R.B. 5/ABR/17 "Mais um duro golpe na democracia tupiniquim"



"Mais um duro golpe na democracia tupiniquim"

São Paulo, 5 de abril de 2017 (QUARTA-FEIRA).

Mercados e Economia:

Hoje (1) a BOVESPA deve seguir em alta, acompanhando o movimento ascendente das principais bolsas mundiais, beneficiada pela melhora do cenário político tupiniquim e impulsionada pela valorização das commodities e (2) o DÓLAR pode voltar a cair, seguindo a esperada melhora do “humor” na bolsa tupiniquim e influenciado pela expectativa de aumento do fluxo positivo de recursos externos.

Ontem, no BRASIL, (1) a BOVESPA subiu 0,8%, revertendo uma abertura negativa, novamente com baixo volume de negócios (R$ 5,7bi), impulsionada pelas ações da Petrobrás (1,3%) e da Vale (3,6%), beneficiadas pela valorização das commodities, e com os investidores “animados” com a suspensão, por tempo indeterminado, do julgamento da chapa Dilma-Temer no TSE e (2) o DÓLAR caiu -0,6% à R$ 3,09, também revertendo o movimento da abertura, influenciado pelos mesmos motivos que levaram a valorização da Bovespa e também pelo ótimo superávit da balança comercial brasileira em MAR/17.

Também ontem, nas principais bolsas (1) da ÁSIA, China permaneceu fechada por feriado local e Japão -0,9%, no menor nível em 10 semanas e com destaques de queda para as montadoras Nissan (-2,9%) e Honda (2,7%), (2) da EUROPA, Inglaterra 0,5%, França 0,3% e Alemanha 0,2%, beneficiadas pelo crescimento acima do esperado das vendas do varejo da zona do euro em FEV/17 e impulsionadas pela recuperação das ações dos bancos, após Trump, presidente dos EUA, “garantir” que serão reduzidas as regulações no seu país e (3) dos EUA, S&P 0,1%, DJ 0,2% e NASDAQ 0,1%, com baixa volatilidade e com destaques de alta para os papéis dos setores manufatureiro e de energia.

Defendendo, com toda a razão, o projeto de terceirização sancionado pelo presidente Temer na semana passada e a minirreforma trabalhista que tramita no Congresso, Meirelles, ministro brasileiros da fazenda, “garantiu” que, assim como já aconteceu em outras partes do mundo, estas medidas vão gerar mais empregos e melhorar a renda do brasileiro.

Mostrando otimismo, algo que é quase que uma obrigação par ao cargo que exerce, Luiz Carlos Trabuco, presidente do Bradesco, afirmou que a retomada do crescimento brasileira está muito próxima, “garantindo” que o segundo semestre de 2017 vai ser muito melhor que o primeiro e ressaltando que a expansão do crédito ocorrerá a partir do aumento da taxa de investimento e não do consumo.

Confirmando, pela enésima vez, que ainda vai durar bastante a crise no setor imobiliário tupiniquim, em JAN/17 as vendas de imóveis novos na cidade de SP recuaram -22,2% na comparação com JAN/16 e assim registraram o pior resultado desde 2004, porem mesmo assim o sindicato paulista da habitação, que engana incautos e tem enormes conflitos de interesses, continua “garantindo” que este ano as vendas crescerão até 10%.

Dando sinais, ainda incipientes e pouco sólidos, que o pior momento da economia brasileira já pode ter passado, em FEV/17 a produção industrial tupiniquim cresceu 0,1% na comparação com JAN/17, com destaque positivo para a produção de máquinas, considerada importante termômetro dos investimentos, que avançou 9,8% na mesma base de comparação.

Atoladas em dívidas e ainda “recolhendo os cacos do caos” causado pelas gestões de Lula e de Dilma, em 2016 a cada R$ 100 que as empresas estatais planejavam investir só R$ 74 saíram do papel, o que representa o mais baixo percentual de execução de investimentos das empresas do governo federal, que na grande maioria deveriam ser privatizadas, desde 2000.

