R.B. 16/MAR/17 "Qual é o tamanho do apetite"



"Qual é o tamanho do apetite"

São Paulo, 16 de março de 2017 (QUINTA-FEIRA).

Mercados e Economia:

Hoje (1) a BOVESPA deve voltar a subir, acompanhando a forte melhora do “humor” nas principais bolsas mundiais, impulsionada pela valorização das commodities e ainda influenciada pelos mesmos motivos que causaram a alta de ontem e (2) o DÓLAR pode cair, testando o “suporte” dos R$ 3,10, acompanhando a trajetória internacional da moeda norte-americana, diante da redução das expectativas de alta dos juros nas EUA.

Ontem, no BRASIL, (1) a BOVESPA subiu 2,4%, com ótimo volume de negócios (R$ 9,9bi), “animada” pelos os sinais de que a taxa básica de juros dos EUA vai subir em um ritmo menos intenso do que o esperado e impulsionada pelo anúncio de que a agencia de classificação de risco Moody's alterou de baixa para manutenção sua perspectiva para sua “nota” para o Brasil e (2) o DÓLAR caiu -2,2% à R$ 3,12, revertendo uma abertura positiva, quando chegou a avançar 0,3%, e deixando o conturbado cenário político interno em segundo plano, para fechar o dia registrando a maior baixa desde 28/JUN/16, influenciado pelos mesmos motivos que impulsionaram a bolsa tupiniquim.

Também ontem, nas principais bolsas (1) da ÁSIA, sem uma tendência única, Japão % com a queda recente nos preços internacionais do petróleo derrubando aas ações de energia e China 0,1%, sustentada pelo bom desempenho de exportadoras, (2) da EUROPA, ainda sem saber a decisão dos juros nos EUA, Inglaterra 0,2%, França 0,2% e Alemanha 0,2%, beneficiadas pelo avanço do petróleo e do cobre e pelos sinais de que a estrema direita não ganharia as eleições na Holanda, o que reduz o risco do populismo ganhar força na União Europeia e (3) dos EUA, S&P 0,8%, DJ 0,5% e NASDAQ 0,7%, impulsionadas por ações do setor de energia e “aliviadas” com os sinais de que o ritmo de elevação dos juros do país será menos intenso do que o previsto.

Na tarde de ontem, confirmando as expectativas de mais de 95% do “mercado”, o Fed (“BC” dos EUA) elevou a taxa de juros da economia norte-americana em 0,25%, de 0,75% para 1,00% ao ano, porem, surpreendendo positivamente, a decisão não foi unanime, já que 1 dos 10 participantes votou contra o aumento e, em nota, a referida autoridade monetária mostrou que os dirigentes preveem apenas mais 2 elevações de juros neste ano.

Ontem, falando minutos para terminar o pregão da bolsa tupiniquim, a agencia de classificação de risco Moody's revelou que elevou, de queda para manutenção, a sua perspectiva para sua “nota” para o Brasil, elogiando a estabilização macroeconômica, os sinais de recuperação nas contas públicas e os movimentos do governo para aprovação e implementação de reformas fiscais e estruturais.

Mostrando que a crise do setor imobiliário tupiniquim está bem longe do fim, segundo dados da associação de administradores de imóveis de SP em FEV/17 ocorreu um aumento de 39% de ações movidas na Justiça de São Paulo por causa da falta de pagamentos de aluguéis de imóveis na comparação com FEV/16.

Com potencial de indicar “qual é o tamanho do apetite” dos investidores externos com o Brasil, hoje ocorrerá na Bovespa o leilão de 4 aeroportos brasileiros para a iniciativa privada e a expectativa da Agência Nacional de Aviação Civil, que coordena este processo, é que 3 consórcios estejam em todas as disputas.

Com o país se destacando naquilo que faz de melhor, em 2016, mesmo com a crise, (1) o abate de frangos no Brasil cresceu 1,1% em na comparação com o ano anterior, atingindo, principalmente por conta das exportações, o recorde histórico de 5,86bi de cabeças e (2) o abate de suínos no país aumentou 7,8% na mesma base de comparação e as exportações do produto avançaram 30% no ano passado.

