R.B. 23/JAN/17 "Facilitando a destruição de provas"



"Facilitando a destruição de provas"

São Paulo, 23 de janeiro de 2017 (SEGUNDA-FEIRA).

Mercados e Economia:

Hoje (1) a BOVESPA deve cair, realizando lucros recentes, influenciada pelo recuo das commodities e acompanhando as perdas das demais bolsas mundiais, diante dos “temores” de que Trump, o novo presidente dos EUA, adote políticas protecionistas e que causem uma desvalorização do dólar e (2) o DÓLAR pode cair, acompanhando a trajetória internacional da moeda norte-americana, porem deve-se ressaltar que a tendência de médio prazo é de alta, diante das expectativas de elevação dos juros nos EUA e de corte da Selic no Brasil.

Sexta-feira, no BRASIL, (1) a BOVESPA subiu 0,9%, com bom volume de negócios (R$ 7,8bi) e “comemorando” a posse de Trump como presidente dos EUA, que impulsionou a cotação internacional das commodities e consequentemente a Vale (4,8%) e a Petrobrás (1,5%) e (2) o DÓLAR caiu -0,8% à R$ 3,17, em linha com a direção das demais divisas de economias emergentes, acompanhando o “humor positivo” da bolsa brasileira e influenciado pelos leilões de venda do BC.

Também sexta-feira, nas principais bolsas (1) da ÁSIA, Japão 0,3% e China 0,6%, beneficiadas pelo anúncio de que o PIB chinês teve expansão anual de 6,8% no quarto trimestre, após avançar em ritmo de 6,7% nos três trimestres anteriores, (2) da EUROPA, com baixo volume de negócios, pouca volatilidade e sem uma tendência única, Inglaterra -0,1%, prejudicada pelo anúncio de que em DEZ/16 as vendas no varejo do país registraram queda de -1,9% na comparação com NOV/16, porem França 0,2% e Alemanha 0,3%, com destaques de alta para as ações dos bancos, como Deutsche Bank (2,0%), Commerzbank (2,8%) e BNP (0,5%) e (3) dos EUA, “comemorando” a posse de Trump, S&P 0,3%, DJ 0,5% e NASDAQ 0,3%, diante das “apostas” de que o novo presidente do país fará “o EUA grande novamente” e com destaques de alta para as ações do setor de energia.

Mostrando otimismo com o futuro do país, o renomado economista Affonso Celso Pastore, ex-presidente do BC tupiniquim, afirmou que, depois de 3 anos de um duro ajuste na economia brasileira, estamos chegando ao fim da recessão e, já no segundo semestre deste ano, a economia voltará a crescer, com inflação sob controle, corte de juros e risco-país em queda.

Como já era de se esperar, fruto da grave crise financeira que o Brasil atravessa, que causa uma demanda por empregos muito maior do que a oferta, os novos contratados com carteira assinada estão recebendo, em média, 21% menos do que os demitidos da mesma ocupação, o que é uma desvantagem para os trabalhadores mas, à médio prazo, aumenta a competitividade e a eficiência das empresas brasileiras.

Dando um sinal positivo da economia brasileira, em JAN/17 o índice de confiança do consumidor na cidade de SP cresceu 14,8% na comparação com JAN/16 e os principais motivos são (1) a diminuição da taxa de juros, (2) a desaceleração da inflação e (3) a queda da presidenta Dilma.

Já atendendo às ordens do presidente Trump, o novo “chefão do mundo”, a Foxconn, maior fabricante terceirizada de produtos eletrônicos do mundo, anunciou ontem que tem planos de montar uma nova fábrica nos EUA em um investimento que ultrapassaria os US$ 7bi.

Impulsionando a alta do “ouro negro” e consequentemente as ações das petrolíferas, representantes da Arábia Saudita e da Rússia se mostraram otimistas com o progresso do pacto para reduzir a produção global de petróleo que, segundo o ministro saudita de Energia, Jaled al Faleh, já atingiu 80% da meta global de corte de 1,8 milhão de barris diários.

-    Defendendo de forma firme e inesperada a globalização, o discurso do presidente chinês, Xi Jinping, foi a maior surpresa do Fórum Econômico Mundial este ano para Ilan Goldfajn, presidente do BC tupiniquim.

