R.B. 20/ABR/17 "Agressivo e corajoso"



"Agressivo e corajoso"

São Paulo, 20 de abril de 2017 (QUINTA-FEIRA).

Mercados e Economia:

Hoje (1) a BOVESPA deve subir, recuperando parte das perdas registradas no pregão anterior, acompanhando a melhora do “humor” nas principais bolsas mundiais, beneficiada pela valorização das commodities e impulsionada pelo avanço de matérias de interesse do governo Temer no Congresso Nacional e (2) o DÓLAR pode cair, em um “ajuste técnico” após a forte alta de ontem, influenciado pelos mesmos motivos que devem animar a bolsa tupiniquim e também por um leilão de venda anunciado pelo BC após o fechamento do pregão anterior.

Ontem, no BRASIL, (1) a BOVESPA caiu -1,2%, revertendo uma abertura positiva, na qual chegou a avançar 0,6%, prejudicada principalmente por uma forte queda do petróleo (-3,8%) no mercado internacional e pelo desconforto do “mercado” com o andamento da reforma da Previdência e com o avanço das investigações da operação Lava Jato que agora investiga dos “bancos do Itaim Bibi” e (2) o DÓLAR subiu 1,1% à R$ 3,15, em alta pelo segundo dia seguido, impulsionado pelos mesmos motivos que derrubaram a bolsa tupiniquim e acompanhando a trajetória internacional da moeda norte-americana, que avançou ante outras moedas emergentes e de países exportadores de commodities.

Também ontem, nas principais bolsas (1) da ÁSIA, Japão -0,2% e China -0,8%, com o apetite por risco prejudicado por fatores geopolíticos, já que em um discurso feito em um porta-aviões estacionado em mar japonês, o vice-presidente dos EUA, Mike Pence, voltou a alertar a Coreia do Norte a não testar a determinação dos militares norte-americanos, (2) da EUROPA, sem uma tendência única, Inglaterra -0,5%, já que o Parlamento britânico aprovou a convocação de eleições antecipadas para 8/JUN/17, o que deve fortalecer a posição do governo nas negociações da saída da União Europeia, porem França 0,3% e Alemanha 0,2%, recuperando uma pequena parte das fortes perdas do pregão anterior, influenciadas por uma série de balanços corporativos melhores do que o esperado, como da Lufthansa (4,2%) e do BNP (1,8%) e (3) dos EUA, também sem uma tendência única, S&P -0,2%, DJ -0,6% e NASDAQ 0,2%, com as ações de companhias ligadas ao setor de energia mostrando forte queda, acompanhando o preço das commodities, e as ações de tecnologia recuperando as perdas do pregão anterior diante de uma visão mais otimista por parte dos investidores quanto ao pedido de revisão do visto H1-B, que é destinado a trabalhadores estrangeiros.

Reduzindo as “apostas” de que o Copom será mais “agressivo e corajoso” nas próximas reuniões, cortando a taxa básica de juros mais do que cortou na última reunião (-1,0%), Ilan Goldfajn, presidente do BC tupiniquim, repetiu ontem que considera adequado o atual ritmo de redução da Selic, ressaltando também que qualquer mudança dependerá da evolução da atividade econômica, dos demais fatores de risco e das projeções e expectativas de inflação.

Mais uma vez mostrando um “otimismo moderado” com o futuro do Brasil, o FMI afirmou, em um novo relatório, que a aprovação da PEC que limita os gastos públicos nos próximos 20 anos e a possível concretização de reformas, como a da Previdência, devem ajudar a reduzir o déficit primário do Brasil nos próximos anos, ressaltando que se tudo correr como esperado o país voltará a ter superávit primário em 2020, quando alcançará um resultado positivo relativo a 0,7% do PIB (contra -2,3% previstos para este ano).

Deixando “os banqueiros do Itaim Bibi com os nervos à flor da pele”, ontem, quase 8 anos depois da venda do banco PanAmericano, a Polícia Federal deflagrou uma operação para apurar suspeitas de pagamento de propina, consultoria fraudulenta e lavagem de dinheiro na transação que foi aprovada pelo BC que, ao que tudo indica, lesou a Caixa em mais de R$ 700 milhões.

