R.B. 7/MAR/17 "Sempre é possível fazer mais e melhor"



"Sempre é possível fazer mais e melhor"

São Paulo, 7 de março de 2017 (TERÇA-FEIRA).

Mercados e Economia:

Hoje (1) a BOVESPA deve seguir em queda, ainda afetada pelo crescimento das denúncias contra a cúpula do governo Temer, porem o patamar pode ser interessante para compras, principalmente diante das expectativas do mercado de desaceleração da inflação e redução de juros no Brasil e (2) o DÓLAR pode voltar a subir, com “boas chances” de fechar o mês próximo dos R$ 3,20, acompanhando a trajetória internacional da moeda norte-americana.

Ontem, no BRASIL, (1) a BOVESPA caiu -0,7%, realizando lucros recentes e acompanhando o recuo das commodities e das principais bolsas mundiais, em um pregão com bom volume de negócios (R$ 8,0bi) e (2) o DÓLAR subiu 0,3% à R$ 3,13, recuperando uma parte das fortes perdas de sexta-feira, seguindo a esperada piora do “humor” bolsa brasileira e influenciado pela consolidação das “apostas” de alta dos juros nos EUA já na reunião do FED (“BC” norte-americano) de MAR/17.

Também ontem, nas principais bolsas (1) da ÁSIA, sem uma tendência única, Japão -0,5%, prejudicada pelo teste de um míssil da Coreia do Norte e China 0,5%, pois os investidores já esperavam a leve redução da expectativa de crescimento do PIB do país pelo Congresso Nacional do Povo, (2) da EUROPA, Inglaterra -0,3%, França -0,5% e Alemanha -0,6%, pressionadas pelo crescimento dos temores com o cenário francês e com destaque de queda para as ações do Deutsche Bank (-7,9%), que confirmou que promoverá um aumento de capital de cerca de 8bi de euros e (3) dos EUA, realizando lucros recentes, S&P -0,3%, DJ -0,2% e NASDAQ -0,4%, com destaques de queda para as ações de companhias ligadas ao setor financeiro e ao de energia.

Com o grupo das 5 instituições que mais acerta na pesquisa Focus reduzindo, de 9,50% para 9,00%, suas previsões para a taxa básica de juros no final do ano, o “mercado”, mostrando um otimismo controlado, manteve em 4,36% suas “apostas” para a inflação medida pelo IPCA neste ano, patamar abaixo do centro da meta (4,5%), e melhorou levemente, de 0,48% para 0,49%, suas estimativas para o PIB tupiniquim em 2017.

Provando que na administração publica tupiniquim “sempre é possível fazer mais e melhor”, a Prefeitura de SP anunciou que, em parceria com o Estado de SP e a União, implementará um novo processo, a partir do dia 24/ABR/17, que permitirá a abertura de empresas em apenas 7 dias, contra uma média de 101 dias atualmente.

Dando um importante sinal de recuperação da economia tupiniquim, em DEZ/16 as micro e pequenas empresas de SP, que aliás são as que mais empregam no país, tiveram uma alta real, que desconta a inflação, de 7,6% no faturamento quando comparado com DEZ/15, o que representa o primeiro resultado positivo nesta base de comparação em 23 meses.

Podendo ajudar no controle da inflação, aos poucos o etanol hidratado volta a ganhar competitividade em relação à gasolina no Estado de SP, já que, com uma safra maior de cana-de-açúcar, os preços atuais do referido combustível já são -18% inferiores aos registrados no último trimestre de 2016.

Com potencial para melhorar ainda mais o resultado da balança comercial tupiniquim, segundo a consultoria Céleres, de Uberlândia, a atual safra de soja no Brasil deverá atingir 110 milhões de toneladas, o que representa a a maior estimativa de produção nacional para a oleaginosa já divulgada na história.

Beneficiadas pela redução da oferta global que por sua vez é decorrente de problemas relacionados à gripe aviária em várias parte do mundo, em FEV/17 as exportações brasileiras de carne de frango tiveram crescimento em volume de 3,2% e dispararam 24% em receita na comparação com FEV/16.

