R.B. 16/JAN/17 "Sem votos e sem nenhum escrúpulo"



"Sem votos e sem nenhum escrúpulo"

São Paulo, 16 de janeiro de 2017 (SEGUNDA-FEIRA).

Mercados e Economia:

Hoje (1) a BOVESPA deve voltar a cair, com bom volume de negócios por conta do vencimento de opções, acompanhando o recuo das commodities e o movimento descendente das principais bolsas mundiais, porem deve-se ressaltar que, para quem “aposta” na recuperação da economia tupiniquim, o patamar é interessante para compras e (2) o DÓLAR pode seguir em alta, seguindo a esperada piora do “humor” na bolsa brasileira e também a valorização internacional da moeda norte-americana, por conta da recuperação da referida maior economia do mundo e das “apostas” de alta dos juros nos EUA.

Sexta-feira, no BRASIL, (1) a BOVESPA caiu -0,5%, influenciada pelo recuo das commodities e realizando lucros após 4 altas consecutivos e depois de fechar o pregão anterior no maior patamar desde 8/NOV/16 (aos 63.953pts) e (2) o DÓLAR subiu 1,3% à R$ 3,22, quase zerando as perdas da semana, acompanhando a piora do “humor” na bolsa brasileira e também em um “ajuste técnico” após fechar o pregão anterior no menor patamar desde 8/NOV/16.

Também sexta-feira, nas principais bolsas (1) da ÁSIA, sem uma tendência única, Japão 0,8%, com destaques de alta para as exportadoras, beneficiadas pelo enfraquecimento da moeda local (o iene) frente ao dólar e China -0,2%, pressionada por dados fracos de comércio exterior, (2) da EUROPA, Inglaterra 0,6%, França 1,2% e Alemanha 0,9%, sustentadas pelas ações dos bancos, como Commerzbank (2,8%), Deutsche Bank (2,8%), Crédit Agricole (3,9%) e UniCredit (3,5%) e (3) dos EUA, sem uma tendência única, S&P 0,2%, DJ -0,1% e NASDAQ 0,5%, já que a divulgação de dados melhores do que o esperado da economia do país e de resultados positivos de bancos elevaram as “apostas’ de intensificação do ritmo de alta dos juros pela autoridade monetária norte-americana.

Tentando equilibrar melhor as coisas, começa hoje, na Suíça, o Fórum Econômico Mundial de Davos, o convescote anual da elite planetária e que desta vez, “colocando o capitalismo no divã”, incluirá em seus debates os esforços combinados para difundir oportunidades, renda, segurança e qualidade de vida.

Segundo o prestigiado economista Guillermo Larraín, que participou da mais recente reforma da previdência chilena, a poupança privada para a velhice, impulsionada pelo modelo do país, evita o aumento de impostos e é mais válida do que nunca com o envelhecimento da população.

Finalmente dando um sinal positivo da economia tupiniquim, em NOV/16, segundo dados oficiais do BC, atividade econômica teve alta de 0,20% na comparação com OUT/16, em dado dessazonalizado, patamar superior ao esperado pelo “mercado” (-0,1%) e resultado que representou o primeiro crescimento mensal desde JUL/16.

-    Para tentar dar mais um empurrão na atividade econômica, o governo federal abre nesta semana uma linha de crédito de R$ 1,2 bilhão voltado a micro e pequenas empresas.

Apresentando logo ao gringo, no desembarque e no embarque, como funcionam os monopólios tupiniquins, nos 3 terminais do aeroporto internacional de Guarulhos, a partir de FEV/17, o Banco Safra, que como a maioria dos bancos tupiniquins cobra spreads astronômicos, será a única opção para operações de câmbio.

Historicamente a bolsa de valores se antecipa à recuperação da economia, que por sua vez sempre caminha na frente do setor imobiliário, portanto, se a economia tupiniquim começa a dar sinais de que já passou do fundo do poço, é bom ressaltar que, mesmo com o corte da taxa básica de juros, o pior momento do setor imobiliário do país ainda está por vir e os preços dos imóveis ainda devem recuar.

Com o controle da inflação e a intensificação do ritmo dos cortes da taxa básica de juros, a era do investimento “sem esforço e sem risco” está ficando para trás, porem, fugindo de produtos atrelados ao CDI, ainda é possível buscar rentabilidades atraentes em aplicações totalmente prefixadas ou que pagam inflação mais juros prefixados.

