R.B. 8/MAR/17 "Epílogo maldito"



"Epílogo maldito"

São Paulo, 8 de março de 2017 (QUARTA-FEIRA).

Mercados e Economia:

Hoje (1) a BOVESPA deve voltar a cair, mesmo após 2 pregões consecutivos de baixa, novamente acompanhando as perdas das demais bolsas mundiais e prejudicada pela recuo das commodities e pelos “temores” de intensificação das denúncias contra o governo Temer e (2) o DÓLAR pode subir, recuperando as perdas do pregão anterior e também influenciado pelo aumento das “apostas” de corte maior dos juros no Brasil e de elevação dos juros nos EUA.

Ontem, no BRASIL, (1) a BOVESPA caiu -0,9%, afetada pelo crescimento das denúncias contra a cúpula do governo Temer, seguindo o recuo das commodities e acompanhando as perdas das demais bolsas mundiais e (2) o DÓLAR caiu -0,3% à R$ 3,12, na contramão da trajetória internacional da moeda norte-americana, diante (a) da expectativa de que o Senado vote nesta semana o projeto de lei que abre uma nova rodada de ativos mantidos ilegalmente no exterior e (b) do anuncio do Tesouro Nacional reabrindo a oferta do título Global 2026.

Também ontem, nas principais bolsas (1) da ÁSIA, Japão -0,2%, com as exportadoras prejudicas pela valorização da moeda local frente ao dólar e China 0,3%, diante das expectativas de crescimento maior da economia dos EUA após os últimos movimentos do BC norte-americano e do presidente Trump, (2) da EUROPA, em queda pelo quarto pregão seguido, Inglaterra -0,2%, França -0,3% e Alemanha -0,1%, com destaques de queda para as grandes farmacêuticas, após Trump falar no Twitter sobre redução dos preços de medicamentos e (3) dos EUA, ainda realizando lucros, S&P -0,3%, DJ -0,1% e NASDAQ -0,3%, pressionadas principalmente pelas perdas nos setores de energia, telecomunicações e saúde e com os investidores posicionavam-se à espera de importantes decisões de política monetária.

Como um “epílogo maldito” dos 13,5 anos de "desgoverno" do PT, ontem foi divulgado que, registrando o segundo ano seguido de retração, o PIB tupiniquim encolheu -3,6% em 2016, levando o PIB per capita a registrar um encolhimento de -9,1% desde 2014, o que representa a pior recessão da história do país.

Após “garantir” que a economia tupiniquim voltará a crescer já no primeiro trimestre deste ano de 2017, Meirelles, ministro tupiniquim da fazenda, “alertou” que, para cumprir a meta de déficit primário de R$ -139bu em 2017, não descarta a possibilidade de aumento de impostos.

Após a divulgação de que a economia tupiniquim está na pior recessão da sua história, é quase que unanime a “aposta” de que na sua próxima reunião, que ocorrerá nos dias 11 e 12/ABR/17, o Copom cote a taxa básica de juros em -1,0%, dos atuais 12,25% para 11,25%.

Para atrair mais investidores e modernizar o país, o presidente Temer, coberto de razão, defendeu ontem, durante reunião com seu Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social, a flexibilização da jornada de trabalho dentro do projeto de reforma trabalhista enviado pelo governo ao Congresso, citando com exemplo que um trabalhador pode escolher trabalhar 10 horas por dia em troca de mais dias de folga e que isso dependerá de um acordo entre empregados e empregadores.

Visando estimular a recuperação da economia, o governo anunciou ontem mais 69 projetos de concessão e privatização ao longo dos próximos 5 anos, que devem trazer investimentos superiores a R$ 45bi ao país, porem a maior parte desses recursos só deve entrar na economia depois de 2018, quando termina o mandato de Temer.

Dando novos sinais de recuperação da economia tupiniquim, (1) em FEV/17 a produção nacional de veículos teve alta de 14,7% na comparação com JAN/17 e de 39,0% na comparação com FEV/16, (2) no mês passado as vendas de máquinas agrícolas no país foram 33,5% maiores do que no mesmo período de 2016 e (3) o mercado de contracepção movimentou R$ 3,2bi no Brasil em 2016, um aumento de 10% em relação a 2015.

