R.B. 26/JAN/17 "Incomodando cada dia mais os grandes, caros, ruins e monopolistas bancos tupiniquins"



"Incomodando cada dia mais os grandes, caros, ruins e monopolistas bancos tupiniquins"

São Paulo, 26 de janeiro de 2017 (QUINTA-FEIRA).

Mercados e Economia:

Hoje (1) a BOVESPA deve subir, para fechar em território positivo pelo quarto pregão consecutivo e assim romper a “resistência” dos 66.000pts, beneficiada pela alta do petróleo, ajustando-se ao bom desempenho das principais bolsas mundiais durante o feriado de ontem e assim mantendo sua trajetória rumo aos 75.000pts até o final do ano e (2) o DÓLAR pode seguir em queda, acompanhando o esperado “humor positivo” da bolsa brasileira e também seguindo a trajetória internacional da moeda norte-americana.

Terça-feira, no BRASIL, (1) a BOVESPA subiu 0,1%, com ótimo volume de negócios (R$ 9,0bi), para fechar o dia no maior patamar desde 27/MAR/12 (aos 65.840pts), amparada pelas ações ligadas a commodities, diante da alta do minério de ferro no exterior Por conta da confirmação de que Trump, novo presidente dos EUA, aumentará substancialmente os investimentos em infraestrutura e (2) o DÓLAR caiu -0,2% à R$ 3,16, em um dia de baixa volatilidade e na contramão das principais divisas mundiais, que se desvalorizaram em relação a moeda norte-americana, por conta dos leilões de venda do BC.

Também ontem, nas principais bolsas (1) da ÁSIA, seguindo o bom desempenho das bolsas de NY no dia anterior, Japão 1,4% e China 0,2%, diante das “apostas” de que o novo governo norte-americano irá ampliar investimentos em projetos de infraestrutura e adotar outras medidas de estímulo fiscal, (2) da EUROPA, Inglaterra 0,2%, França 1,0% e Alemanha 1,8%, impulsionadas principalmente pelas ações das empresas do setor financeiro, como o Deutsche Bank (5,7%), na expectativa de que os resultados trimestrais positivos, e o Santander (4,0%), que anunciou lucro maior do que o esperado e (3) dos EUA, com o DJ fechando acima dos 20.000pts pela primeira vez na história, S&P 0,8%, DJ 0,8% e NASDAQ 1,0%, beneficiadas pelo otimismo com os projetos pró-crescimento do presidente Trump, que assinou medidas para reduzir a carga regulatória sobre fabricantes nacionais e para abrir caminho para a construção 2 oleodutos.

“Apostando” em uma diminuição dos custos dos empréstimos, ontem o BC anunciou medidas para simplificar o gerenciamento dos bancos em relação aos compulsórios, como a unificação de períodos de cálculo de movimentação dos recolhimentos sobre os recursos a prazo, de poupança e exigibilidade adicional e a redução dos cerca de 80 normativos em vigor atualmente sobre o assunto.

Ajudando, e muito, no controle da inflação, como as vendas de fim de ano não solucionaram o problema de estoque do comércio, 29,5% dos varejistas do país iniciaram 2017 com reservas de mercadorias acima do adequado, porem, mostrando que as expectativas para o futuro são melhores, em JAN/17 o índice de intenção de investimentos dos empresários cresceu 6,3% na comparação com JAN/16 e a perspectiva de contratar novos funcionários teve um aumento de 11% na mesma base de comparação.

Ao menos parando de sangrar, o varejo paulistano aposta que em 2017, por conta da queda da inflação e dos cortes na taxa básica de juros (Selic) pelo BC, o faturamento do setor atingirá R$ 181bi, cifra equivalente à obtida no ano passado.

Como no ano passado a renda do brasileiro encolheu, os juros aumentaram e o desemprego saltou para quase 12%, segundo um estudo da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo, o número de famílias tupiniquins com contas em atraso e que afirmam não ter condições de voltar para o azul cresceu 25% entre 2015 e 2016.

Analfabetos financeiros, 77% dos brasileiros que tem dívidas devem para o cartão de crédito, que tem uma taxa de juros cerca de 2X maior que do cheque especial, 4x superior ao que cobram as financeiras comuns e em muitos casos até 10x acima do que cobram os empréstimos consignados.

Mostrando que o Brasil ainda está colhendo os “frutos podres” dos governos Lula e Dilma, segundo dados divulgados ontem pelo Tesouro Nacional, a dívida pública federal encerrou o ano passado em R$ 3,1tri, o que representa um aumento de 11,4% na comparação com 2015 e é maior patamar desde 2004, quando teve início esta série histórica.

Provando que, à grosso modo, cerca de 99% dos brasileiros não sabem investir, o Tesouro Nacional anunciou que, apesar das expectativas de queda da taxa básica de juros, a participação dos títulos atrelados à taxa básica de juros na dívida pública aumentou de 22,8% em 2015 para 28,2% em 2016.

Impulsionando o investimento direto no Brasil como um todo, em DEZ/16 as filiais de empresas brasileiras no exterior trouxeram ao país US$ 8,4bi, o que representa um crescimento de 29% em relação ao mesmo mês de 2015 e ocorreu principalmente por conta da troca de dívida interna, que é cara, por dívida externa, que é muito mais barata.