Comprovando, pela enésima vez, como é difícil, burocrático e caro fazer negócios no Brasil, apesar de finalmente autorizar a retomada do plano de venda de ativos da Petrobras, o Tribunal de Contas da União decidiu que a estatal deve reiniciar do zero os 8 processos que já estavam em curso.

-    A Toshiba despencou -12,0% na bolsa de Tóquio, após seu executivo-chefe, Satoshi Tsunakawa, anunciar que a empresa considera entrar com pedido de falência de sua subsidiária nuclear nos EUA.
-    A Adidas avançou 2,3% na bolsa da Alemanha, após a fabricante de materiais esportivos prever crescimento de quase 50% em suas vendas na América do Norte até 2020.
-    Na bolsa de NY a Ford subiu 0,8%, a Fiat avançou 2,3% e a GM ganhou 0,3%, após Trump, presidente dos EUA, “avisar” que seu governo revogará um decreto assinado por Obama estabelecendo metas mais altas para a eficiência de combustível dos veículos e caminhões vendidos no país.

Política:

Com chances de agilizar o processo, o pacote de reformulação da legislação trabalhista, que dá a acordos maior peso do que a lei e permite o parcelamento de férias, entre outros pontos, pode ser aprovado sem a necessidade de ser votado pelo plenário da Câmara, de acordo com decisão atualmente em vigor da presidência da Casa.

Obstinado em ser candidato a presidente, Alckmin está pressionando o PSDB para antecipar para AGO/17 a realização das previas do partido para escolha do seu candidato ao planalto, já que, caso perca a disputa, o referido governador de SP teria tempo para mudar de legenda.

Em meio ao acirramento nas discussões sobre a reforma da Previdência, ontem governo Temer (1) liberou ontem R$ 800 milhões para obras indicadas pelos congressistas, as chamadas emendas parlamentares e (2) tenta lotear a diretoria da Nuclep, estatal que fabrica equipamentos para o submarino nuclear da Marinha e da usina de Angra 3, com afilhados de parlamentares contrários à medida.

-    Oportunista e atuando para manter as “raposas velhas no poder”, o senador peemedebista Romero Jucá prega que a reforma política defina apenas um novo modelo de financiamento de campanha e no voto em lista fechada.
-    Provando mais uma vez que cada povo tem o governo que merece, Renan Filho, que é filho do senador Renan Calheiros, lidera com 31,7%, a pesquisa de intenção de votos para o governo de Alagoas em 2018.
-    Aparentando firmeza após tomar um “pito” do presidente Temer, o deputado Arthur Oliveira Maia, relator da reforma da Previdência, afirmou que as manifestações não mudam "absolutamente nada" o relatório que apresentará à comissão.
-    Atuando como se estivesse na oposição, o senador Renan Calheiros, que na verdade é líder do PMDB no Senado, afirmou, durante discurso no plenário da Casa, que o governo Temer "precipitadamente já inviabilizou a reforma da Previdência".
-    Atendendo a um pedido do PSB, Rodrigo Maia, presidente da Câmara, decidiu reabrir o prazo para apresentação de emendas à proposta de reforma da Previdência, que já chegam a 146, até amanhã.

Crítica:

Ontem, 1 dia após dizer em depoimento à justiça que não sabe se ganha 20, 30 ou R$ 50mil de aposentadoria, o ex-presidente Lula, mostrando toda sua cara de pau, foi à Av. Paulista protestar contra a reforma da Previdência e dizer que o objetivo dela é retirar direitos do trabalhador.

Vagabundos e terroristas do PT e do MST, que por não trabalharem não deveriam nem se preocupar com o assunto, cometeram mais um crime ontem já que, protestando contra a reforma da Previdência, invadiram e depredaram o prédio do Ministério da Fazenda na Esplanada dos Ministérios.

PAZ, amor e bons negócios;
Alfredo Sequeira Filho

O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer crítica, dúvida ou sugestão, favor contatar: alfredo@relatoriobrasil.com

Conheça e indique nosso Blog: www.relatoriobrasil.com
Curta nossa página no Facebook: www.facebook.com/relatoriobrasil


Nenhum comentário:

Postar um comentário