-    A BRF caiu -2,7% e a JBS recuou -2,1%, já que ambas foram citadas como suspeitas de pagar suborno em um esquema de fraudes na liberação de créditos junto à Caixa Econômica Federal que teria ocorrido pelo menos entre 2011 e 2013.
-    O Pão de Açúcar caiu -1,7%, mesmo após anunciar que teve alta anual de 12,1% na receita líquida total da divisão alimentar no quarto trimestre de 2016, impulsionada por forte desempenho da operação de atacarejo da bandeira Assaí.

Política:

Como acreditam que “dinheiro publico não tem dono”, apesar de o Brasil enfrentar uma grave recessão, os senadores dobraram os gastos de seus gabinetes em Brasília com combustível, viagens, alimentação e Correios entre 2014 e 2016, atingindo no ano passado a cifra recorde de R$ 4,8mi, valor que seria suficiente para construir 8 escolas e remunerar por um ano 120 professores.

Enquanto Alexandre de Moraes, ministro tupiniquim da justiça, segue debatendo assuntos de segurança nacional pelo WhatsApp, o massacre de sábado no Rio Grande do Norte firmou no Planalto a convicção de que a crise prisional está longe do fim e elevou a pressão para que a reunião com secretários estaduais apresente medidas concretas para enfrentá-la.

Depois de ser recebido por Alckmin, o democrata Rodrigo Maia, que tenta a reeleição na presidência da Câmara, visitará a Câmara paulistana, que é presidida por um vereador do seu partido (o DEM) e que teve apoio do PSDB para vencer a eleição, o que é exatamente o que o referido deputado federal tenta reproduzir em Brasília.

Vice-presidente da comissão de reforma política na Câmara, o deputado Marcus Pestana, do PSDB de MG, amarra um acordo com a direção dos maiores partidos para que a votação do projeto que, elevando a cláusula de barreira, ameaça as siglas menores ocorra até JUL/17.

Com cada dia mais antipatia da população, as 6 principais centrais sindicais, que tem medo de perder recursos e consequentemente poder, se articulam para enviar na semana que vem uma carta ao governo pedindo calma na tramitação da reforma trabalhista.

-    O protagonismo de Carmen Lúcia, a presidente do Supremo Tribunal Federal, na negociação da dívida do Rio de Janeiro e na crise dos presídios tem criado ciúmes tanto no governo Temer como entre colegas dela do Judiciário.
-    Alijando o PT do centro do poder, aliados de Rodrigo Maia justificam por que não estão desrespeitando a regra da proporcionalidade ao empurrar os deputados petistas para fora da primeira-secretaria da Câmara.
-    Apesar de falar em ser candidato ao Planalto mais uma vez em 2018, o que causa tremores no mercado financeiro, Lula não tem sequer coragem de andar na rua e segue pregando apenas em locais fechados e com plateia escolhida á dedo.
-    Como no funcionalismo publico tupiniquim a pontualidade e a assiduidade são menos importantes que o apadrinhamento e malandragem, no ano passado cada um dos 3.154 servidores da Presidência da República faltou em média 5,5 dias ao trabalho.

Crítica:

“Sem votos e sem nenhum escrúpulo”, mas com muita moral no meio político, Kassab, “dono” do partido de aluguel PSD e atual ministro brasileiro de Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, está trabalhando descaradamente em favor dos provedores de internet, que já prestam um serviço péssimo e tem baixíssima concorrência, ao afirmar que é favorável ao fim dos pacotes de internet fixa ilimitada.

Ainda no mercado e com “alguma moral”, a agência de classificação de risco Moody's concordou em pagar US$ 864mi para o departamento de Justiça dos EUA encerrar o processo por seu envolvimento na chamada crise dos "subprimes", que abalou a economia dos EUA em 2008.

PAZ, amor e bons negócios;
Alfredo Sequeira Filho

O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer crítica, dúvida ou sugestão, favor contatar: alfredo@relatoriobrasil.com

Conheça e indique nosso Blog: www.relatoriobrasil.com
Curta nossa página no Facebook: www.facebook.com/relatoriobrasil


Nenhum comentário:

Postar um comentário