R.B. 16/DEZ/16 "Apesar das criticas e denúncias"



"Apesar das criticas e denúncias"

São Paulo, 16 de dezembro de 2016 (SEXTA-FEIRA).

Mercados e Economia:

Hoje (1) a BOVESPA deve cair, acompanhando a retração das commodities e a realização de lucros das principais bolsas mundiais, porem com bastante volatilidade já que segunda-feira será dia de vencimento de opções e (2) o DÓLAR pode voltar a subir, ainda seguindo a valorização internacional da moeda norte-americana diante da tendência de alta dos juros nos EUA.

Ontem, no BRASIL, (1) a BOVESPA subiu 0,3%, recuperando as perdas da abertura, quando na mínima chegou a recuar -1,0%, acompanhando a melhora do “humor” nas bolsas de NY e da Europa e beneficiada pelas medidas para reaquecer a economia que foram divulgadas pelo governo Temer e (2) o DÓLAR subiu 0,2% à R$ 3,37, seguindo a trajetória internacional da moeda norte-americana, que continua a reverberar a retomada do ciclo de aperto monetário nos EUA.

Também ontem, nas principais bolsas (1) da ÁSIA, Japão -0,1% e China -0,7%, prejudicadas pelos sinais de que o FED (“BC” dos EUA) vai elevar os juros em um ritmo maior que o esperado inicialmente, (2) da EUROPA, recuperando as perdas da abertura, Inglaterra 0,7%, França 1,0% e Alemanha 1,1%, impulsionadas por ações de bancos, como Barclays (3,5%), Santander (2,2%) e Deutsche Bank (3,8%), diante da avaliação de que os aumentos de juros nos EUA serão positivos para as instituições se ajustarem depois de um cenário de baixos rendimentos desde a crise financeira de 2008 e (3) dos EUA, S&P 0,3%, DJ 0,4% e NASDAQ 0,4%, também impulsionada por ações de empresas do setor financeiro, diante das “apostas” de que o novo governo, comandado por Trump, promoverá políticas que impulsionam o crescimento e a inflação.

Confirmando que a economia tupiniquim está com bastante dificuldade de sair do atoleiro, em OUT/16, segundo dados oficiai do BC, o índice de Atividade Econômica do país recuou pela quarta vez seguida, desta vez -0,48% na comparação com SET/16 e -3,88% na comparação com OUT/15.

Entre medidas a serem adotadas pelo governo Temer para tentar recuperar a economia tupiniquim estão (1) programa de recuperação tributária, que permite empresas e consumidores a usar prejuízos acumulados em anos anteriores para a liquidação de uma parte das suas dívidas com o Fisco, (2) cadastro positivo, que criará automaticamente uma lista de bons pagadores com o objetivo de reduzir os spread bancários, (3) permissão para o lojista oferecer desconto de acordo com o meio de pagamento do cliente, (4) redução do prazo para as bandeiras de cartão de crédito repassarem aos comerciantes os valores pagos, (5) obrigação para que as máquinas de cobrança nos estabelecimentos comerciais sejam compatíveis com todas as bandeiras de cartão de crédito, (6)  distribuição de cerca de 50% do resultado do FGTS para as contas dos trabalhadores, (7) redução da multa extra de 10% que as empresas pagam quando demitem um trabalhador sem justa, (8) unificação de várias guias e tributos, (9) facilitação do acesso ao BNDES para micro, pequenas e médias empresas, (10) regulamentação da Letra Imobiliária Garantida e (11) criação da duplicata eletrônica, aumentando a segurança das operações de descontos de recebíveis.

Segundo Luiz Carlos Trabuco, presidente do Bradesco, as soluções apresentadas no pacote de estímulo à economia lançado pelo governo Temer, principalmente as medidas de renegociação de dívidas tributárias e de débitos com o BNDES, têm potencial para iniciar "a virada das expectativas".

