R.B. 19/ABR/17 "CPT do Brasil"



"CPT do Brasil"

São Paulo, 19 de abril de 2017 (QUARTA-FEIRA).

Mercados e Economia:

Hoje (1) a BOVESPA deve subir, acompanhando a melhora do “humor” nas principais bolsas mundiais, beneficiada pela recuperação dos preços das commodities e influenciada pelo aumento das “apostas” de que o governo conseguirá avançar com a Reforma da Previdência na Câmara e (2) o DÓLAR pode cair, devolvendo a valorização registrada no pregão anterior, seguindo a esperada melhora do “humor” na bolsa brasileira, porém é importante ressaltar que a tendência é de alta, diante da provável intensificação do ritmo de corta da taxa básica de juros tupiniquim.

Ontem, no BRASIL, (1) a BOVESPA caiu -0,3%, devolvendo uma pequena parte da boa alta do pregão anterior (2,4%), acompanhando a piora do “humor” nas principais bolsas mundiais e também pressionada pelo recuo das commodities e por más notícias corporativas e (2) o DÓLAR subiu 0,2% à R$ 3,11, seguindo a valorização internacional da moeda norte-americana e também influenciado pela ata do Copom, que indicou que a taxa básica de juros da economia brasileira pode cair mais do que -1,0% na próxima reunião.

Também ontem, nas principais bolsas (1) da ÁSIA, sem uma tendência única, Japão 0,3%, aliviada pela amenização de preocupações geopolíticas e China -0,8%, ainda diante de temores de que Pequim amplie esforços para combater negócios especulativos, (2) da EUROPA, registrando as maiores baixas diárias em 5 meses, Inglaterra -2,5%, França -1,6% e Alemanha -0,9%, surpreendidas e ainda analisando os efeitos do anúncio inesperado da primeira-ministra do Reino Unido, Theresa May, de antecipar a eleição geral para o dia 8/JUN/17 e (3) dos EUA, acompanhando as perdas das bolsas europeias, S&P -0,3%, DJ -0,5% e NASDAQ -0,1%, também prejudicadas pela divulgação de balanços trimestrais abaixo do esperado, como da Goldman Sachs (-4,7&) e da Johnson & Johnson (-3,1%).

Cumprindo sua promessa de campanha, que é colocar os EUA sempre em primeiro lugar, Trump afirmou ontem, em um discurso em Wisconsin, que assinou um decreto que direciona uma ampla revisão no governo para reforçar as diretrizes de "compre produtos norte-americanos" e "contrate trabalhadores norte-americanos".

Surpreendendo à todos, porém agradando os trabalhistas e os conservadores, Theresa May atribuiu sua decisão de realizar eleições gerais no Reino Unido em menos de 8 semanas à tentativa de fortalecer a posição do seu governo nas negociações da saída do país da União Europeia, ação conhecida como Brexit.

Indicando que no seu próximo encontro a taxa básica de juros deve cair de forma mais intensa, ontem, ao divulgar a ata da reunião do Copom da semana passada, o BC “confessou” que foi levado em consideração um corte superior a -1,0% na Selic, ressaltando que a inflação está controlada e que a economia precisa de mais estímulos.

Finalmente melhorando suas perspectivas para o Brasil, o FMI elevou, de 1,5% para 1,7%, suas “apostas” para o crescimento do PIB tupiniquim em 2018, porem ressaltou que para que o país consiga recuperar o crescimento é necessário (1) a implementação de "ambiciosas reformas" que ataquem despesas "insustentáveis", como na seguridade social, que abarca Previdência, saúde e assistência social e (2) a elevação do investimento e da produtividade, reduzindo os gargalos de infraestrutura, simplificando o código tributário e reduzindo barreiras ao comércio.

Aparentando otimismo, Ilan Goldfajn, presidente do BC tupiniquim, “garantiu” que a subida das taxas de juros no exterior, sobretudo nos EUA, não deve prejudicar o Brasil, que vai se beneficiar com o aumento dos preços das commodities e com a ampliação do ritmo de crescimento dos países desenvolvidos.

“CPT do Brasil”, Roberto Setubal, que também é presidente do Itaú, afirmou que a economia brasileira está em processo de recuperação, mas ainda lenta, ressaltando que não compactua com expectativas de crescimento de 4% para o PIB do país em 2018 por conta do ainda elevado patamar da taxa básica de juros e das dificuldades que as empresas ainda enfrentam.

Cedendo à críticas infundadas e economicamente inviáveis de fabricantes de equipamentos e trabalhadores, a Petrobras, como se fosse presidida por Trump, afirmou ontem que cerca de 40% dos gastos da primeira plataforma da área de Libra, maior descoberta do pré-sal, devem ficar no país, o que obviamente prejudica a rentabilidade do projeto.

