R.B. 20/FEV/17 "Competitivo e grande"



"Competitivo e grande"

São Paulo, 20 de fevereiro de 2017 (SEGUNDA-FEIRA).

Mercados e Economia:

Hoje (1) a BOVESPA deve subir, com baixo volume de negócios por conta do feriado nos EUA, beneficiada pela valorização das commodities e impulsionada pelas “apostas” de que o Copom cortará a Selic, que é a taxa básica de juros da economia brasileira, em até -1,0% na reunião desta semana e (2) o DÓLAR pode seguir em alta, também influenciado pelas “apostas” de corte mais intenso da Selic e ainda em um “ajuste técnico”, já que a moeda norte-americana fechou a semana passada acumulando 9 semanas consecutivas de desvalorização em relação ao real.

Sexta-feira, no BRASIL, (1) a BOVESPA caiu -0,1%, ainda realizando lucros recentes, influenciada pelo recuo das commodities, pela piora do cenário político tupiniquim e pela instabilidade das principais bolsas mundiais e (2) o DÓLAR subiu 0,4% à R$ 3,09, chegando a testar a agora “resistência” dos R$ 3,10, recuperando perdas recentes e acompanhando a trajetória internacional da moeda norte-americana.

Também sexta-feira, nas principais bolsas (1) da ÁSIA, Japão -0,6% e China -0,3%, acompanhando as perdas das bolsas de NY no dia anterior, (2) da EUROPA, sem uma tendência única, apesar de registrarem a segunda semana consecutiva de ganhos, Inglaterra 0,3%, França -0,6% e Alemanha 0,0%, divididas entre os ganhos das ações do setor de bens pessoais e domésticos e as quedas das ações dos setores de mineração e de bancos e (3) dos EUA, recuperando as perdas da abertura, S&P 0,2%, DJ 0,1% e NASDAQ 0,1%, diante da divulgação de dados econômicos fortes e da expectativa pelo anúncio do plano fiscal e tributário do presidente Trump, que vem prometendo reduzir a regulamentação de vários setores da economia, além de investir em infraestrutura para acelerar o crescimento do PIB.

Tecnicamente ousada e pensada para um país que tem a pretensão de ser “competitivo e grande”, a reforma da Previdência, se aprovada no Congresso Nacional exatamente como foi proposta pelo governo Temer, vai colocar o Brasil entre os países com regras mais rígidas para aposentadoria publica, o que levará a cada vez mais gente a poupar por conta própria para a velhice.

Aproveitando que atualmente tem uma base aliada bastante ampla e relativamente fiel, o presidente Temer, atuando para modernizar as relações trabalhistas, enviou ao Congresso Nacional um projeto de lei complementar que acaba, de forma gradual, com a multa extra de 10% do FGTS que a empresa paga ao demitir um trabalhador sem justa causa, que seria reduzida em 1% a cada ano, até extinta em 2027.

Acreditando que a inflação e os gastos públicos estão controlados e com a reforma da Previdência já em curso, o governo Temer decidiu acelerar um pacote de medidas que, se implementado como planejado, poderá atrair R$ 371,2bi em investimentos ao país ao longo de 10 anos, dando mais impulso à economia e ajudando o Brasil a recuperar o grau de investimento pelas agencias de classificação de risco.

Com o mesmo “jogo de cena” que fez quando comprou a Budweiser, a Kraft Heinz, conglomerado de alimentação controlado pelo grupo brasileiro 3G e pelo investidor norte-americano Warren Buffett, anunciou ontem que retirou a oferta de fusão com a anglo-holandesa Unilever por US$ 143bi.

Diante da forte queda do dólar, que em JAN/16 estava por volta de R$ 4,05 e no mês passado teve uma cotação média de R$ 3,20, em JAN/17 os gastos dos brasileiros com viagens ao exterior somaram US$ 1,57bi, o que representa um crescimento de 87,8% na comparação com o mesmo mês de 2016.

Em 2016 os recursos dos trabalhadores “aplicados” no FGTS renderam 5,01%, patamar abaixo da inflação de 6,29% no mesmo período, portanto, quem tem dinheiro em contas inativas do FGTS e não está endividado deve aproveitar para sacar o dinheiro e mudar para outro tipo de investimento, como o tesouro Selic que atualmente rende 13% ao ano.

Tentando desamarrar suas mãos, Pedro Parente, presidente da Petrobras, e Ivan Monteiro, diretor financeiro da empresa, fizeram na semana passada um périplo pelo Tribunal de Contas da União na tentativa de convencer os ministros da corte a liberarem a venda de ativos, peça central no plano da estatal para reduzir suas dívidas.

