R.B. 18/JAN/17 "Enfeitando o pavão"



"Enfeitando o pavão"

São Paulo, 18 de janeiro de 2017 (QUARTA-FEIRA).

Mercados e Economia:

Hoje (1) a BOVESPA deve cair, em um movimento de realização de lucros após fechar o pregão anterior no maior patamar desde 31/OUT/16, influenciada negativamente pelo recuo das commodities e acompanhando as perdas das demais bolsas mundiais e (2) o DÓLAR pode subir, respeitando o “suporte” dos R$ 3,20 e influenciado pelo aumento das “apostas” de alta dos juros nos EUA e de queda mais intensa da Selic no Brasil.

Ontem, no BRASIL, (1) a BOVESPA subiu 0,8%, revertendo uma abertura negativa, para fechar o dia no maior patamar desde 31/OUT/16 (aos 64.354pts), com bom volume de negócios (R$ 7,1bi) e, mesmo com as perdas das bolsas de NY, impulsionada principalmente pelas ações dos bancos, como Itaú (2,7%), Bradesco (2,8%) e Santander (2,3%) e (2) o DÓLAR caiu -0,6% à R$ 3,21, acompanhando a trajetória internacional da moeda norte-americana, diante de declarações de Trump, o presidente eleito dos EUA, de que a moeda do seu país já está "muito forte", e pressionada por um leilão de venda do BC.

Também ontem, nas principais bolsas (1) da ÁSIA, sem uma tendência única, Japão -1,5%, atingindo o menor patamar desde 8/DEZ/16, com destaques de queda para as exportadoras, diante da continuidade do fortalecimento da moeda local (o iene) frente ao dólar e China 0,2%, recuperando uma pequena parte das perdas do pregão anterior, (2) da EUROPA, Inglaterra -1,5%, França -0,4% e Alemanha -0,1%, pressionadas pela divulgação de dados econômicos piores do que o esperado, como o índice de expectativas econômicas alemão, e com os investidores absorvendo o discurso da primeira-ministra do Reino Unido, Theresa May, sobre a saída do país da União Europeia e (3) dos EUA, ainda realizando lucros recentes, S&P -0,3%, DJ -0,3% e NASDAQ -0,6%, pressionadas pelo mau desempenho das ações das empresas do setor financeiro, como JP Morgan (-3,7%), Bank of America (-4,2%) e Goldman Sachs (-3,5%), em meio a críticas de Trump sobre propostas tarifárias de legisladores de seu próprio partido.

“Enfeitando o pavão”, Meirelles, ministro brasileiro da fazenda, afirmou, durante uma reunião do Fórum Econômico Mundial em Davos, na Suíça, que os investidores globais estão positivamente impressionados com as reformas que estão sendo aprovados no Brasil, como a PEC do teto dos gastos, e nem avaliam a possibilidade de o governo Temer não chegar ao final.

Citando a desaceleração da inflação e a atividade econômica aquém do esperado, o Copom deixou claro na ata da sua reunião da semana passada que o ciclo de redução da taxa básica de juros será mais intenso do que se esperava, o que reforçou a tese de que no encontro de FEV/17 a referida autoridade monetária tupiniquim reduzirá a Selic novamente em -0,75%, dos atuais 13,00% para 12,25% ao ano.

Diretamente do Fórum Econômico Mundial em Davos, na Suíça, Ilan Goldfajn, o presidente do BC tupiniquim, reiterou que a autoridade monetária pode usar suas ferramentas cambiais para evitar volatilidade excessiva ou falta de liquidez dentro do regime de câmbio flutuante, que considera a primeira linha de defesa da economia contra choques externos.

Como precisa de dinheiro para equilibrar as contas públicas e quer estimular a economia para gerar empregos, o governo federal estuda a possibilidade de realizar mais uma rodada do pré-sal, sob regime de Partilha de Produção, neste ano além da que já estava programada.

-    Dando mais um sinal de queda da inflação, em DEZ/16 os preços agropecuários caíram -1,5% pelo segundo mês consecutivo no atacado, com isso a inflação acumulada em 12 meses veio para 9,3%, segundo o IGP-10, da FGV.
-    Certamente em um curto voo de galinha, em NOV/16, após 16 meses em queda, a venda de imóveis novos subiu 10,1% na comparação com NOV/15.
-    Mostrando a enorme disposição do país em se integrar cada vez mais ao mundo capitalista, Xi Jinping, presidente da China, é o primeiro mandatário do país a participar do Fórum Econômico Mundial em Davos, na Suíça.

Segundo Anthony Scaramucci, representante de Trump no Fórum Econômico Mundial de Davos, o novo presidente dos EUA não quer uma guerra comercial com a China, mas exigirá acordos comerciais que sejam simétricos, no lugar dos assimétricos que supostamente prejudicaram seu país nos últimos 71 anos.

-    A Lufthansa subiu 4,3% na bolsa da Alemanha, em meio a “rumores” de que a companhia aérea poderia se unir com a Etihad Airways, embora o Barclays tenha avaliado essa possibilidade como improvável.

Política:

Preparando seu discurso para lançar Ciro Gomes, quiçá até com o apoio do PT, como candidato à presidente da esquerda tupiniquim em 2018, a executiva nacional do PDT decidiu expulsar do partido o senador Telmário Mota, que votou a favor da Proposta de Emenda à Constituição que limita os gastos públicos por 20 anos, a chamada PEC do Teto.

Admitindo que, atualmente, o democrata Rodrigo Maia leva vantagem na disputa pela presidência da Câmara, aliados do candidato Jovair Arantes, PTB, ressaltam que a decisão do Supremo sobre a possibilidade de reeleição é a principal aposta do grupo e a única chance de vitória.

-    Reconduzido à presidência do PSDB em DEZ/16, o senador tucano Aécio Neves amanhã sua primeira visita desde então ao governador de SP Alckmin, seu principal rival na disputa interna para concorrer ao Planalto em 2018.
-    Lacaio à serviço de um bandido, Rui Falcão, presidente nacional do PT, disse ontem que o partido deve lançar o ex-presidente Lula à Presidência da República em seu congresso nacional, em ABR/17.
-   Mesmo sem a garantia de apoio de partidos da oposição, como o PT, ontem o PDT decidiu, por consenso, lançar oficialmente a candidatura do deputado André Figueiredo à presidência da Câmara.


Crítica:

Respondendo à um chamado de Trump, o novo presidente dos EUA que, com toda a razão, quer gerar mais empregos no seu país, a montadora General Motors, que é a maior dos EUA, anunciou ontem que vai investir cerca de US$ 1bi em suas fábricas norte-americanas, ressaltando que isto ajudará a criar mais de 1.000 empregos.

Indicando que o Brasil começa a ter lei, ontem, em uma operação conjunta da Polícia Civil no Paraná, SP e Mato Grosso do Sul, foram presos 8 lideres do MST que são acusados de manter os empregados de uma fazenda em cárcere privado sob a mira de armas de fogo, de roubarem 1,3 mil cabeças de gado e de cobrar de uma taxa, que podia chegar a R$ 35 mil, para que os donos da fazenda fossem autorizados a fazer a colheita da própria plantação.

PAZ, amor e bons negócios;
Alfredo Sequeira Filho

O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer crítica, dúvida ou sugestão, favor contatar: alfredo@relatoriobrasil.com

Conheça e indique nosso Blog: www.relatoriobrasil.com
Curta nossa página no Facebook: www.facebook.com/relatoriobrasil


Nenhum comentário:

Postar um comentário