Com a renúncia fiscal prevista no pacote de incentivo à indústria paulista, que será anunciado hoje pelo governador Alckmin, o governo do Estado espera que as empresas beneficiadas invistam ao menos R$ 8bi, principalmente nos setores automotivo, de máquinas e equipamentos e de cosméticos.

Arrumando dinheiro barato para emprestar para quem precisa, e não mais para quem é “amigo” do governo, ontem o BNDES anunciou que fechou um convênio com o Banco Interamericano de Desenvolvimento, que prevê créditos de até US$ 2,4bi que serão destinados ao financiamento de investimentos produtivos e sustentáveis, como geradoras de energia eólica, solar e de biomassa.

Está ficando cada dia mais claro que, para enfrentar a crise política, agravada com as delações da Odebrecht, a melhor saída para o governo Temer e para os “nobres parlamentares” tupiniquins é “mostrar serviço” avançando rapidamente com a tramitação da Reforma da Previdência.

-    A Petrobrás subiu 0,7% e, após o fechamento do pregão, a empresa anunciou que fechou a venda de sua participação no grupo sucroalcooleiro São Martinho por US$ 133 milhões.

Política:

Trabalhando em ritmo acelerado, ontem, poucas horas depois de promulgar a emenda à Constituição que congela os gastos federais pelos próximos 20 anos, o plenário do Congresso Nacional aprovou a proposta de Orçamento para 2017 em uma votação que ocorreu de forma "simbólica" e que agora para a sanção do presidente Temer.

Escancarando mais uma vez a enorme insegurança jurídica tupiniquim, Luiz Fux, ministro do Supremo Tribunal Federal, mandou o Congresso Nacional recomeçar do zero o trâmite do pacote anticorrupção, já aprovado em primeiro turno na Câmara, alegando que ele foi totalmente desconfigurado pelos parlamentares.

Confirmando de que lado estão, os parlamentares do grupo chamado de “centrão”, liderados pelo deputado Paulinho da Força (do solidariedade), apresentaram ontem um pedido para que o Supremo Tribunal Federal impeça o democrata Rodrigo Maia, atual presidente da Câmara, de tentar a reeleição em FEV/17.

Aumentando a lista de denuncias contra o governo Temer, o Ministério Público Eleitoral identificou indícios de "fortes traços de fraude e desvio de recursos" na prestação de contas das gráficas Rede Seg, VTPB e Focal, que prestaram serviços à campanha da chapa presidencial vencedora na campanha de 2014.

“Apesar das criticas e denúncias”, quase todas pertinentes, em pouco tempo o presidente Temer conseguiu aprovar, (1) a PEC do teto dos gastos, (2) a medida provisória do ensino médio, (3) a MP do setor elétrico, (4) o projeto que desobriga a Petrobras de participar da exploração do pré-sal e (5) a Lei da Governança das Estatais.

-    Conforme já se esperava, ontem a Executiva Nacional do PSDB decidiu, durante um reunião em Brasília, prorrogar até MAI/18 o mandato do senador mineiro Aécio Neves como presidente do partido por um amplo placar de 29 a 2.
-    Incomodado com a recondução de Aécio à presidência do PSDB, Alckmin pode deixar o ninho tucano rumo ao PSB e assim se lançar à presidência da republica em 2018.
-    Mostrando seu estilo, João Doria convocou todo o seu secretariado a se vestir de gari no dia 2/JAN/16 para varrer as ruas de SP.

Crítica:

Mostrando como o PT conseguia tantas “canetas de aluguel” para defender Dilma, Lula, Dirceu e os demais bandidos do partido, ontem a delação de um executivo para a Lava Jato revelou que a Odebrecht fez dois empréstimos no total de R$ 3,5mi à Editora Confiança, que publica a revista "Carta Capital".

PAZ, amor e bons negócios;
Alfredo Sequeira Filho

O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer crítica, dúvida ou sugestão, favor contatar: alfredo@relatoriobrasil.com

Conheça e indique nosso Blog: www.relatoriobrasil.com
Curta nossa página no Facebook: www.facebook.com/relatoriobrasil



Nenhum comentário:

Postar um comentário