R.B. 6/OUT/16 "A Lava-jato avançando para trás"



"A Lava-jato avançando para trás"

São Paulo, 6 de outubro de 2016 (QUINTA-FEIRA).

Mercados e Economia:

Hoje (1) a BOVESPA deve seguir em alta, quiçá para fechar o dia acima dos 61.000pts, beneficiada pela divulgação cada vez maior de sinais de recuperação da economia brasileira e impulsionada pela importante aprovação do projeto que acaba com a estúpida obrigatoriedade da Petrobras de ser sócia e operadora única do pré-sal e (2) o DÓLAR pode seguir em queda, acompanhando a melhora do “humor” da bolsa tupiniquim para testar novamente o “suporte” dos R$ 3,20, porem deve-se ressaltar que o patamar é interessante para compras, principalmente diante das crescentes “apostas” de que a taxa básica de juros brasileira pode começar a cair já na reunião do Copom deste mês.

Ontem, no BRASIL, (1) a BOVESPA subiu 1,5%, para fechar o dia no maior patamar do ano e também desde 5/SET/14 (aos 60.254pts), beneficiada pela valorização das commodities e pelo aumento das “apostas” de vitórias do governo Temer na condução das medidas de ajuste fiscal e (2) o DÓLAR caiu -1,1% à R$ 3,21, influenciado pelos mesmos motivos que animaram a bolsa brasileira e também pela expectativa de aumento do fluxo positivo de recursos externos por conta da lei de repatriação de recursos ilegais no exterior.

Também ontem, nas principais bolsas (1) da ÁSIA, China ainda estava fechada por conta de feriado e Japão 0,5%, ainda com as exportadoras beneficiadas pela recente tendência de desvalorização da moeda local (o iene) frente ao dólar, (2) da EUROPA, realizando lucros recentes, Inglaterra -0,6%, França -0,3% e Alemanha -0,3%, pressionadas por especulações sobre uma possível desaceleração do programa de compra de ativos do BC Europeu e com destaques de queda para as ações de empresas do setor de tecnologia, como Avanquest (-3,3%) e Orange (-1,4%) e (3) dos EUA, recuperando as perdas da abertura, S&P 0,4%, DJ 0,6% e NASDAQ 0,5%, impulsionadas pelas ações do setor de energia, em um dia em que o contrato de petróleo Brent, negociado em Londres, encerrou a sessão acima dos US$ 50 por conta do anuncio de que os estoques da commoditie nos EUA diminuíram na semana passada.

Fazendo propaganda positiva do Brasil, hoje Ilan Goldfajn, presidente do BC tupiniquim, está em Washington, nos EUA, e na parte da manhã fará uma bateria de encontros com executivos de várias instituições financeiras, na parte da tarde participará de uma reunião entre ministros do BRIC (Brasil, Rússia, Índia e China) e à noite terá jantar de trabalho com os ministros e presidentes de BCs de países do G-20.

Contrariando a opinião do governo Temer, que fala em 2019, ontem o FMI divulgou um relatório que projeta que o Brasil só voltará a ter superávit primário nas contas públicas a partir de 2020 e que ressalta que a situação atual ocorreu por conta de políticas fiscais expansionistas adotadas pelos governos Lula e Dilma na maior parte da última década.

Ontem o Banco Mundial melhorou, de -0,2% para +1,1%, suas “apostas” para o desempenho do PIB brasileiro em 2017, porem segundo Augusto de la Torre, economista-chefe da referida instituição para a América Latina e Caribe, o ajuste necessário para que o Brasil retome o crescimento é "complicado" porque 2 de seus problemas estão interligados, os juros altos e o déficit fiscal.

Como o governo Temer, diferentemente de Lula e Dilma, não trata o brasileiro como idiota, Meirelles, ministro da Fazenda, fará hoje, ás 20h, um pronunciamento em cadeia nacional de rádio e TV para explicar didaticamente para a população a necessidade de o governo federal controlar suas contas, ressaltando que a aprovação do teto dos gastos ajudará o país a recuperar sua credibilidade e a confiança dos investidores, facilitando cortes na taxa básica de juros, retomada do crescimento e redução do desemprego.

Dando 3 sinais positivos da economia brasileira, (1) o volume de asfalto consumido entre JAN/16 e AGO/16 no Brasil cresceu 7% em relação ao mesmo período do ano passado, (2) em SET/16 o volume de títulos protestados no país recuou -5,6% na comparação com SET/15 e (3) em alta pelo terceiro mês seguido, em SET/16 a confiança do varejo em SP subiu 23,5% frente a SET/15.

Podendo dar o sinal que o Copom espera, e precisa, para iniciar, já neste mês, o processo de redução da estratosférica taxa básica de juros da economia tupiniquim, amanhã será conhecido o IPCA de SET/16, que vai animar bastante o “mercado” caso fique abaixo dos 0,31% projetados pela maioria dos economistas.

