R.B. 16/FEV/17 "Jogada de mestre"



"Jogada de mestre"

São Paulo, 16 de fevereiro de 2017 (QUINTA-FEIRA).

Mercados e Economia:

Hoje (1) a BOVESPA deve seguir em alta, beneficiada pela melhora do cenário político tupiniquim, que facilitará a aprovação das reformas, e pelos sinais de recuperação da economia e (2) o DÓLAR pode voltar a cair, mesmo após fechar o pregão anterior no menor patamar desde JUN/15, desta vez também influenciado pela aprovação do novo programa de repatriação de recursos ilegais no exterior, o que vai aumentar o fluxo positivo de recursos para o Brasil.

Ontem, no BRASIL, (1) a BOVESPA subiu 1,9%, retornando à sua trajetória de alta após a “saudável” realização de lucros do pregão anterior, para fechar o dia no maior patamar desde 14/MAR/12 (aos 67.975pts), acompanhando o movimento ascendente das principais bolsas mundiais, beneficiada pelo avanço das commodities e já influenciada positivamente pelas “apostas” de corte de no mínimo -0,75% na taxa básica de juros na reunião do Copom da próxima semana e (2) o DÓLAR caiu -1,2% à R$ 3,06, seguindo o “bom humor” da bolsa brasileira e influenciado pelo fluxo positivo de recursos externos e pelos leilões de venda do BC.

Também ontem, nas principais bolsas (1) da ÁSIA, sem uma tendência única, Japão 1,0%, seguindo o bom desempenho das bolsas de NY e China -0,1%, realizando lucros recentes, (2) da EUROPA, Inglaterra 0,5%, França 0,6% e Alemanha 0,2%, influenciadas positivamente pela divulgação de que a taxa de desemprego do Reino Unido está no menor patamar em 10 anos (4,8%) e com destaques de alta para as ações dos bancos, que também devem se beneficiar das medidas de desregulamentação propostas por Trump e (3) dos EUA, nos maiores patamares de história pelo quinto pregão seguido, S&P 0,5%, DJ 0,5% e NASDAQ 0,6%, impulsionadas por dados positivos da economia do país, como o anúncio de que em JAN/17 as vendas no varejo superaram as expectativas.

Diante da avaliação de que, com os ministros do Supremo Tribunal Federal “cooperando” para manter a Lava Jato longe do Palácio do Planalto, o governo Temer vai aprovar as reformas necessárias para colocar as contas públicas de volta nos eixos, o risco-país já atingiu o menor patamar desde MAI/ 15, o dólar fechou na menor cotação desde JUN/15, a bolsa avançou para o maior valor desde MAR/12 e, como as medidas do governo Trump nos EUA podem ajudar o Brasil, cresce a cada dia o sentimento de que a economia tupiniquim vai se recuperar mais depressa do que o esperado.

Coberto de razão, Elizeu Padilha, ministro da Casa Civil, afirmou ontem, em apresentação a deputados, que a aprovação da reforma da Previdência é fundamental para o Brasil recuperar o grau de investimento, que é uma espécie de selo de bom pagador atribuído por agências de classificação de risco como Moody's, Fitch e Standard & Poor's.

Como, mesmo diante dos primeiros sinais de recuperação da economia, a popularidade do governo Temer está em baixa, o núcleo político do governo já estuda um novo “pacote de bondades”, com medidas como (1) ampliar a faixa salarial a ser isenta de Imposto de Renda, (2) criar o Imposto sobre Valor Agregado, que puniria menos o contribuinte ao pôr fim à cobrança de tributos como PIS/Cofins, ICMS e ISS, (3) fazer um novo reajuste do Bolsa Família e (4) aumentar de R$ 950 mil para R$ 1,5 milhão o teto do valor do imóvel que pode ser financiado com recursos do FGTS.

Com recuperações mais fortes que as previstas na produção industrial e no comércio internacional, especialmente nas exportações, o indicador de crescimento sobre os mercados emergentes compilado mensalmente pelo Instituto de Finanças Internacionais deixou para trás a tendência de queda que vinha desde a crise financeira global e sugere que o PIB dos países emergentes cresceu 6,4% em JAN/17, o que representa o ritmo mensal mais acelerado desde JUN/11.