-    A Netflix recuou -2,6% na bolsa de NY, em meio a preocupações sobre a capacidade da empresa para atrair e reter novos usuários.
-    A Vale caiu -3,4%, pressionada por mais um forte recuo do preço do minério de ferro (-4,6%) no mercado à vista chinês.
-    A Johnson & Johnson caiu -3,1% na bolsa de NY, após anunciar que que registrou queda nas vendas no primeiro trimestre.

Política:

Provando, pela enésima vez, que o PMDB é um balaio de gatunos sem nenhuma ideologia, ontem, por conta de traições de deputados peemedebistas, o governo Temer foi derrotado na votação do requerimento de urgência para votação da reforma trabalhista, já que o pedido teve apenas 230 votos a favor, quando eram necessários 257.

Como que defendendo seus comparsas, o presidente Temer afirmou, em um discurso para ministros e deputados, que sua base aliada não deve ficar intimidada com a "situação delicada" criada pelas acusações de corrupção contra políticos no âmbito da Operação Lava Jato.

Passando a mão na cabeça de Estados caloteiros e governados por corruptos, como MG e RJ, ontem o plenário da Câmara dos Deputados aprovou, por 301 votos a 127, um projeto de lei complementar que permite que Estados em calamidade financeira deixem de pagar a dívida com a União e com os bancos estatais por 3 anos em troca de uma “promessa” de um rigoroso ajuste fiscal, que prevê privatização de estatais estaduais e congelamento de salários de servidores.

A ideia original do Palácio do Planalto era guardar alterações na idade de aposentadoria das mulheres, por exemplo, para a votação em plenário, planejada para MAI/17, porem, para tentar dobrar resistências na base aliada, Temer antecipou para ontem o que avalia ser o último pacote de flexibilizações da reforma da Previdência.

Defendendo seus interesses, o governo vai usar a reprovação do pedido de urgência para a votação da reforma trabalhista na Câmara para cobrar fidelidade de ao menos dois partidos que, mesmo comandando ministérios importantes, atuam de maneira dúbia, o PSB e o PPS.

Comprando briga com “cachorro grande”, o senador Randolfe Rodrigues, da Rede, vai pedir vistas do vergonhoso projeto elaborado pelo senador peemedebista Renan Calheiros de abuso de autoridade, cujo relatório será apresentado hoje pelo também senador peemedebista Roberto Requião e que tem o objetivo de intimidar e retaliar os investigadores da Lava Jato.

Já que é difícil jogar xadrez com pombos, que derrubam as peças e defecam no tabuleiro, o governo Temer, na tentativa de diminuir a oposição social à inevitável e imprescindível reforma da Previdência, vai veicular campanha publicitária na qual compara a atual resistência à mudança na aposentadoria ao receio inicial com as campanhas de vacinação, conhecida como “Revolta da Vacina” e com a privatização da telefonia no país, quando uma linha telefônica chegava a custar o preço de um carro zero quilometro.

Crítica:

Bandidos de farda, ontem os representantes de sindicatos do setor de segurança pública invadiram e quebraram vidros do Congresso Nacional em protesto contra a reforma da Previdência, já que obviamente não querem ter o mesmo tratamento dos trabalhadores da iniciativa privada.

Rapinado por petistas corruptos e sem capacitação técnica, a fundação Petros, que administra a previdência privada dos empregados da Petrobras, fechou 2016 com um déficit acumulado de R$ -27,3, o que representa um rombo R$ 3,4bi maior do que o auferido em 2015.

“Tirando dos pobres para dar aos ricos”, o Conselho Administrativo de Recursos Fiscais decidiu favoravelmente ao Itaú em um processo que envolve R$ 25bi em Imposto de Renda e Contribuição Social sobre o Lucro Líquido na fusão com o Unibanco, em 2008, já que os “nobres” conselheiros avaliaram que não houve ganho de capital na operação e, portanto, não há razões para que a Receita cobre esses tributos.

Se aproximando novamente de André Esteves e de outros banqueiros do Itaim Bibi, na manhã de hoje a Polícia Federal deflagrou a Operação Conclave, que investiga a aquisição possivelmente fraudulenta de ações do Banco Panamericano pela Caixa Participações.

PAZ, amor e bons negócios;
Alfredo Sequeira Filho

O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer crítica, dúvida ou sugestão, favor contatar: alfredo@relatoriobrasil.com

Conheça e indique nosso Blog: www.relatoriobrasil.com
Curta nossa página no Facebook: www.facebook.com/relatoriobrasil

Nenhum comentário:

Postar um comentário