Apesar de não ter competência nem para entregar uma carta, os Correios, expandindo sua área de atuação, começaram ontem a vender, ainda de forma experimental, chips para celular de sua marca própria em 12 agências de SP, o que pode até ajudar a aumentar a concorrência do setor de telefonia tupiniquim.

-    A Vale caiu -3,1%, prejudicada pelo recuo do minério de ferro e pela redução da meta de crescimento da China neste ano.

Política:

Causando bastante tensão no Palácio do Planalto, ontem, em depoimento ao Tribunal Superior Eleitoral, Cláudio Melo Filho, ex-vice-presidente da Odebrecht, reafirmou que o presidente Temer pediu pessoalmente, durante um jantar com Marcelo Odebrecht, "apoio financeiro" da empreiteira ao partido durante as eleições de 2014.

Apesar da benevolência dos “nobres senadores”, que após aprovarem o impeachment de Dilma livraram ela da inegibilidade, a ex-presidenta ainda pode perder seus direitos políticos por 8 anos caso qualquer uma das 4 ações impetradas pelo PSDB em 2014 no TSE seja julgada procedente.

Reagindo com firmeza diante da resistência de integrantes da base do governo em apoiar pontos da reforma da Previdência, o presidente Temer decidiu assumir pessoalmente a negociação com a Câmara dos Deputados e estabeleceu limites para negociar sua proposta e o principal deles é a não flexibilização da idade mínima de 65 anos.

Obviamente se colocando como trigo, em meio à expectativa sobre a apresentação de novos pedidos de investigações sobre políticos, desta vez impulsionados pela delação de executivos da Odebrecht, Alckmin, governador de SP, que na lista de doações aparece como “Santo”, defendeu que "se separe o joio do trigo", ressaltando que é preciso não misturar quem cometeu corrupção para enriquecimento de quem “apenas” recebeu dinheiro de caixa 2.

Em depoimento ao Tribunal Superior Eleitoral, o ex-diretor da Odebrecht Alexandrino Alencar relatou que o ex-ministro Edinho Silva, tesoureiro da campanha de Dilma em 2014, sugeriu que a empreiteira doasse a “bagatela” de R$ 30mi por meio de caixa 2.

Comandado pelo deputado Federal Paulinho Da Força, um sindicalista sem escrúpulos, o Solidariedade, um dos partidos que apoiam o presidente Temer, vai gastar suas propagandas em rede nacional para atacar dois pilares da reforma da previdência, (1) a idade mínima de 65 anos e (2) a exigência de 49 anos de contribuição.

O governo definiu no fim de semana a ordem de votação na Câmara das reformas econômicas e já “avisou” que quer ver na pauta o projeto sobre terceirização até a semana que vem, depois a flexibilização das leis trabalhistas e, por fim, a reforma da Previdência.

Crítica:

Melhorando uma medida polemica lançada no final de JAN/17, cujo objetivo é proteger os EUA da entrada de terroristas, Trump, presidente do país, assinou na tarde de ontem um novo decreto anti-imigração, excluindo o Iraque dos países impedidos de entrar em solo norte-americano e permitindo a entrada de residente legais e portadores de green card.

Governada por um ditador maluco, que finalmente encontrou em Trump um adversário à altura, a Coreia do Norte lançou 4 mísseis balísticos na chamada zona econômica exclusiva do Japão, uma área marítima que se estende por cerca de 370 quilômetros a partir da costa do país.

Do lado oposto da vontade popular, Gilmar Mendes, ministro do Supremo Tribunal Federal, criticou ontem quem defende que o foro privilegiado é "uma mazela do Brasil" e, como se fosse possível os parlamentares legislarem contra eles mesmos, afirmou que a redução do número de pessoas com a prerrogativa deve ser discutida pelo Congresso, e não pelo Supremo.

PAZ, amor e bons negócios;
Alfredo Sequeira Filho

O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer crítica, dúvida ou sugestão, favor contatar: alfredo@relatoriobrasil.com

Conheça e indique nosso Blog: www.relatoriobrasil.com
Curta nossa página no Facebook: www.facebook.com/relatoriobrasil


Nenhum comentário:

Postar um comentário