R.B. 24/ABR/17 "Perdendo de lavada da inflação"



"Perdendo de lavada da inflação"

São Paulo, 24 de abril de 2017 (SEGUNDA-FEIRA).

Mercados e Economia:

Hoje (1) a BOVESPA deve subir, com "boas chances" de zerar as perdas ainda registrada no o mês (-1,9%), acompanhando a forte melhora do "humor" nas principais bolsas mundiais diante da valorização do petróleo e do resultado "animador" do primeiro turno das eleições presidenciais na França e (2) o DÓLAR pode cair, influenciado pela esperada valorização da bolsa brasileira e também pela expectativa de aumento do fluxo positivo de recursos externos oriundos de exportações, captações e "investimentos".

Quinta-feira, no BRASIL, (1) a BOVESPA subiu 0,6%, recuperando metade das perdas registradas no pregão anterior (1,2%), acompanhando a melhora do "humor" nas principais bolsas mundiais, beneficiada pela valorização das commodities e impulsionada pelo aumento das "apostas" de avanço de matérias de interesse do governo Temer no Congresso Nacional e (2) o DÓLAR subiu 0,3% à R$ 3,15, em alta pelo terceiro pregão seguido, recuperando perdas recentes e em um movimento de cautela antes do final de semana prolongado no Brasil.

Sexta-feira, nas principais bolsas (1) da ÁSIA, Japão 1,0% e China 0,1%, acompanhando os ganhos das bolsas de NY na quinta-feira e beneficiadas pelo anúncio de que o índice dos gerentes de compras do setor industrial japonês subiu de 52,4pts em ABR/17 para 52,8pts em ABR/17, (2) da EUROPA, sem uma tendência única, Inglaterra -0,1%, França -0,4% e Alemanha 0,2%, com investidores cautelosos após o ataque terrorista em Paris ocorrido às vésperas da eleição presidencial francesa e (3) dos EUA, mesmo após Trump ter prometido que seu governo divulgará um pacote da reforma tributária "em breve", S&P -0,3%, DJ -0,2% e NASDAQ -0,1%, com as ações do setor de energia prejudicadas pela forte queda do petróleo, para abaixo de US$ 50,00 o barril.

"Lutando" pelos interesses tupiniquins, Meirelles condenou, cautelosamente sem mencionar os EUA, a possível retomada do protecionismo por países desenvolvidos e defendeu uma "responsabilidade global compartilhada" na atual recuperação mundial durante uma reunião do FMI que participou representando o brasil neste final de semana.

"Coberto de razão", Alejandro Werner, diretor do Departamento de Hemisfério Ocidental do FMI, divulgou um comunicado ressaltando que é "imperativo" que o Brasil aprove a reforma da previdência para restabelecer a sustentabilidade fiscal do país e garantir que o sistema de aposentadoria esteja em condições de sustentar as futuras gerações dos brasileiros.

-    Aparentando otimismo com o país, Christine Lagarde, diretora-gerente do FMI, afirmou que a economia brasileira "virou a página" por causa, em parte, das políticas fiscal e monetária adotadas recentemente pelo governo.

Dando uma ótima notícia ao Brasil, a Associação Mundial de Aço, que representa mais de 160 produtores de aço responsáveis ​​por 85% da produção mundial, elevou de 0,5% para 1,3% suas perspectivas de crescimento da demanda mundial por aço em 2017 na comparação com 2016, ressaltando que fez isto devido à recuperação das economias desenvolvidas e ao crescimento acelerado dos mercados emergentes e em desenvolvimento, especialmente Rússia, Brasil e Índia.

-    Apresentando sinais divergentes da economia tupiniquim, em MAR/17 (1) foram perdidos 63.624 mil empregos com carteira assinada no país e (2) a demanda por voos domésticos subiu 5,9% ante o mesmo período de 2016.

Como, diante da crise e da inevitável e já previsível retração do mercado imobiliário, as construtoras não se interessaram pelos títulos que autorizam a construção de prédios mais altos do que o permitido na área, 6 anos após comprar os R$ 6,4mi de títulos imobiliários da região, o Fundo de Investimento Imobiliário Porto Maravilha, gerido pela Caixa Econômica Federal, reconheceu oficialmente que os papéis estão encalhados.

Tomando, com muita cautela, o espaço dos bancos, que são caros, ineficientes e burocráticos, as cooperativas tupiniquins de crédito planejam desacelerar seus investimentos em expansão física no país e deverão ampliar os aportes em sistemas de tecnologia neste ano.

Fruto da onda de demissões, que nos últimos 2 anos fez crescer o número de pessoas que trabalham por conta própria, abrindo seus próprios negócios ou atuando sem registro, de acordo com as estatísticas do IBGE, o grupo que trabalha sem carteira assinada chegou no fim do ano passado à marca de 50% da população ocupada no Brasil, atingindo assim o maior patamar dos últimos 5 anos.

