R.B. 26/DEZ/16 "É vagabundo, iletrado e que acha que tudo vai cair do céu"



"É vagabundo, iletrado e que acha que tudo vai cair do céu"

São Paulo, 26 de dezembro de 2016 (SEGUNDA-FEIRA).

Mercados e Economia:

Hoje (1) a BOVESPA deve subir, ampliando a valorização acumulada no ano (33,7%), beneficiada pelo avanço das commodities e, mesmo com baixo volume de negócios, seguindo o movimento ascendente das principais bolsas mundiais e (2) o DÓLAR pode seguir em queda, mesmo após 5 pregões consecutivos de baixa e após atingir o menor patamar desde 9/NOV/16, diante do fluxo positivo de recursos externos oriundos de exportações, captações e “investimentos”.

Sexta-feira, no BRASIL, (1) a BOVESPA subiu 1,2%, com baixo volume de negócios (R$ 4,7bi) e impulsionada pelo bom desempenho das ações da Petrobras (1,6%) e da Vale (2,2%), diante do avanço internacional das commodities e (2) o DÓLAR caiu -0,9% à R$ 3,27, diante de um incessante fluxo de entrada de recursos estrangeiros pela via financeira no mercado local e da desvalorização internacional da moeda norte-americana.

Também sexta-feira, nas principais bolsas (1) da ÁSIA, com poucos negócios, Japão não operou por conta do feriado do aniversário do imperador e China -0,9%, seguindo as perdas das bolsas de NY no dia anterior e com os investidores evitando negócios antes do fim de semana de Natal, (2) da EUROPA, recuperando as perdas da abertura, Inglaterra 0,1%, França 0,1% e Alemanha 0,1%, sustentadas pelas ações dos bancos, após o Monte dei Paschi conseguir ajuda oficial na Itália e o Deutsche Bank e o Credit Suisse fecharem acordos para pagar multas para a autoridade regulatória norte-americana e (3) dos EUA, em um pregão mais curto por conta do feriado natalino, S&P 0,1%, DJ 0,1% e NASDAQ 0,2%, próximas da estabilidade e com baixo volume de negócios.

Melhorando o perfil das contas publicas tupiniquins, o Tesouro Nacional informou que o BNDES, que agora não é mais “obrigado a emprestar para empresas amigas”, devolveu R$ 100bi aos cofres públicos, valor que corresponde a 1,6% do PIB e que será abatido da dívida bruta, hoje em 70,3% do PIB (R$ 4,3tri).

Se aproveitando, como toda empresa pode fazer em um mercado capitalista, da falta de educação financeira do consumidor brasileiro, que consome mais o que pode, para viver em um padrão superior às suas possibilidades, e não tem nem a capacidade intelectual de trocar uma divida cara por outra mais barata, em NOV/16 os juros do rotativo do cartão de crédito alcançaram 482% ao ano e os juros do cheque especial atingiram 331% ao ano, ambos no maior patamar da história.

Impulsionadas pela crise econômica, que segundo a Associação Comercial de São Paulo causou uma diminuição de -5% no ritmo de vendas do varejo no Natal de 2016 na comparação com 2015, as empresas que trabalham com compra e venda de estoque, atividade pouco explorada no Brasil mas muito comum nos EUA, esperam crescer 30% em 2017.

Após bater recorde em OTU/16, quando atingiram 18,9% ao ano, as taxas cobradas pelos bancos para emprestar às empresas recuaram um pouco no mês passado, para 18,2% ao ano, mas mesmo assim continuaram próximas dos patamares mais elevados desde que o BC começou a divulgar estatísticas sobre o assunto, em MAR/11.

Com a capacidade ociosa das fábricas se aproximando dos 30%, a indústria de transformados plásticos, que abastece e portanto depende de outros setores da economia, prevê fechar este ano de 2016 com uma retração de 11,1% no faturamento anual na comparação com 2015.

