R.B. 19/JAN/17 "A esquerda é igual no mundo todo"



"A esquerda é igual no mundo todo"

São Paulo, 19 de janeiro de 2017 (QUINTA-FEIRA).

Mercados e Economia:

Hoje (1) a BOVESPA deve voltar a cair, acompanhando as perdas das demais bolsas mundiais, diante de um movimento de cautela antes da posse de Trump, e influenciada negativamente pelo novo recuo das commodities e (2) o DÓLAR pode subir, influenciado pela esperada piora do “humor” na bolsa brasileira e seguindo a valorização internacional da moeda norte-americana, diante dos sinais de aumento da inflação nos EUA.

Ontem, no BRASIL, (1) a BOVESPA caiu -0,3%, em um “saudável” movimento de realização de lucros após fechar o pregão anterior no maior patamar desde 31/OUT/16, influenciada negativamente pelo recuo das commodities, acompanhando as perdas das demais bolsas mundiais e com bom volume de negócios (R$ 7,5bi) e (2) o DÓLAR subiu 0,4% à R$ 3,22, respeitando o “suporte” dos R$ 3,20 e influenciado pelo aumento das “apostas” de alta dos juros nos EUA e de queda mais intensa da Selic no Brasil.

Também ontem, nas principais bolsas (1) da ÁSIA, Japão 0,4%, recuperando perdas recentes, principalmente entre exportadoras e China 0,2%, sustentada pela decisão do BC local de fazer uma significativa injeção líquida de US$ 39bi no mercado monetário por meio de contratos de recompra reversa, (2) da EUROPA, sem uma tendência única, Inglaterra 0,4%, França -0,1% e Alemanha 0,5%, com os investidores avaliando indicadores divulgados durante o pregão, entre eles a inflação ao consumidor na zona do euro, que registrou a maior alta desde SET/13, e também reagindo a notícias de empresas e (3) dos EUA, também sem uma tendência única, S&P 0,2%, DJ -0,1% e NASDAQ 0,3%, em um pregão marcado pela divulgação de que a inflação do país, pela primeira vez desde 2014, superou os 2% ao ano, e pelo anúncio de que a produção industrial norte-americana de DEZ/16 avançou no ritmo mais forte dos últimos 2 anos.

Segundo Janet Yellen, presidente do Fed (“BC” dos EUA) os dirigentes da autoridade monetária norte-americana esperam elevar os juros no país "algumas vezes por ano" para que até 2019, ressaltando que o tamanho da próxima elevação depende de como economia se desenvolve e que a meta de longo prazo é chegar em 3%.

Antecipando para o “mercado” os próximos movimentos de sua equipe, e portanto perdendo uma bela oportunidade de ficar calado, Ilan Goldfajn, presidente do BC, afirmou que a redução de -0,75% na taxa básica de juros, anunciada na semana passada, deve se repetir nas próximas reuniões do Copom, ressaltando também que a inflação no Brasil está caminhando para a meta.

Como quem avisa que “o gato subiu no telhado”, Meirelles, ministro brasileiro da fazenda, afirmou ontem que, já seguindo as projeções do FMI, em 10 dias sua equipe vai anunciar a revisão, para um nível mais baixo, das expectativas para o PIB brasileiro em 2017.

Segundo especialistas do setor, o início de um movimento de queda mais acentuada da taxa de juros do Brasil pode impulsionar negócios em energia elétrica, ao aumentar o interesse de investidores por licitações públicas para construção de linhas de transmissão e operação de hidrelétricas ou por aquisições de ativos.

Já que, coberto de razão, no penúltimo dia de 2016 o governador tucano Alckmin decretou o fim da isenção da cobrança de ICMS para frigoríficos e varejistas, que vigorava desde 2009, a partir de 1/ABR/17 o preço da carne nos supermercados do estado devem subir entre 6% e 7%.

Ajudando no controle da inflação e mostrando, pela enésima vez, que imóvel é um investimento arriscado e atualmente pouco rentável, no ano passado, sem contar a inflação de 6,29%, o valor médio para a locação de residências no país recuou -3,23% na comparação com 2015, o que representa uma queda real de -9,0% na mesma base de comparação.