“Incomodando cada dia mais os grandes, caros, ruins e monopolistas bancos tupiniquins”, a XP investimentos, que desde que foi fundada cresce à passos cada vez mais largos, anunciou que, mesmo após o escândalo do roubo de dados de 29 mil clientes, manterá seus planos de abrir capital na Bolsa brasileira ainda neste ano.

Apesar da histeria descabia da impressa tupiniquim, Trump, presidente dos EUA, prestará uma grande ajuda à citricultura brasileira se cumprir mais uma de suas promessas de campanha, que é rever o Nafta (acordo comercial dos países da América do Norte), colocando em pé de igualdade as exportações mexicanas e brasileiras.

“Turbinadas” pela forte queda do dólar, em DEZ/16, com a moeda norte-americana valendo cerca de R$ 3,35, as despesas dos brasileiros em viagens internacionais tiveram alta de 11,8% na comparação com DEZ/15, quando o dólar estava em cerca de R$ 3,87.

“Apostando” que o pior já passou, (1) a Associação das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança anunciou que em 2016 o crédito para aquisição e construção de imóveis desabou 38,3% n comparação com 2015, (2) a Nova Opersan, que é uma empresa brasileira de tratamento de água e efluentes industriais, planeja investir ao menos R$ 50mi no país em 2017 e (3) a Única Asfaltos, empresa de materiais para pavimentação, investirá R$ 15mi em 2017 para subsidiar franqueados que fabricam e vendem massa asfáltica.

Política:

Acreditando, de forma entusiasmada, que estão aumentando suas chances de aprovar as reformas que apresenta, o Planalto quer ver o tamanho com o que o centrão sairá da disputa para a presidência da Câmara para medir o quanto deverá ceder ao grupo nas próximas votações.

Acreditando que Lula tem coração, alguns petitas afirmaram que o delicado estado de saúde de Marisa Letícia pode provocar reviravoltas na sucessão ao comando do PT, já que avaliam que o maior banido da história do país vai desistir de presidir o partido para se dedicar à mulher.

Diante de posições consideradas ultraconservadoras pela imprensa tupiniquim, Ives Gandra Filho reduziu suas chances de ser indicado para a vaga aberta no Supremo Tribunal Federal, mas o jurista segue no rol de favoritos de Temer, principalmente por ter sido favorável à reforma trabalhista do governo.

Usados principalmente com a intenção de tirar da cadeia o “príncipe Marcelinho”, os depoimentos prestados pelos delatores da Odebrecht, todos comparsas da referida organização criminosa travestida em construtora, arrastaram para o centro da Operação Lava Jato sócios de empreiteiras concorrentes, como a Camargo Corrêa e A Andrade Gutierrez, ampliando assim o interesse dos investigadores sobre as informações prestadas.

Cotado para a vaga aberta no Supremo Tribunal Federal, Alexandre de Moraes, atual ministro da justiça e ex-advogado do PCC, recebeu apoio formal de parte dos integrantes que permanecem no Conselho Nacional de Política Criminal e Penitenciária depois de uma renúncia coletiva.

Mostrando toda sua firmeza e coerência, que deveria ser seguida pelas autoridades tupiniquins, Pedro Pablo Kuczynski, presidente peruano, afirmou que a Odebrecht, que atua no país há 37 anos, deve vender os projetos locais e abandonar para sempre o Peru, ressaltando que eles estão contaminados pela corrupção.

-    O momento delicado da relação entre o Planalto e o STF fará com que Temer tente evitar ao máximo melindrar Cármen Lúcia com sua escolha para substituir Teori Zavascki.
-    Causando “frio na espinha” de petistas, tucanos e peemedebistas, Gilmar Mendes, ministro do Supremo Tribunal Federal, “avisou” que vai julgar os processos da Operação Lava Jato com "naturalidade", caso vire relator.
-    Evitando ser acusado de manipular o processo ao seu favor, Rodrigo Maia, candidato à reeleição, decidiu não comandar sessão que escolherá o presidente da Câmara, deixando a missão para seu atual vice, o deputado Waldir Maranhão.

Crítica:

Fechando novamente o cerco contra Eike Batista, que já foi considerado o “empresário modelo” por Lula e aclamado como “midas tupiniquim” pelo PT, (1) a Corte de Justiça das Ilhas Cayman bloqueou US$ 63mi de seus bens e (2) a Polícia Federal fez na manhã de hoje uma operação para prende-lo.

Enquanto o Brasil prepara mais uma geração de vagabundos, nos EUA, segundo um novo estudo do The Workforce Institute, 81% dos trabalhadores assalariados norte-americanos trabalham além do horário e 29% fazem hora extra três ou mais vezes por semana.

PAZ, amor e bons negócios;
Alfredo Sequeira Filho

O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer crítica, dúvida ou sugestão, favor contatar: alfredo@relatoriobrasil.com

Conheça e indique nosso Blog: www.relatoriobrasil.com
Curta nossa página no Facebook: www.facebook.com/relatoriobrasil


Nenhum comentário:

Postar um comentário