Buscando melhorar as condições de financiamento e a atratividade dos projetos, o BNDES decidiu, pouco mais de 1 mese antes dos leilões de concessão dos aeroportos de Fortaleza, Salvador, Florianópolis e Porto Alegre, que pode comprar até 100% das debêntures emitidas pelos consórcios vencedores, o dobro dos 50% previstos na versão anterior do programa.

Recuperando uma mísera parte das perdas recentes, em JAN/17, apresentando a primeira alta em 19 meses, o valor do aluguel residencial na cidade SP subiu 0,3% na comparação com JAN/16, porem, como os estoques ainda estão bastante elevados, esta alta não corrige quase nada da inflação acumulada pelo IGP-M no mesmo período (6,66%).

Política:

Em uma “jogada de mestre” cujo objetivo claro é aumentar sua “proximidade política” com a suprema corte tupiniquim, o presidente Temer decidiu indicar Carlos Velloso, ex-ministro do Supremo Tribunal Federal, para assumir o comando do Ministério da Justiça, o que também agradou o PSDB, que é um dos seus principais aliados.

Fazendo seu papel de oposição, que aliás está cada dia mais enfraquecida e desmoralizada, um grupo de 28 deputados federais da oposição foi ao Supremo Tribunal Federal protestar contra a tramitação da Proposta de Emenda à Constituição da reforma da Previdência.

Metendo, com coragem, o dedo em um vespeiro, ministro Luís Roberto Barroso, ministro do Supremo Tribunal Federal, enviou ontem ao plenário da referida corte um processo para discutir a redução do alcance da prerrogativa de foro de deputados, senadores e ministros, que pela sua proposta ficaria restrito apenas a casos relacionados a acusações por crimes cometidos durante e em razão do exercício do cargo.

Agindo corretamente, a Câmara sinalizou aos governadores que topa o acordo para não deixar prosperar qualquer iniciativa que conceda anistia aos policiais que participaram do motim no Espírito Santo e Rodrigo Mais, presidente da Casa, ressaltou ainda que qualquer medida neste sentido serviria como “salvo-conduto” para que outros levantes se espalhassem pelo país.

Arrumando problema para Temer, (1) PSDB e PMDB começam a se estranhar no Senado, já que tucanos não abrem mão de presidir a CMA, comissão que trata de fiscalização, mas peemedebistas também querem o cargo e (2) na Câmara a briga do PMDB é com o PP, já que o partido do presidente faz troça e diz que larga os pleitos pela liderança do governo e pela presidência da CCJ em troca do Ministério da Saúde.

O anúncio de João Doria de que a rede municipal de saúde de SP receberá doações de medicamentos de laboratórios farmacêuticos para suprir seu déficit causou mais um mal-estar com o governo estadual.

Ao divulgar a nomeação da desembargadora aposentada Luislinda Valois para o recém-criado Ministério dos Direitos Humanos, o planalto destacou que a biografia dela incluía o "título de embaixadora da paz da ONU em 2012", porem, segundo as próprias Nações Unidas, o posto sequer existe.

Crítica:

Com potencial para colocar Temer em “maus lençóis”, o desembargador Arnoldo Camanho de Assis, do Tribunal de Justiça do Distrito Federal, aceitou recurso da Folha de SP e suspendeu os efeitos de uma liminar que proibia o jornal de publicar informações sobre chantagem praticada por um hacker contra a primeira-dama, Marcela Temer.

Dando mais uma anistia aos caloteiros, a Câmara dos Deputados aprovou a reabertura do programa de repatriação de recursos ilegais mantidos por brasileiros no exterior, mantendo a proibição de políticos e de seus parentes de aderirem ao programa, porem obviamente deixando os “laranjas” de fora.

PAZ, amor e bons negócios;
Alfredo Sequeira Filho

O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer crítica, dúvida ou sugestão, favor contatar: alfredo@relatoriobrasil.com

Conheça e indique nosso Blog: www.relatoriobrasil.com
Curta nossa página no Facebook: www.facebook.com/relatoriobrasil


Nenhum comentário:

Postar um comentário