.

“Apostando alto no Brasil”, o fundo binacional chinês e brasileiro para financiar empreendimentos, anunciado há 2 anos pelo presidente da China, começará a funcionar em 1/JUN/17 e terá US$ 20bi, a serem aportados na proporção de 1 dólar do Brasil para cada 3 da China.

“Forçando a barra” para o Copom cortar a taxa básica de juros tupiniquim em no mínimo -1,25% na sua reunião do final deste mês, o “mercado” (1) reduziu pela 10ª semana seguida suas “apostas” para o IPCA deste ano, desta vez de 4,01% para 3,93%, e (2) elevou, de 0,47% para 0,50%, suas expectativas para o desempenho do PIB do país em 2017.

Impulsionada pelas exportações do setor agrícola, a balança comercial tupiniquim registrou um superávit de US$ 2,0bi na semana passada, que foi auferido diante de um aumento de 5,4% das exportações e diante da queda de -17,2% das importações, ambas na comparação com a semana anterior.

O Petróleo subiu 2,5% e assim se aproximou dos US$ 50,00 por barril, diante da sinalização da Rússia e da Arábia Saudita sobre a possibilidade de extensão do acordo de cortes na produção de petróleo do cartel da OPEP.

-    A Symantec subiu 3,2% na bolsa de NY, já que a empresa, que é fabricante de um software antivírus, pode se beneficiar do ataque cibernético global.
-    A Petrobrás subiu 1,5%, acompanhando a valorização internacional do petróleo (2,5%) e, após o fechamento do pregão, a empresa anunciou que (1) captou US$ 4bi por meio da emissão de títulos da dívida e (2) deu início à venda de um campo de gás no Amazonas, que será o primeiro ativo de seu novo plano de desinvestimentos.

Política:

Em busca de votos para aprovar a imprescindível reforma da previdência, o governo Temer cedeu nas negociações com o Congresso e, mais uma vez beneficiando caloteiros, concordou em permitir descontos de multas e juros no novo programa criado para regularização de dívidas de empresas com o fisco.

Agora com o objetivo de “comprar apoio” da classe média, o presidente Temer afirmou ont6em, a despeito da péssima situação das contas públicas tupiniquins, que p avalia corrigir no início do segundo semestre a tabela do Imposto de Renda para ampliar a atual faixa de isenção.

Pedindo, com toda a razão, a cassação da chama Dilma-Temer que venceu as eleições presidenciais de 2014 usando dinheiro de propina e caixa 2, ontem o ministro Herman Benjamin, do Tribunal Superior Eleitoral, apresentou seu parecer sobre o caso e agora caberá ao presidente da referida corte, o ministro Gilmar Mendes, marcar uma nova data para o julgamento ser retomado.

Colocando, aos poucos, “suas manguinhas de fora”, Dória, prefeito de SP, fugiu do tom até então habitual em suas declarações quando questionado sobre a sucessão de 2018, e disse, diretamente de NY, que o candidato de seu partido à Presidência será "aquele que a população desejar".

O apoio do PMDB a uma possível candidatura de Doria à Presidência da República em 2018 passou a ser defendido no diretório paulista da sigla como maneira de tentar atrair o PSDB para a chapa de Paulo Skaf à sucessão de Alckmin.

Se aproximando no número de títulos nacionais do Palmeiras (9), o peemedebista Sérgio Cabral, ex-governador do RJ e atualmente “presidiário VIP”, foi alvo da oitava denúncia na Operação Lava Jato, desta vez por desvios na área de saúde que chegam a R$ 16mi.

Crítica:

Com o estado tupiniquim metendo o bedelho em tudo, agora a gorjeta, que é um valor pago pelo cliente de forma espontânea e que era paga diretamente ao garçom, livre de incidências sobre as verbas trabalhistas, foi regulamentada pelo governo e, com isso, as empresas poderão reter uma fatia entre 20% e 33% desses valores para o pagamento de impostos e encargos.

Como “quanto mais se procura mais se acha corrupção no Brasil”, hoje a Polícia Federal deflagrou a Operação Lucas, que investiga supostos crimes de corrupção envolvendo servidores do Ministério da Agricultura, Agropecuária e Abastecimento e empresas fiscalizadas e que começou após denúncia de que frigoríficos e empresas de laticínios fiscalizadas teriam sido favorecidas em processos administrativos, por meio do retardamento na tramitação e anulação de multas.

Como tem bastante culpa no cartório, está bastante abalado com a última operação da PF e tem medo de ser preso, o empresário Joesley Batista, dono da Friboi, decidiu avançar nas negociações para um acordo de delação premiada.

PAZ, amor e bons negócios;
Alfredo Sequeira Filho

O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer crítica, dúvida ou sugestão, favor contatar: alfredo@relatoriobrasil.com

Conheça e indique nosso Blog: www.relatoriobrasil.com
Curta nossa página no Facebook: www.facebook.com/relatoriobrasil


Nenhum comentário:

Postar um comentário