R.B. 31/AGO/16 "Último dia do mês do desgosto"



"Último dia do mês do desgosto"

São Paulo, 31 de agosto de 2016 (QUARTA-FEIRA).

Mercados e Economia:

Hoje (1) a BOVESPA deve subir, “comemorando” o fim do processo de impeachment de Dilma, animada com as sinalizações iniciais do presidente Temer e acompanhando a valorização das principais bolsas mundiais e (2) o DÓLAR pode cair, acompanhando a esperada melhora do “humor” na bolsa brasileira, influenciado pelas “apostas” de que o Copom manterá a taxa de juros em 14,25% na reunião que termina hoje e com os vendidos ganhando a “briga” para a formação da cotação de fechamento do mês.

Ontem, no BRASIL, (1) a BOVESPA caiu -0,1, para fechar o dia aos 58.575pts, com baixo volume de negócios (R$ 5,4bi) e realizando lucros recentes por conta da queda das commodities e do recuo das bolsas de NY e (2) o DÓLAR subiu 0,1% à R$ 3,24, também com poucos negócios, em compasso de espera antes da conclusão do processo de impeachment da presidenta Dilma e acompanhando a trajetória internacional da moeda norte-americana.

Também ontem, nas principais bolsas (1) da ÁSIA, Japão 0,1% e China 0,2%, beneficiadas pelo desempenho positivo dos mercados acionários de NY no dia anterior, (2) da EUROPA, Inglaterra 0,2%, França 0,8% e Alemanha 1,1%, com destaques de alta para as exportadoras, como BMW (2,1%), Volkswagen (2,0%), Renault (1,1%), beneficiadas pela fraqueza do euro frente ao dólar e (3) dos EUA, realizando lucros recentes, S&P -0,2%, DJ -0,3% e NASDAQ -0,2%, já que a divulgação de dados melhores do que o esperado da economia do país pode estimular o FED (“BC” local) a elevar a taxa de juros já na reunião de SET/16.

Hoje, com pouca atenção da população e com mais de 95% do “mercado” apostando na manutenção, após o fechamento da bolsa o Copom termina sua reunião, a segunda comandada por Ilan Goldfajn, e deve anunciar que a taxa básica de juros da economia brasileira permanecerá em 14,25% ao ano.

Sem as pedaladas da Dilma e com a crise se aproximando do fundo do poço, em JUL/16 as contas do governo federal fecharam o mês com déficit de R$ -18,6bi, o que representa um aumento de 140% em relação ao resultado negativo do mesmo período do ano passado, já descontada a inflação do período, e eleva para R$ -51,1bi o déficit já acumulado do ano, ante R$ -8,9bi nos 7 primeiros meses de 2015.

Indicando que a recuperação da economia tupiniquim será mais demorada do que o desejado, a equipe do presidente Temer já trabalha com a possibilidade de a taxa de juros começar a cair só no próximo ano e os principais motivos são (1) o ritmo ainda lento de queda da inflação e (2) a demora na aprovação das medidas fiscais propostas pelo governo.

Acreditando, com toda a razão, que após o impeachment de Dilma os investidores terão mais confiança em colocar dinheiro no Brasil, a diretoria da Agência Nacional de Energia Elétrica aprovou o reagendamento para 28/OUT/16 de um leilão que oferecerá concessões para a construção e operação de linhas de transmissão de eletricidade, antes com previsão para 2/SET/16.

Em tese usado como referencia dos reajustes dos contratos de aluguel, o IGP-M de AGO/16 registrou uma alta de apenas 0,15%, patamar inferior ao auferido em JUL/16 (0,18%), porem, ainda em patamar elevado, ainda acumula um avanço de 6,25% no ano e de 11,49% nos últimos 12 meses.

Com os trabalhadores brasileiros ainda “pagando o pato” da incompetência e da corrupção do governo Dilma, no trimestre encerrado em JUL/16, apesar da economia dar sinais de que começa a estabilizar, a taxa de desemprego no país atingiu 11,6%, patamar (1) superior ao auferido no trimestre anterior (11,2%), (2) maior que o previsto pelo “mercado” (11,5%) e (3) recorde histórico desta pesquisa, iniciada no primeiro trimestre de 2012.

Mesmo com a ampliação das ciclovias nas principais cidades do país, com destaque para SP, e do suposto estímulo ao esporte por conta das Olimpíadas do RJ, segundo estimativas do setor em 2016, principalmente por conta da crise, a produção de bicicletas no Brasil deve cair -28,6% na comparação com 2015.

“Nadando de braçadas”, mesmo diante da crise, a companhia de comércio eletrônico Mercado Livre, que recentemente divulgou alta de 61% na receita líquida no Brasil no segundo trimestre sobre o mesmo período do ano passado, abriu ontem uma nova sede no país, concluindo um investimento de R$ 105mi, após uma série de aquisições no país que expandiram em cerca de 38% o seu quadro de pessoal.

Política:

Hoje, coincidentemente “último dia do mês do desgosto”, o Brasil começará a se libertar do PT já que, provavelmente com mais votos do que os 54 necessários, a ex-presidenta Dilma terá seu processo de impeachment definitivamente aprovado no Senado, porem é importante ressaltar que “a luta continua”, já que ainda existem muitos bandidos a serem cassados, presos e condenados, no executivo, no legislativo e também no judiciário.

“Mijando no poste”, como deve ser, hoje, logo após a confirmação da queda de Dilma pelo Senado, o presidente Temer vai, pela ordem, (1) fazer uma reunião ministerial, (2) tomar posse em solenidade no Congresso Nacional, (3) convocar uma cadeia de rádio e TV para um pronunciamento à população e (4) viajar à China para representar o Brasil na reunião do G-20.

Mostrando que o governo Temer começa a ganhar ritmo, na noite de ontem a Câmara dos Deputados concluiu a votação do projeto de renegociação da dívidas dos Estados com a União e a maioria dos deputados rejeitou os 3 destaques apresentados durante a sessão, o que foi amplamente comemorado pelo Palácio do Planalto.

-        Confirmando que quer seguir prejudicando o Brasil, Dilma já mandou seu advogado e lacaio José Eduardo Cardozo preparar duas ações para recorrer imediatamente ao Supremo Tribunal Federal após seu impeachment ser definitivamente aprovado.
-        Com menos intenção de voto que Erundina, do PSOL, Haddad, prefeito petista de SP que tenta reeleição, passou a ser formalmente investigado pelo Ministério Público em processo que apura desvios no Theatro Municipal.
-        Já se preparando para o futuro, o democrata Rodrigo Maia, presidente da Câmara, recebeu ontem deputados e ministros de DEM, PSDB, PPS e de parte do PMDB para discutir o “pós-impeachment” e organizar a resistência ao centrão.

Crítica:

Confirmando, pela enésima vez, a urgência de mudanças na lei que dá estabilidade de emprego ao funcionalismo publico tupiniquim, servidores do Tesouro Nacional, não satisfeitos em pararem atividades importantes como a venda de títulos públicos pelo Tesouro Direto, promoveram ontem um apitaço na sede do Ministério da Fazenda, como mais um protesto exigindo reajustes salariais acima da inflação.

PAZ, amor e bons negócios;
Alfredo Sequeira Filho

O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer crítica, dúvida ou sugestão, favor contatar: alfredo@relatoriobrasil.com

Conheça e indique nosso Blog: www.relatoriobrasil.com
Curta nossa página no Facebook: www.facebook.com/relatoriobrasil



Nenhum comentário:

Postar um comentário