Podendo ajudar no controle da inflação e com isto acelerar o ciclo de cortes da taxa básica de juros, segundo Dino Antunes Batista, secretário de fomento do Ministério dos Transportes, as concessionárias de rodovias podem ter de reduzir tarifas de pedágio ou ver reduzido o prazo de suas concessões como condição exigida pelo governo federal para renegociar investimentos previstos nos contratos atuais.

Ressaltando que a América Latina é um mercado com potencial de crescimento, a Viacom, conglomerado de TV e cinema do bilionário norte-americano Sumner Redstone, comprou, por um valor não informado, o controle do Porta dos Fundos, que é uma produtora brasileira de humor conhecida por seu canal de YouTube, que é o segundo maior em audiência no Brasil.

Enquanto no Brasil mídia, fiscais e políticos comprados fazem de tudo para esconder a podridão do setor, nos EUA o mercado de produção de carnes, que cresceu 4% em 2016 na comparação com 2015, projeta uma expansão ainda maior de proteínas neste ano de 2017.

-    “Lutando” pelos seus direitos, o Brasil pedirá a constituição de um painel na OMC contra o Canadá, em razão de subsídios do governo central e de Quebec à Bombardier.

Política:

Após Temer, com bastante dinheiro e cargos, pressionar a base aliada, o Palácio do Planalto e os líderes governistas no Congresso, além de conseguirem reunir mais deputados em plenário, finalmente lograram êxito na aprovação do requerimento para acelerar a reforma trabalhista.

Apenas 2 horas após o deputado Arthur Oliveira Maia, relator da reforma da Previdência na Câmara, apresentar novas mudanças ao texto, como a alteração na idade mínima para a aposentadoria de trabalhadoras rurais, Meirelles, ministro da Fazenda, afirmou, tentando salvar alguma coisa, que a proposta do governo já atingiu o "limite" que pode sofrer para ser útil ao país.

Comprovando que os corruptos, além de assaltarem os cofres públicos, acreditam que são donos do Estado, o governo do RJ, falido e comandado pelo governador peemedebista Pezão, pagou em JAN/17 R$ 28.059,09 uma banca de advogados defenderem o ex-secretário de Obras Hudson Braga, preso em NOV/16 por cobrar 1% de propina em cada contrato da sua pasta.

No mesmo dia que pesquisas trouxeram o prefeito Doria à frente de Alckmin e de Aécio em sondagem sobre a eleição presidencial de 2018, o PSDB de SP, na admissão mais explícita de que seus líderes históricos sofreram avarias sérias com a Lava Jato, fez uma reunião, a portas fechadas, com seus jovens prefeitos e deputados para traçar um plano de reorganização interna e proteção do legado do tucanato.

-    Provando novamente que, assim como todos os políticos, só pensa no que é bom para ele, o senador tucano Aécio decidiu não ir a Brasília esta semana para, em Belo Horizonte, organizar sua defesa na Lava Jato.
-    Como se honestidade fosse uma qualidade, e não uma obrigação, Marina Silva publicou mensagem nas redes sociais na qual exalta não ter sido citada na Lava Jato.
-    Com o pedido de vistas ao “espertalhão” projeto de Renan de abuso de autoridade, o Vem Pra Rua usará os próximos dias para pressionar os senadores a não aprovarem a proposta.
-    “Espertalhão”, como de costume, o presidente Temer até agora não adotou medida de transparência proposta publicamente por ele mesmo em NOV/16 de gravar as audiências promovidas no gabinete presidencial.

Se opondo oficialmente à proposta “espertalhona” de Renan Calheiros, o juiz Sergio Moro afirmou que há "risco à independência judicial" se o projeto de abuso de autoridade condicionar que a divergência na interpretação de leis ou fatos pelos juízes tenha que ser "necessariamente razoável e fundamentada".

Crítica:

Dando um “belo exemplo”, atualmente, segundo uma pesquisa da consultoria Mercer, a grande maioria (88%) das empresas brasileiras estende aos cônjuges de casais LGBT os mesmos benefícios concedidos aos heterossexuais, índice que é maior que o da América Latina (83%) e do que na Europa Ocidental (82%).

PAZ, amor e bons negócios;
Alfredo Sequeira Filho

O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer crítica, dúvida ou sugestão, favor contatar: alfredo@relatoriobrasil.com

Conheça e indique nosso Blog: www.relatoriobrasil.com
Curta nossa página no Facebook: www.facebook.com/relatoriobrasil


Nenhum comentário:

Postar um comentário