Política:

Já se antecipando a promessa do presidente Temer de priorizar em 2017 a aprovação de uma reforma tributária, a Câmara dos Deputados prepara uma proposta radical de mudança na forma de cobrança de impostos e contribuições sociais pelo governo federal, Estados e municípios, que pode causar a extinção de 7 tributos federais (IPI, IOF, CSLL, PIS, Pasep, Cofins e salário-educação), do ICMS (estadual) e do ISS (municipal).

Obviamente descartando o nome de Sergio Moro, o presidente Temer, com o receio de indicar alguém que passe a mensagem pública de interferência no Poder Judiciário, avalia para o Supremo Tribunal Federal nomes com perfis e trajetórias semelhantes aos do ministro Teori Zavascki, ou seja alguém que pareça técnico, apartidário e discreto.

Comandado pelo ministro Kassab, um larápio sem votos, os dirigentes do PSD já falam em desintegrar o centrão, que se desintegra desde a queda de Eduardo Cunha, e aderir de vez à agenda do governo Temer, apoiando a candidatura de Rodrigo Maia à presidência da Câmara.

Como testes na semana passada indicam que o trecho na cidade pernambucana de Floresta pode já estar em operação, aliados tentam convencer o presidente Temer a fazer uma visita às obras da transposição do rio São Francisco no fim deste mês, tentando assim estancar as críticas de que o combate à seca é preocupação secundária de integrantes de seu governo.

Em busca de pautas positivas para alavancar sua imagem nacionalmente com vistas a 2018, Alckmin, o governador tucano de SP, anunciará que, em meio à crise econômica, fechou 2016 com superávit de R$ 1,5bi, ressaltando que isto ocorreu pois ele adotou uma “política fiscal austera” e que permitiu que, no início de 2017, fosse feita a antecipação do 13º salário para 70.218 servidores.

Apesar da acusação de ter recebido recursos da Odebrecht em troca da aprovação uma medida provisória, o senador peemedebista Eunício Oliveira, com o apoio de partidos do governo e da oposição, deve ser eleito com tranquilidade no próximo dia 1º para comandar o Senado.

A Câmara alterou seu próprio entendimento e, ao se manifestar formalmente pela primeira vez, defendeu a possibilidade de reeleição de Rodrigo Maia, sustentando que, não havendo “vedação expressa”, ela está liberada.

-    O apoio interesseiro e descabido do PC do B a Rodrigo Maia estimulou o PSOL a avançar com a ideia de lançar um candidato próprio.
-    Sem nenhum escrúpulo, o diretório nacional do PT aprovou, por 45 votos a 30, composição com candidatos da base do governo Temer para eleição na câmara e no Senado.
-    Alem de ter amizade com pessoas que tinham processos julgados por ele e te der libertado, em tempo recorde, o banqueiro André Esteves, Teori Zavascki deixará de herança para seu substituto um gabinete com 7.574 casos pendentes.
-    Como já era de se esperar, foi revelado que provedores de uma estatal cubana, a Etecsa, foram usados por um perfil que promoveu ataques ao senador tucano Aécio Neves nas redes sociais durante a campanha presidencial de 2014.

Crítica:

Com um discurso de forte tom nacionalista, o que agrada seu público e já era esperado, na sexta-feira da semana passada Trump se tornou oficialmente o 45º presidente dos EUA, renovando suas promessas de "devolver" o governo aos cidadãos, gerar empregos e riqueza e colocar, em todas as situações, o seu país em primeiro lugar.

“Facilitando a destruição de provas”, os destroços do avião bimotor King Air, que caiu matando o ministro do Supremo Tribunal Federal Teori Zavascki e outras 4 pessoas, foram retirados do mar ontem por uma empresa contratada pelo grupo Emiliano, dono do avião, e não pela Força Aérea Brasileira, que declarou, na maior cara de pau, que encontrou dificuldades para executar a operação e que não faria o trabalho.

PAZ, amor e bons negócios;
Alfredo Sequeira Filho

O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer crítica, dúvida ou sugestão, favor contatar: alfredo@relatoriobrasil.com

Conheça e indique nosso Blog: www.relatoriobrasil.com
Curta nossa página no Facebook: www.facebook.com/relatoriobrasil


Nenhum comentário:

Postar um comentário