R.B. 27/DEZ/16 "A inflação finalmente voltando ao controle"



"A inflação finalmente voltando ao controle"

São Paulo, 27 de dezembro de 2016 (TERÇA-FEIRA).

Mercados e Economia:

Hoje (1) a BOVESPA deve seguir em alta, dando sequencia ao tradicional movimento de “embelezador de carteiras”, cujo objetivo, ainda possível de ser alcançado, é levar o índice a fechar o ano acima dos 60.000pts, o que pode ser facilitado com a valorização das commodities e (2) o DÓLAR pode voltar a subir, ainda recuperando perdas recentes, acompanhando a valorização internacional da moeda norte-americana e influenciado pelo aumento das “apostas” de elevação da taxa de juros dos EUA e de queda da Selic no Brasil.

Ontem, no BRASIL, (1) a BOVESPA subiu 1,2%, com irrisório volume de negócios (R$ 1,6bi), por conta dos feriados nos EUA e na Europa, e impulsionada por ações do setor bancário e por ações ligadas a commodities e (2) o DÓLAR subiu 0,2% à R$ 3,28, recuperando uma pequena parte das perdas acumuladas em 5 pregões consecutivos de baixa (-3,6%), diante do aumento das “apostas” de corte mais intenso da taxa básica de juros brasileira.

Também ontem, nas principais bolsas (1) da ÁSIA, sem uma tendência única, Japão -0,2%, com as exportadoras prejudicadas pela valorização da moeda local (o iene) frente ao dólar e China 0,4%, recuperando as perdas da abertura, em meio a expectativas de que Pequim ampliará investimentos em projetos de infraestrutura e (2) da EUROPA e dos EUA todas as bolsas permaneceram fechadas por conta do feriado de Natal.

Com o objetivo claro de recuperar a produtividade da economia brasileira, Meirelles, ministro da Fazenda, já acertou a vinda do renomado economista João Manoel Pinho de Mello, que recentemente defendeu ideias como a entrada de empreiteiras estrangeiras nas licitações e se mostrou contra isenções tributárias, para ocupar, a partir de MAR/17 (quando termina seu contrato em Harvard), uma secretaria no Ministério da Fazenda.

Aumentando a desconfiança em relação ao Brasil, o que pode pressionar a cotação do dólar, em NOV/16 as contas do governo federal registraram um déficit de R$ -38,4bi, o que (1) representa o pior resultado para o mês desde o início da série histórica, em 1997, (2) supera de longo o saldo negativo de R$ -21,2bi no mesmo mês do ano passado e (3) foi causado principalmente pelo rombo de R$ -18,9bi da Previdência Social.

Com “a inflação finalmente voltando ao controle”, o que certamente levará a cortes mais intensos da Selic, o “mercado” reduziu substancialmente, desta vez de 6,49% para 6,40%, suas “apostas” para o IPCA deste ano, patamar inferior ao topo da meta (6,5%), porem a projeção para o desempenho do PIB do país em 2016 piorou, desta vez de -3,48% para -3,49%.

Dando novos sinais negativos da economia brasileira, (1) em DEZ/16 o Índice de Confiança da Indústria tupiniquim caiu para o menor patamar desde JUN/16, atingindo 84,8pts, (2) mesmo com a abertura de 19 shopping centers no país em 2016, o setor fechará o ano de 2016 com um saldo negativo de -18.100 lojas, o que representa uma queda de -12,9% em relação a 2015, (3) descontada a inflação, o total de vendas em shoppings no Natal deste ano foram -8,7% menores do que no mesmo período de 2015 e (4) o Santander projeta que a taxa de desemprego, atualmente em 11,8%, atinja 13% no ano que vem.

Prometendo uma atitude mais "ativista" nas empresas em que tem participação, o BNDES, depois de um 2016 fraco, informou ontem que espera retomar em 2017 operações no mercado de capitais, tanto como vendedor de ações, quanto como apoiador de novas emissões por empresas brasileiras.

Com uma crise no financiamento das universidades federais, o MEC quer patrocinar um projeto de lei na Câmara para a criação de um fundo especial, que aceita doações de pessoas físicas e jurídicas, para custear as instituições de ensino.

Política:

Atuando, ao lado de Serra, como um dos principais fiadores da aliança do PSDB com o presidente Temer, ontem o senador tucano Aécio Neves, que também é presidente nacional do PSDB, afirmou que um distanciamento do seu partido com o governo neste instante custaria imensamente caro ao país.

Mesmo sem consenso entre a ala mais ideológica e os senadores mais pragmáticos, a maioria dos petistas vai votar no senador peemedebista Eunício Oliveira para a presidência do Senado e este acerto já vem desde que o PMDB, em uma manobra orquestrada por Renan Calheiros, articulou para fatiar o julgamento do impeachment de Dilma e assim garantir a manutenção dos diretos políticos da referida ex-presidenta.

Ainda com bastante trabalho pela frente para aprovar a Reforma da Previdência, Temer agora tem dito que quer colocar para andar já no começo de 2017 uma proposta de reforma tributária e, antes de formalizar um texto, vai pedir estudos à equipe econômica e consultar a comissão que debate o assunto na Câmara.

Com um discurso de aglutinar a oposição, a candidatura de André Figueiredo, do PDT do CE, à sucessão do democrata Rodrigo Maia foi lançada ontem na Câmara, porem caciques do PT dizem que o objetivo do partido na eleição de FEV/6 é conseguir uma vaga na Mesa e para isto seria melhor o partido de Lula integrar a chapa de um candidato favorito.

A intenção de Renan Calheiros de manter uma função de proa ao deixar a presidência do Senado, em FEV/17, esbarra em seu próprio partido, o PMDB, já que os senadores peemedebistas Raimundo Lira, Waldemir Moka e Eduardo Braga também têm interesse em comandar a legenda no ano que vem e já dizem que o referido senador alagoano tem uma pauta específica contra o Judiciário e o Ministério Público.

Mostrando que “ainda tem dinheiro para a mortadela”, a Central de Movimentos Populares, que faz parte da Frente Brasil Popular, “avisou” que organizará “Brigadas Populares” na periferia paulistana no início do ano contra o presidente Temer e contra João Doria, tucano recém-eleito prefeito de SP.

Pivô da mais recente ação penal contra Lula, o engenheiro Glaucos da Costamarques disse aos investigadores da Lava Jato que o valor pelo aluguel de um apartamento de sua propriedade usado pelo ex-presidente era repassado diretamente a ele por Roberto Teixeira, advogado e amigo do petista.

Lutando para ser o candidato tucano à presidente em 2018, Alckmin, governador de SP, fez novo gesto político ao emprestar bombas do sistema Cantareira para mitigar a seca no Nordeste.

Crítica:

Por conta da crise que assola o país, as prefeituras da maioria das cidades brasileiras estão economizando milhares de reais dos contribuintes ao cancelarem a iluminação natalina e as festas gratuitas de final de ano, o que deveria se tornar uma regra também para os tempos de bonança.

PAZ, amor e bons negócios;
Alfredo Sequeira Filho

O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer crítica, dúvida ou sugestão, favor contatar: alfredo@relatoriobrasil.com

Conheça e indique nosso Blog: www.relatoriobrasil.com
Curta nossa página no Facebook: www.facebook.com/relatoriobrasil


Nenhum comentário:

Postar um comentário