Ainda com sua política populista e intervencionista, o que obviamente estimula a corrupção e reduz a competitividade do país, o governo Temer tenta fechar com as construtoras nas próximas semanas um pacote de estímulo ao setor que envolva o aumento do teto do valor dos imóveis que podem ser enquadrados no programa Minha Casa, Minha Vida.

Podendo ajudar a valorizar o pré-sal brasileiro, que se for totalmente privatizado, junto com a Petrobrás, “trará bastante dinheiro aos cofres públicos tupiniquins” via cobrança de impostos, ontem foi divulgado que no ano passado as descobertas de petróleo e gás natural ao redor do mundo caíram para o menor nível desde os anos 1940, o que significa que companhias como Exxon Mobil e Shell vão ter dificuldades para compensar o esgotamento de campos existentes e reforça as projeções de uma falta de oferta mais para o final desta década.

-    A Vale subiu 3,3%, refletindo a expectativa de um acordo de acionistas que leve a unificação de ações PNA com as ações ON.
-    A Pearson caiu -29,1% na bolsa de Londres, após divulgar expectativa menor de lucro para os próximos 2 anos.

Política:

Despreocupado com sua baixa popularidade e obstinado em ser marcado como um presidente reformista, ontem Temer anunciou que a próxima reforma a ser encaminhada pelo Executivo para discussão dos congressistas deverá se debruçar sobre a simplificação do sistema tributário brasileiro.

Como agora o PT não tem poder e, portanto, não é mais um “parceiro atraente”, os 12 deputados federais do PCdoB, agindo como se fossem do PMDB, decidiram anunciar apoio formal a candidatura de Rodrigo Maia, do DEM, à reeleição como presidente da Câmara, o que enfraquece bastante as candidaturas da oposição.

Por cautela, diante da delação da Odebrecht, e falta de consenso, o PT deverá adiar em pelo menos 1 mês o congresso em que será eleito o futuro comando do partido (ou seria da gang?) e que provavelmente Lula será aclamado como candidato petista à presidente do Brasil em 2018.

Aliados do deputado democrata Rodrigo Maia tentam convencer o presidente da Câmara, que tenta reeleição, de que abrir espaço para o PT na Mesa diretora não é importante apenas para vencer a disputa, mas pode ser fundamental para que tudo caminhe bem no Legislativo.

100% dispensáveis em um país sério, as 6 maiores centrais sindicais do pais, dominadas por marginais e gângster, se reúnem amanha para, pela primeira vez, traçarem um plano de ação conjunto contra a reforma da Previdência proposta pelo governo Temer.

Provando que “a esquerda é igual no mundo todo”, ontem, cerca de 8 anos depois de Obama dizer que Lula “é o cara”, um grupo de 12 deputados do Partido Democrata dos EUA divulgou uma carta pública em defesa do referido ex-presidente do Brasil, inclusive acusando o juiz Sergio Moro de persegui-lo por meio de decisões "arbitrárias".

Crítica:

Confirmando as péssimas perspectivas de evolução da sociedade tupiniquim, segundo um estudo da Visa Performance Solutions, a geração Millennials, formada com as pessoas nascidas entre os anos de 1980 e 2000 e que representa 30% da população brasileira, é a que mais concentra seus gastos em roupas (8% do total de suas despesas) e restaurantes (7%) no País.

Agindo como maus perdedores e tentando, provavelmente sem nenhum sucesso, colocar em cheque a maior e mais bem sucedida democracia do mundo, cerca de 25 deputados democratas decidiram boicotar a tradicional cerimônia de posse de Trump como novo presidente dos EUA.

PAZ, amor e bons negócios;
Alfredo Sequeira Filho

O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer crítica, dúvida ou sugestão, favor contatar: alfredo@relatoriobrasil.com

Conheça e indique nosso Blog: www.relatoriobrasil.com
Curta nossa página no Facebook: www.facebook.com/relatoriobrasil


Nenhum comentário:

Postar um comentário