R.B. 3/OUT/16 "É possível tirar o Brasil do vermelho"



"É possível tirar o Brasil do vermelho"

São Paulo, 3 de outubro de 2016 (SEGUNDA-FEIRA).

Mercados e Economia:

Hoje (1) a BOVESPA deve subir, acompanhando o movimento ascendente das principais bolsas mundiais, beneficiada pela valorização das commodities e “comemorando” a derrota humilhante do PT nas eleições municipais tupiniquins e (2) o DÓLAR pode cair, devolvendo a alta de 0,7% registrada no mês passado e ampliando a perda de -17,9% já registrada em 2016, influenciado pelos mesmos motivos que devem animar a bolsa Brasileira, porem deve-se ressaltar que o patamar é interessante para compras, principalmente para quem “aposta” na já provável redução da taxa básica de juros brasileira na reunião do Copom deste mês.

Sexta-feira, no BRASIL, (1) a BOVESPA subiu 0,1%, com destaques de alta para as ações de bancos, como Itaúsa (1,1%) e Banco do Brasil (0,8%), que recuperam perdas recentes, acompanhando a leve valorização das commodities e impulsionada principalmente pelas “apostas”, confirmadas ontem, de que o PT se tornará um partido nanico e (2) o DÓLAR caiu -0,1% à R$ 3,25, com baixa volatilidade justamente no dia de disputa pela formação da última taxa Ptax do mês.

Também sexta-feira, nas principais bolsas (1) da ÁSIA, Japão -1,5% e China -0,2%, ainda com preocupações com a saúde financeira dos bancos europeus, em especial do alemão Deutsche Bank, refletindo no “mercado”, que também tinha dúvidas sobre um recente acordo preliminar para a redução da produção de petróleo, (2) da EUROPA, recuperando as perdas do dia anterior, Inglaterra 0,2%, França 0,1% e Alemanha 1,0%, beneficiadas pela recuperação das ações dos bancos, como Crédit Agricole (0,9%),  BNP (0,8%) e Banca Popolare di Mileno (6,9%), diante de “rumores” de que o banco pode ter de pagar uma multa bem menor em um processo nos EUA e (3) dos EUA, S&P 0,8%, DJ 0,9% e NASDAQ 0,8%, também com destaques de alta para as ações dos bancos, como Bank of America (3,2%), JP Morgan (1,4%) e Citigroup (3,1%).

Como que avisando, principalmente para os empresários outrora “amigos do PT”, que “o gato subiu no telhado”, Meirelles, ministro brasileiro da Fazenda, afirmou durante o final de semana, que iniciou uma análise de todos os benefícios fiscais concedidos pelo governo Dilma, ressaltando que o objetivo é verificar a eficácia das medidas e entender quais devem ser encerradas.

Ajudando no controle da inflação, o que aliás pode estimular o BC tupiniquim a reduzir a taxa básica de juros na sua reunião deste mês, (1) a Comgás reduziu, de -1,2% a -12% dependendo do segmento e do volume consumido, suas tarifas de fornecimento do serviço, (2) em SET/16 o preço do leite, registrando a primeira queda em 7 meses, recuou -5,8% na comparação com AGO/16 e (3) a taxa de desemprego no país subiu para 11,8% no trimestre encerrado em AGO/16, o que representa o pior resultado da série histórica iniciada em 2012.

Como que corroborando com a opinião de que defende a privatização de quase todas as estatais tupiniquins, Wilson Ferreira Junior, presidente da Eletrobrás (uma das maiores geradoras de energia elétrica do mundo), afirmou, após ressaltar que a estatal não é eficiente em nenhuma das atividades que opera, que a construção do plano de reestruturação está em curso e que mais ativos da empresa podem ser postos à venda.

Conforme já era de se esperar, segundo um estudo feito pela maior corretora de valores do Brasil, os planos de aposentadoria privada conservadores vendidos por grandes bancos e seguradoras, apontados como uma das peças que podem aliviar o sistema previdenciário brasileiro, têm tido rentabilidade inferior à que os clientes conseguiriam se aplicassem diretamente em produtos com baixo risco disponíveis, como títulos públicos, que alem de renderem bem mais em liquidez imediata e taxa de administração muito mais baixa.

Enxergando a oportunidade de ganhar muito dinheiro fácil, à medida que tramitam no Congresso medidas que visam legalizar os jogos de azar no Brasil, o país deixa de ser visto como mera aposta e empresários do ramo começam a ativar negócios, com multinacionais de hotelaria e cassinos inclusive já colocando representantes e advogados para atuarem em seus nomes por aqui.

Por conta da redução do consumo interno, da retração da safra mundial e do aumento da demanda global, nos 8 primeiros meses deste ano as exportações brasileiras de açúcar subiram 31,5% na comparação com o mesmo período de 2015 e atingiram a marca de US$ 4,8bi.

Dando um passo histórico para o país, finalmente a China conseguiu aprovar a entrada do yuan, a moeda nacional, no clube fechado das moedas de referência do FMI, que também inclui o dólar, o euro, a libra esterlina britânica e o iene japonês e, comemorando bastante, o BC chinês prometeu um "aprofundamento" das reformas financeiras e da abertura do país.

Agradando cada dia mais o “mercado”, Pedro Parente, presidente da Petrobrás, afirmou (1) que ocorreu no país uma expectativa exagerada em relação ao pré-sal, o petróleo localizado em águas profundas, (2) que boa parte dos investimentos que fizeram a dívida da estatal explodir foram inúteis ou prejudiciais à companhia e (3) que irá cortar custos e espera levantar mais de US$ 15bi com a venda de ativos.

-    O Deutsche Bank subiu 16,1% na bolsa da Alemanha, após a divulgação de que a multa pela atuação da instituição sobre o mercado de títulos hipotecários à época da crise financeira de 2008 poderia ficar em US$ 5,4bi, ante os US$ 14bi divulgados anteriormente.