-    A Petrobrás subiu 1,3%, acompanhando a valorização do petróleo e, após o fechamento do pregão, a empresa anunciou que concluiu a operação de venda da subsidiária Nova Transportadora do Sudeste  por US$ 4,2bi.
-    A inovadora Tesla subiu 7,0% na bolsa de NY, e assim fechou no maior patamar da sua história e superou a tradicional Ford em valor de mercado, beneficiada pelo anuncio de um recorde de vendas no primeiro trimestre deste ano.

Política:

Com Gilmar Mendes rasgando a lei e logrando êxito em seu intento de arrastar o caso até o término do mandato do presidente Temer, ontem foi anunciada a suspensão, por tempo indeterminado, do julgamento da chapa Dilma-Temer no TSE, o que facilita a aprovação das reformas, estabiliza a economia mas é “mais um duro golpe na democracia tupiniquim”, já que confirma a tolerância do judiciário brasileiro com crimes que estão mais do que comprovados, como abuso de poder econômico e o emprego de recursos sujos.

Com potencial para atingir muito “peixe graúdo”, o peemedebista Osmar Serraglio, atual ministro da Justiça, ontem o fiscal agropecuário Daniel Gonçalves Filho, preso há mais de 20 dias pela Operação Carne Fraca e apontado como líder de um esquema de corrupção na fiscalização de frigoríficos, decidiu fazer acordo de delação com o Ministério Público Federal.

Aproximando a ex-presidenta Dilma da cadeia, Edson Fachin, ministro do Supremo Tribunal Federal e relator dos processos relacionados à Operação Lava Jato, homologou ontem o acordo de colaboração premiada assinado entre o Ministério Público Federal e o marqueteiro da campanha de 2014 da chapa Dilma-Temer, João Santana, que admitiu ter recebido a US$ 4,5mi no exterior por meio de caixa dois para a campanha eleitoral petista de 2010.

“Batendo de frente com o chefe de sua quadrilha”, mesmo após se reunir com o ex-presidente Lula, que defende o nome da senadora Gleisi Hoffmann, o senador petista Lindbergh Farias se recusou a abrir mão de disputar a presidência nacional do PT, ressaltando que não poderia abandonar seus apoiadores, os integrantes do movimento "Muda PT".

Com a participação de petistas, tucanos e peemedebistas, que brigam na frente das câmeras mas nos bastidores são amigos fraternos, Gilmar Mendes, ministro do Supremo Tribunal Federal Gilmar Mendes, coordenará, de 18 a 20/ABR/17, a quinta edição de um seminário jurídico em Portugal.

Com receio da aprovação de flexibilizações nas reformas governistas, o presidente Temer, auxiliado pelo senador tucano Aécio e pelo senador peemedebista Romero Jucá, iniciou uma reaproximação com o senador peemedebista Renan Calheiros para evitar que sua insatisfação com a gestão federal contamine a base aliada.

Embora o prefeito Doria trabalhe para aprovar parte de seu pacote de privatizações na Câmara até MAI/17, os vereadores de SP, obviamente em busca de barganhas, querem esticar as discussões.

Ao comentar sobre a proposta de “lista fechada”, em que o eleitor escolhe um rol de candidatos pré-definido pelos partidos, o deputado democrata Osmar Bertoldi afirmou que a reforma política do jeito que está é uma volta ao coronelismo, ressaltando que apenas os caciques dos partidos vão conseguir se eleger.

Crítica:

Finalmente falando algo útil, o economista Delfim Netto, que apoiou todos os governos desde o regime militar até hoje, afirmou que a Lei da Terceirização, finalmente aprovada pelo Congresso depois de 20 anos de discussão, mostra a disposição do atual governo de resistir à gritaria de inverdades proclamadas pelos sindicatos, que na verdade estão preocupados com o fim do despautério de um "imposto sindical" obrigatório, atualmente cobrado até dos que não são sindicalizados.

PAZ, amor e bons negócios;
Alfredo Sequeira Filho

O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer crítica, dúvida ou sugestão, favor contatar: alfredo@relatoriobrasil.com


Conheça e indique nosso Blog: www.relatoriobrasil.com
Curta nossa página no Facebook: www.facebook.com/relatoriobrasil



Nenhum comentário:

Postar um comentário