Política:

Causando, no mínimo, uma “saia justa” ao presidente Temer, Carlos Velloso, ex-ministro do Supremo Tribunal Federal, alegou questões profissionais e pessoais e recusou o convite para assumir o Ministério da Justiça, com isto a vaga deve ser usada “politicamente” na tentativa de prestigiar a base do governo no Congresso.

Obviamente bem mais relaxada do que quando estava na Presidência do Brasil, a ex-guerrilheira e ex-presidenta Dilma, que acaba de voltar de uma rodada de conferências na Europa e nos EUA, afirmou que nunca vai deixar de fazer política e que já pensa na possibilidade de se candidatar para senadora ou deputada em 2018.

Provando, pena enésima vez, que a corrupção é algo corriqueiro em 99,9% dos partidos brasileiros, a Procuradoria-Geral de Justiça e o Ministério Público do Paraná investigam o envolvimento do tucano Valdir Rossoni, que é chefe da Casa Civil e braço direito de Beto Richa, o governador tucano do referido estado, que teria desviado ao menos R$ 17 mi da construção de escolas estaduais.

Legislando em causa própria, na iminência de serem alvos de inquéritos judiciais decorrentes da delação premiada da Odebrecht na operação Lava Jato, congressistas preparam uma tentativa de blindagem também em outro front, nos conselhos de ética da Câmara e do Senado, que são responsáveis por recomendar ao plenário das respectivas Casas a cassação ou não do mandato de um deputado ou de um senador pela chamada quebra do decoro parlamentar.

A base de Michel Temer tem dado mostras de que vai esticar a corda na reforma da Previdência, já que, capitaneada por Paulinho da Força, uma das principais emendas que serão apresentadas ao texto, que desfigura o projeto do Planalto e flexibiliza a regra de transição, recebeu apoio de importantes partidos aliados do governo.

Como o tema é bastante “sensível” a pressões populares, diferentemente do que aconteceu na votação do teto de gastos públicos, desta vez os dirigentes partidários estão menos propensos a fechar questão e obrigar seus deputados a votar pela reforma da Previdência.

-    Com a intenção de consolidar o nome de Lula para 2018 e fazer frente à série de acusações que o atingem, o PT determinou a seus diretórios estaduais que usem a imagem do ex-presidente nas propagandas de TV durante todo o primeiro semestre.
-    Se a candidatura de Lula ao Planalto em 2018 se inviabilizar por conta da Lava Jato, já há quem defenda que o PT apoie Ciro Gomes, do PDT, e coloque o ex-prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, na posição vice.
-    Em relatório, a consultoria Eurasia diz acreditar que, no Maximo até ABR/17, Herman Benjamin, do TSE, recomendará a cassação da chapa Dilma-Temer, mas que há apenas 20% de chances de o peemedebista não terminar seu mandato.
-    Durante conversas recentes com governadores, Temer tem demonstrado grande preocupação com o risco de greve de policiais durante o feriado de Carnaval.

Crítica:

Seguem os 15 motivos para investir fora do Brasil, são eles (1) alavancagem de até 20 vezes, com juros de 3,5% ao ano, para ações, commodities, moedas e bonds, (2) liquidez enorme, (3) possibilidade de ficar vendido em qualquer ação via CFD, (4) mercado de opções com séries em aberto no mínimo até JAN/19, (5) custos operacionais, principalmente os da bolsa, bem menores, (6) infinidade de opções de ETFs, (7) inexistência de mercado fracionário, (8) negócios 24 horas por dia, (9) sistemas operacionais em português e (10) o mercado brasileiro é mais suscetível a crises, (11) a moeda brasileira é muito nova, (12) o Real perde valor com a alta inflação, (13) o Brasil representa 3% da economia mundial, (14) os negócios diários com as ações brasileiras representam 1,8% da movimentação de ações no mundo e (15) as empresas mais rentáveis do mundo não são brasileiras.

Mostrando para as autoridades tupiniquins como se deve agir com uma empresa corrupta, a Superintendência Nacional de Alfândegas e Administração Tributária do Peru determinou o embargo de bens da empreiteira Odebrecht no país no valor de US$ 46mi.

PAZ, amor e bons negócios;
Alfredo Sequeira Filho

O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer crítica, dúvida ou sugestão, favor contatar: alfredo@relatoriobrasil.com

Conheça e indique nosso Blog: www.relatoriobrasil.com
Curta nossa página no Facebook: www.facebook.com/relatoriobrasil


Nenhum comentário:

Postar um comentário