-    A Petrobras subiu 4,0%, e deve subir ainda mais hoje, já que na noite de ontem a base aliada do governo Temer consegui aprovar na Câmara, por 292 votos a 101, o projeto que acaba com a estúpida obrigatoriedade da referida estatal de ser sócia e operadora única do pré-sal.

Política:

Com “a Lava-jato avançando para trás”, ontem, mais uma vez, surgiram denúncias de que a corrupção na Petrobras já existia no governo FHC, o que prova, também mais uma vez, que a referida petrolífera precisa ser urgentemente privatizada, pois nas mãos da iniciativa privada vai crescer, pagar mais impostos, empregar mais gente e principalmente deixar de ser cabide de emprego e moeda de troca para os políticos, de qualquer partido, que estiverem no poder.

Colocando Lula cada dia mais perto da cadeia, afastando o país de se tornar ainda mais a terra da impunidade e representando uma vitória do Ministério Público Federal, ontem, por um placar apertado de 6 a 5, o Supremo Tribunal Federal decidiu a favor da prisão de réus condenados pela Justiça a partir de sentença de segunda instância, posição que terá, por jurisprudência, que ser seguida por todos os tribunais do país.

Na maior crise desde a sua fundação, que ocorreu em 10/FEV/80, o PT, apeado do governo federal e com cerca de 350 prefeituras a menos do que havia conquistado em 2012, projeta um cenário em que até 50 mil pessoas que ocupavam cargos comissionados nas máquinas administradas pelo partido perderão os postos em 2017, quando a sigla será desalojada de grandes estruturas como a Prefeitura de SP.

Pressionando, de forma inteligente, os deputados de sua base aliada a aprovarem o quanto antes a vital Proposta de Emenda à Constituição que limita os gastos públicos, o presidente Temer se reuniu com empresários e combinou que eles entrarão em contato direto com os parlamentares e também publicarão anúncios nos jornais nos próximos dias defendendo abertamente a medida.

Por conta da ausência de deputados da sua própria base de apoio e da falta de caráter da oposição, que ao que tudo indica não acham que a educação é importante para o país, ontem o governo Temer não conseguiu novamente votar a conclusão da Lei de Diretrizes Orçamentárias de 2017 e a liberação de verbas para o programa de financiamento estudantil, o Fies.

Também por falta de quorum, a votação do projeto que altera as regras para repatriação de recursos no exterior foi adiada de hoje para a próxima segunda-feira e, somente depois, os “nobres deputados” votam a Proposta de Emenda à Constituição que estabelece um teto para gastos públicos, inclusive para saúde e educação.

Desacreditado e abandonado, Mantega, ex-ministro da Fazenda, foi condenado pelo Tribunal de Contas da União pelas pedaladas fiscais no governo da ex-presidenta Dilma e com isto perderá o direito de trabalhar como funcionário público por 5 anos e também terá que pagar uma multa de R$ 54,8 mil, a maior possível.

Tentando desviar o foco da decisão do Supremo Tribunal federal de começar a investiga-lo, o senador peemedebista Renan, presidente do Senado, afirmou ontem que poderá manter o Congresso Nacional em funcionamento até o fim de DEZ/16 para viabilizar a aprovação da reforma política.

Crítica:

A lei de repatriação de recursos, que permite que o sonegador pague uma multa e um imposto para regularizar seu dinheiro não declarado no exterior, não obriga o detentor dos recursos a trazer tudo de volta para o Brasil, o que é uma decisão arriscada e provavelmente equivocada, já que a prudência sempre recomenda a diversificação, o Brasil segue sendo um país instável e arriscado e com boa assessoria é possível ter rendimentos no exterior com a mesma rentabilidade real (descontada a inflação) que se tem no Brasil.

Com as agencias, e obviamente seus funcionários geralmente despreparados, fazendo cada dia menos falta à população, que aprendeu a usar aplicativos e atendimento eletrônico, e também aos banqueiros, que já planejam fechar muitas agencias, a greve dos bancários completou ontem 1 mês.

Em um mundo que passa por mudanças de valores, segundo um estudo da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico, quase 15% dos jovens que vivem nos 35 países da referida organização, o que representa cerca de 40 milhões de pessoas, não trabalham, não estudam e não estão em formação, sendo que mais de 2/3 nem buscam ativamente um emprego.

PAZ, amor e bons negócios;
Alfredo Sequeira Filho

O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer crítica, dúvida ou sugestão, favor contatar: alfredo@relatoriobrasil.com

Conheça e indique nosso Blog: www.relatoriobrasil.com
Curta nossa página no Facebook: www.facebook.com/relatoriobrasil


Nenhum comentário:

Postar um comentário