Ontem o Tesouro Nacional reabriu a oferta do título Global 2026, bônus denominado em dólares e com vencimento em 07/ABR/26, no mercado global e, indicando um crescimento da credibilidade experta brasileira, a captação foi de US$ 1bi  e a taxa ficou em 5% ao ano, o que representa um patamar bem menor do que a da emissão anterior do mesmo título realizada em MAR/16, que teve rendimento ao investidor de 6,125% ao ano.

-    As ações da Snap caíram -9,8% na bolsa de NY, seu segundo recuo consecutivo, mas ainda está bem acima do preço de lançamento, que ocorreu na semana passada.

Política:

Certamente enfrentando a ira daqueles que acreditam que é o Estado que é responsável pelo cidadão, e não o contrário, o deputado Arthur Oliveira Maia, que é relator da reforma da Previdência, afirmou, coberto de razão, que a aposentadoria publica deve representar "subsistência" e que, para ter uma "vida melhor", o trabalhador deve fazer outro tipo de poupança.

Com o objetivo de desviar a atenção da operação Lava Jato, que se aproxima rapidamente dele, e do resultado péssimo do PIB de 2016, o presidente Temer acredita cada dia mais que o avanço da sua pauta de reformas no Congresso, principalmente a da Previdência, é sua melhor “tabua de salvação”.

Com a esquerda petista e do PSOL finalmente se juntando a esquerda tucana, já que os referidos partidos tem a mesma raiz ideológica de achar que é o Estado quem deve cuidar das pessoas, e não o contrário, o deputado Chico Alencar, do PSOL do RJ, literalmente beijou a mão do senador Aécio Neves, do PSDB de MG, ao defende-lo afirmando que ele é diferente dos políticos peemedebistas envolvidos na Operação Lava Jato.

Mostrando que o peemedebista Sergio Cabral, que também é “ex-amigão do Amigo Lula”, passará muitos anos no xilindró, segundo depoimento de Alberto Quintaes, que era diretor da Andrade Gutierrez no RJ, o referido ex-governador do RJ recebeu propina até em notas de 500 euros pelos 1% que pediu de “contribuição” pel contrato de terraplanagem do Comperj, obra da Petrobras.

Além de conseguir demonstrar força política ao iniciar as votações no Congresso pelo projeto mais simples, o da terceirização, o Planalto tem um benefício prático com a estratégia, já que pode mapear deputados dissidentes para enquadrá-los até a reforma da Previdência.

Apesar de o líder do PT na Câmara paulistana, o vereador Antonio Donato, ter dito que o seu partido não participaria de encontros com o tucano João Doria, 3 vereadores petistas foram à reunião com o prefeito, são eles Eduardo Suplicy, Alessandro Guedes e Reis.

Colocando mais um cacique peemedebista no caminho da cadeia, o senador Valdir Raupp, do PMDB de RO, virou réu no Supremo Tribunal Federal por corrupção passiva e lavagem de dinheiro, já que os ministros da Segunda Turma do STF entenderam que a acusação de pagamento de propina da construtora Queiroz Galvão travestido de doação eleitoral deveria ser recebida.

Substituindo Alexandre Moraes, que agora será ministro do Supremo, o novo ministro da Justiça, Osmar Serraglio, assumiu ontem o cargo reafirmando que o governo não irá interferir na Operação Lava Jato e defendendo um maior zelo das autoridades para evitar a superlotação das cadeias no país.

Crítica:

Acostumados com o dinheiro fácil e barato da época em que Lula mandava no Brasil, grandes empresários do país levaram ontem ao Planalto a insatisfação com o que chamam de “caixa travado” do BNDES, ressaltando que o banco precisa ter um papel mais ativo na recuperação econômica.

Mostrando apenas uma pequena parte da extensão do estrago feito pelos corruptos que ainda governam o país, segundo depoimento de Hilberto Mascarenhas, ex-funcionário da Odebrecht, ao ministro Herman Benjamin, do Tribunal Superior Eleitoral, o departamento de propina da empresa, criado pelo “prodígio” Marcelinho Odebrecht, movimentou cerca de US$ 3,39bi em propinas apenas entre 2006 e 2014.

PAZ, amor e bons negócios;
Alfredo Sequeira Filho

O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer crítica, dúvida ou sugestão, favor contatar: alfredo@relatoriobrasil.com

Conheça e indique nosso Blog: www.relatoriobrasil.com
Curta nossa página no Facebook: www.facebook.com/relatoriobrasil


Nenhum comentário:

Postar um comentário