Mostrando o tamanho do estrago causado na economia tupiniquim com a rapinagem dos petistas à Petrobrás, o número de empresas que vendem produtos ou prestam serviços à referida estatal caiu -22% no ano passado na comparação com 2015, o que representou uma retração de 18 mil fornecedores para 12,6 mil.

Agora administrado por gente séria e que busca resultados de longo prazo, o Grupo Pão de Açúcar, que registrou alta de 6,7% da sua receita líquida no primeiro trimestre em relação ao mesmo período do ano anterior, anunciou que em 2017 pretende converter de 15 a 20 lojas de hipermercados Extra para o formato de atacarejos Assaí.

-    "Perdendo de lavada da inflação" (4,6% nos últimos 12 meses), em MAR/17 o preço médio do aluguel na cidade de SP registrou um aumento de apenas 1,6% na comparação com MAR/16.
-    Segundo Marcio Kumruian, fundador da empresa, foi o mau desempenho de empresas de comércio eletrônico na Bolsa tupiniquim um dos principais motivos para a varejista eletrônica Netshoes abrir capital nos EUA na semana passada.

-    A Vale subiu 5,9%, diante da divulgação de que sua produção de minério de ferro subiu 11,2% na comparação entre o primeiro trimestre deste ano e o mesmo período do ano anterior.
-    Petrobrás subiu 2,1%, diante das expectativas, confirmadas no final de semana, de redução da produção mundial pelo cartel da OPEP e ainda sem saber do aumento dos preços do diesel (4,3%) e da gasolina (2,2%) anunciados pela empresa após o fechado do pregão.

Política:

Focando no que é importante, ontem, em reunião com ministros, senadores e deputados da base aliada, o presidente Temer afirmou que todos devem fazer uma mobilização em prol da Previdência, ressaltando que não quer mais mudanças na proposta apresentada pelo relator.

Legislando, como sempre, em causa própria, e prejudicando, como de costume, os cofres públicos, os "nobres" parlamentares que devem à União R$ 3bi em tributos inscritos na dívida ativa tentam se beneficiar com o perdão dos débitos em uma negociação para alterar a medida provisória que instituiu o Programa de Regularização Tributária, que é uma nova regra de parcelamento com a Receita Federal.

Apesar da pesquisa, provavelmente fraudada, dizendo que Lula é favorito, a cúpula do PT não acredita mais na possibilidade de o ex-presidente chegar a AGO/18, quando ocorre o registro de candidaturas, sem condenação colegiada que o deixe inelegível e agora "aposta" em liminar a ser obtida no STF ou STJ.

Novo mecenas dos picaretas, o tucano Alckmin, governador de SP, reforçou com recursos do Tesouro, no segundo semestre de 2016, o orçamento de obras em andamento em São Paulo tocadas por empreiteiras investigadas na Lava Jato, como Queiroz Galvão, Serveng, OAS, Camargo Corrêa e Odebrecht.

-    Temendo o pior, os petistas ainda têm esperanças de que Palocci não faça delação premiada, ou ao menos poupe o partido, apesar dos enfáticos sinais em sentido contrário.
-    Mesmo em um cenário otimista, a articulação política do governo Temer contava, no fim da semana passado, com um déficit de pelo menos 30 votos para aprovar a reforma na Câmara.
-    Às vésperas da votação da reforma trabalhista, a direção da Força Sindical enviou carta aos deputados afirmando que, se aprovarem o fim da contribuição obrigatória aos sindicatos, darão "um tiro no pé".

Crítica:

Provando que não sabem fazer contas e que seguem sendo marionetes nas mãos do PT, os professores da rede particular de ensino decidiram paralisar suas atividades na próxima sexta-feira, quando está marcada uma greve geral convocada por sindicatos e pela oposição contra as reformas da Previdência e das leis trabalhistas.

Neste final de semana, durante a 20ª edição do Interactive Innovation Awards, luvas mágicas japonesas, tatuagens tecnológicas e uma série de firmas de cannabis se concentraram disputaram a atenção dos investidores nos EUA.

Apesar dos sérios indícios de corrupção, o BC afirmou, em nota, que os procedimentos de aprovação da compra do Panamericano pela Caixa foram totalmente técnicos e que, na época da operação, não havia qualquer indício de fraude na contabilidade do banco que pertencia ao apresentador Silvio Santos.

PAZ, amor e bons negócios;
Alfredo Sequeira Filho

O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer crítica, dúvida ou sugestão, favor contatar: alfredo@relatoriobrasil.com

Conheça e indique nosso Blog: www.relatoriobrasil.com
Curta nossa página no Facebook: www.facebook.com/relatoriobrasil

Nenhum comentário:

Postar um comentário