-    A Hypermarcas subiu 3,1%, após a empresa confirmar a venda de seu negócio de produtos descartáveis para a Ontex por R$ 1bi, a serem pagos em dinheiro na conclusão da transação, prevista para o primeiro trimestre de 2017.
-    O Itaú subiu 2,6% e o Bradesco avançou 2,1%, beneficiados pelo anúncio do BC de que em NOV/16 a inadimplência no mercado de crédito caiu -5,8% na comparação com OUT/16.
A Petrobras subiu % e, após o fechamento do pregão, o BNDES anunciou que a referida petrolífera liquidou dívida de R$ 16,7bi com o banco, referentes a 3 contratos de financiamento obtido pela subsidiária Transportadora Associada de Gás.

Política:

Convenientemente ignorando, como era de se esperar, o tema corrupção, o presidente Temer usou a rede nacional de rádio e TV na noite de sábado, véspera de Natal, para dizer que "muito já foi feito" em seu governo e para prometer vai derrotar a crise econômica em 2017 e que o Natal do ano que vem será "muito melhor do que este".

Metendo o dedo em um campo minado, os Deputados federais querem aproveitar a discussão da reforma da Previdência no próximo ano para reavaliar isenções tributárias que esvaziaram os cofres do governo e representam um terço do rombo previsto para as contas do INSS em 2017 e o alvo prioritário são as isenções concedidas a igrejas e instituições de ensino religiosas.

Acentuando uma tendência histórica de individualização das ordens na mais alta instância do Judiciário brasileiro e acirrando ânimos na classe política, neste ano de 2016 o Supremo Tribunal Federal tomou 18% menos decisões coletivas de atrito entre Poderes do que em 2015.

Criando uma regra para evitar disputas, o PMDB decidiu distribuir as presidências das comissões a que tem direito na Câmara pelo tamanho das bancadas estaduais, assim MG ficará com a cobiçada Comissão de Constituição e Justiça e o indicado, se tudo correr como esperado, será Rodrigo Pacheco.

Oportunista, como todo corrupto, o ex-deputado petista Cândido Vaccarezza, que foi líder dos governos de Lula e Dilma na Câmara dos Deputados, saiu do PT e assumiu, na última quinta-feira, o comando do PTdoB de SP pregando apoio ao governo Temer e o fortalecimento da esquerda em todo do seu novo partido.

Como sabe da importância de se fazer política, diferentemente de Dilma que durante 8 anos não teve tempo nem para receber Suplicy, o presidente Temer, nos poucos mais de 7 meses no cargo, já abriu as portas de seu gabinete no terceiro andar do Planalto para, ao menos, 200 audiências com deputados e senadores, isto contando apenas os registros de sua agenda oficial.

-    Ministros e presidentes de partidos do centrão já avaliam que são grandes as chances de a candidatura de Rodrigo Maia, do DEM do RJ, à reeleição na Câmara dos Deputados ser imbatível ou até a única competitiva da base aliada.
-   Apegado ao poder, Paulo Skaf, que está decidido a se reeleger no comando do Ciesp (Centro das Indústrias do Estado de São Paulo), pediu a aliados que façam ronda nos sindicatos para se certificar de que terá apoio.

Crítica:

Ilustrando de forma cabal como funciona a cabeça do brasileiro, que “é vagabundo, iletrado e que acha que tudo vai cair do céu”, segundo uma pesquisa divulgada pelo Datafolha na véspera do Natal 90% da população do país acredita que o sucesso financeiro se deve a Deus.

Criada para lavar dinheiro sujo e para enganar petistas otários, uma campanha de financiamento coletivo lançada em 7/DEZ/16 com o objetivo de ajudar o ex-presidente Lula atingiu ontem R$ 270 mil em doações, o que é pouco mais da metade da meta de R$ 500mil.

PAZ, amor e bons negócios;
Alfredo Sequeira Filho

O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer crítica, dúvida ou sugestão, favor contatar: alfredo@relatoriobrasil.com

Conheça e indique nosso Blog: www.relatoriobrasil.com
Curta nossa página no Facebook: www.facebook.com/relatoriobrasil


Nenhum comentário:

Postar um comentário