Política:

Começando a “tirar o Brasil do vermelho”, ontem, nas eleições municipais de SP o tucano João Doria, em uma arrancada surpreendente, conseguiu 53,3% dos votos válidos e, pela primeira vez na maior cidade do Brasil desde que o país passou a ter a possibilidade de eleições em 2 turnos, liquidou a fatura no primeiro turno derrotando o petista Haddad, que com o apoio intensivo de Lula ficou com apenas 16,7% dos votos.

Provando que “é possível tirar o Brasil do vermelho”, ontem o PT, partido que governou o país por 13 anos seguidos, sofreu a pior derrota da sua história, pois (1) tem apenas 1 prefeito eleito e disputa o segundo turno em somente 7 das 93 maiores cidades do país, contra 25 em 2008, (2) elegeu 644 prefeitos em 2012 e apenas 256 neste ano, (3) em todo país recebeu no total 6,8 milhões de votos, contra 17,2 milhões há 4 anos, (4) terá uma redução de -84% no volume de receitas geridas por prefeitos petistas e (5) governará apenas 6 milhões de brasileiros, contra 38 milhões em 2012.

Alem de humilhar o PT, que sai das eleições municipais como um partido pequeno e rumando para ser nanico, inclusive com boas chances de ser substituído pelo PSOL na liderança da esquerda brasileira, o resultado das eleições municipais cacifam o tucano Geraldo Alckmin a conseguir transpor seus “colegas” Aécio e Serra e ser escolhido o candidato do PSDB à presidência do Brasil em 2018.

Mostrando que, assim como Trump nos EUA, não tem habilidade política para comandar uma cidade como o RJ, ontem, logo após ser confirmado no segundo turno das eleições municipais do RJ, que disputará contra Crivella, Marcelo Freixo, do PSOL, afirmou que não quer apoio do PMDB pois ele é um partido golpista.

Outro fator importante de se avaliar nas eleições municipais deste ano, que mostra o descontentamento da população com a política, foi o elevado número de abstenções, votos brancos e votos nulos, que em algumas captais, como o RJ, quando somados superam os 43% do total de eleitores.

Falando de forma franca à população, o presidente Temer afirmou, (1) na defesa da reforma da Previdência que, sem mudanças, ele mesmo não receberá benefício no futuro, (2) em favor da aprovação da PEC que limita os gastos públicos, que sem a medida o Brasil por ir à falência e (3) que não vai se empenhar, por ora, em realizar a reforma trabalhista e que talvez nem precise fazê-lo.

Apresentando uma forma mais democrática de se fazer política, o partido NOVO, que disputou sua primeira eleição de sua curta história, conseguiu eleger 4 vereadores em grandes capitais do Brasil, com Felipe Camozzato, em Porto Alegre, Leandro Lyra, no RJ, Janaína Lima, em SP e Mateus Simões de Almeida, em BH.

Trocando apenas 40% de seus integrantes, nas eleições de ontem a Câmara Municipal de SP conseguiu mais do que dobrar a quantidade de mulheres eleitas, de 5 para 11 vereadoras, deu para o prefeito Doria 45% de base aliada já de saída e teve como campeão de votos Suplicy, que mesmo humilhado e tratado como idiota pelo seu partido ajudou a eleger outros 8 petistas.

Se preparando para conquistar o governo do Estado em 2018, ACM Neto, do DEM, foi reeleito para a prefeitura de Salvador com incríveis 73% dos votos válidos, derrotando de forma humilhante a candidata apoiada pelo governador petista Rui Costa, Alice Portugal, do PCdoB, que teve apenas 14,5% dos votos.

Em Recife, confirmando que o Brasil está se livrando do vermelho, o atual prefeito Geraldo Júlio, do PSB, chegou perto de uma vitória no primeiro turno, mas, com 49,3% dos votos, vai disputar o cargo com o petista João Paulo, que após o apoio intenso de Lula despencou nas pesquisas e passou para o segundo turno com 23,7% das intenções de voto.

Ganhando o apelido de Merdas, que é o primo pobre do Midas, a ex-presidenta Dilma subiu no palanque e conseguiu piorar inda mais o desempenho de seus “companheiros”, como (1) o petista Raul Pont, que despencou para 16,4% e não conseguiu ir para o segundo turno de Porto Alegre, (2) Jandira Feghali, do PCdoB, que teve apenas 3,3% das intenções de voto no RJ e (3) Alice Portugal, também do PCdoB, que com 14,5% foi humilhada por ACM Neto em Salvador.

Crítica:

Obviamente sentindo o “odor de sacanagem”, a ministra Carmen Lucia, nova presidente do Conselho Nacional de Justiça, “avisou” que vai fazer uma revisão de todas as resoluções do ministro Ricardo Lewandowski, seu antecessor no cargo, em especial as duas que ele assinou em seu ultimo dia de mandato introduzindo mudanças na gestão dos tribunais sem consultar e nem avisar sua referida sucessora.

Indicando que, alem de ter foco em Lula, mais gente ainda deve ser presa, a Operação Lava Jato, que caba de completar 30 meses, nos quais já desvendou a maior parte do esquema de corrupção na Petrobras, terá agora novos reforços na equipe da força-tarefa, inclusive com a entrada de um delegado já trabalhou no mercado financeiro.

PAZ, amor e bons negócios;
Alfredo Sequeira Filho

O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer crítica, dúvida ou sugestão, favor contatar: alfredo@relatoriobrasil.com

Conheça e indique nosso Blog: www.relatoriobrasil.com
Curta nossa página no Facebook: www.facebook.com/relatoriobrasil



Nenhum comentário:

Postar um comentário