R.B. 7/JUL/16 "A primeira derrota importante do governo Temer"



"A primeira derrota importante do governo Temer"

São Paulo, 7 de julho de 2016 (QUINTA-FEIRA).

Mercados e Economia:

Hoje (1) a BOVESPA deve cair, mesmo com a recuperação das principais bolsas mundiais, influenciada negativamente pela primeira grade derrota do governo Temer, já que ontem a Câmara dos Deputados rejeitou o pedido de urgência para o projeto que trata do acordo sobre a dívida dos Estados com a União e (2) o DÓLAR pode voltar a subir, para elevar a valorização já registrada no mês (3,9%), acompanhando o esperado “humor negativo” na bolsa brasileira e pressionado pelos leilões de compra do BC.

Ontem, no BRASIL, (1) a BOVESPA subiu 0,1%, com baixo volume de negócios (R$ 5,3bi) e revertendo as perdas da abertura, quando na mínima recuou -1,9%, diante recuperação das commodities e das altas das bolsas norte-americanas e (2) o DÓLAR subiu 1,0% à R$ 3,34, para fechar em território positivo pelo 4º pregão consecutivo, já que o BC continuou a atuar na ponta compradora e os mercados externos seguiram instáveis.

Também ontem, nas principais bolsas (1) da ÁSIA, ainda sem uma tendência única, Japão -1,8%, com destaques de queda para as exportadoras, prejudicadas pela valorização da moeda local (iene) frente ao dólar e China %, recuperando as perdas da abertura, sustentada por ações defensivas ligadas ao álcool e ao ouro, (2) da EUROPA, em queda pela 3ª sessão consecutiva, Inglaterra -1,2%, França -1,9% e Alemanha -1,7%, ainda em meio a temores renovados sobre os desdobramentos da saída do Reino Unido da União Europeia, já que, em um efeito dominó, mais 2 fundos de investimento imobiliário decidiram suspender suas operações no Reino Unido, elevando o número total para cinco e (3) dos EUA, revertendo as perdas da abertura, S&P 0,5%, DJ 0,4% e NASDAQ 0,7%, diante do aumento das “apostas” de que Fed (“BC” local) não deve elevar juros em breve, apesar de dados econômicos mostrarem que a maior economia do mundo recuperou ritmo no segundo trimestre, por conta das turbulências na Europa.

Ressaltando que temas como a renegociação das dívidas dos Estados e o reajuste de salários de funcionários públicos e do Bolsa Família não mudam o cenário tupiniquim de longo prazo, as agencias de classificação de risco Moody's e S&P alertam que suas atenções estão voltadas para a capacidade do governo Temer de aprovar propostas no Congresso para corrigir a deterioração fiscal do país, como a reforma da previdência e a proposta limitar por até 20 anos o aumento dos gastos públicos à inflação.

Conforme já era de se esperar, para evitar que o déficit de 2017 se aproxime dos R$ -200bi, patamar considerado alarmante, e fique no máximo em R$ -160bi, a equipe econômica de Temer avalia a elevação de impostos como a Cide e o PIS/Cofins, a venda de dívidas ativas da União no mercado e um programa de privatizações e concessões.

Coberta de razão, Ana Paula Vescovi, secretária do Tesouro Nacional, “avisou” que o governo Temer vai esperar o país sair da crise para reavaliar subsídios e incentivos concedidos nos últimos anos para estimular a atividade econômica, como a desoneração da folha de pagamento de setores da indústria, e ressaltou que é possível aprovar ainda neste ano uma reforma da Previdência no Congresso e que é contra estender a municípios endividados os benefícios concedidos aos Estados.

Ainda apresentando sinais negativos da economia tupiniquim, (1) no primeiro semestre deste ano a produção de veículos no país caiu -21,5% na comparação com o mesmo período de 2015 e assim regrediu aos níveis de 2004 e (2) o Brasil caiu do sétimo lugar, em DEZ/15, para o décimo, em MAI/16, no ranking mundial de vendas de automóveis.

Obviamente excluindo “empresas amigas” como Odebrecht e JBS, a quantidade de empresas que entraram no cadastro de suspensas ou inidôneas, e com isto não podem fazer contratos com o setor público, cresceu 22% no primeiro semestre deste ano, na comparação com o mesmo período de 2015.

Como reflexo do aumento da crise econômica, do desemprego e da busca por melhores alternativas de investimento, nesta ordem de importância, no primeiro semestre deste ano os saques na caderneta de poupança, que está perdendo até para a inflação, superaram os depósitos em R$ 42,6bi, o que representa o pior resultado para o primeiro semestre em toda a série histórica, iniciada em 1995.

Política:

Representando “a primeira derrota importante do governo Temer”, ontem, por conta da enorme “eficiência” do PT na oposição, a Câmara dos Deputados rejeitou o pedido de urgência para o projeto de Lei que trata do acordo sobre a dívida dos Estados com a União.

Metendo o bedelho na livre iniciativa privada e assim complicando cada dia mais a vida dos empresários, os deputados da Assembleia Legislativa de SP aprovaram ontem uma nova lei, que já havia sido previamente vetada pelo governador Alckmin, que obriga os restaurantes à la carte e rodízios de todo o estado a dar descontos de 30 a 50% no valor integral da refeição para quem fez cirurgia de redução de estômago.

Acreditando que ainda é um “pop star” da política tupiniquim, Lula, que está em Brasília, autorizou o PT a incluir as eleições municipais deste ano na negociação com senadores para a votação final do impeachment de Dilma, oferecendo seu apoio formal para aqueles que querem se candidatar a prefeito em OUT/16.

Aliado “fiel” de Eduardo Cunha, o deputado Federal do Pros Ronaldo Fonseca, relator do recurso do referido presidente afastado da Câmara na Comissão de Constituição e Justiça, conseguiu nomear um aliado para a direção-geral do Arquivo Nacional às vésperas de apresentar o parecer no qual defendeu a anulação da sessão do Conselho de Ética que recomendou a cassação do mandato do peemedebista.

Com potencial para atrapalhar a vida de Eduardo Cunha e criar dor de cabeça para o governo Temer, congressistas aliados de Waldir Maranhão afirmam que ele cogita votar no plenário, na primeira semana de AGO/16, a declaração de vacância do cargo de presidente da Casa, o que levaria a eleição imediata de um novo representante dos deputados, antes da esperada sessão que analisaria a cassação de Cunha e do fim do processo de impeachment.

Mostrando sua face ditatorial e corporativista, o Supremo Tribunal Federal, como se não tivesse nada mais importante para fazer, enviou à Polícia Federal um pedido para que seja aberta uma investigação para apurar os responsáveis por levar para uma manifestação Av. Paulista bonecos do presidente do Tribunal, Ricardo Lewandowski, e do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, ressaltando que eles são “uma grave ameaça à ordem pública e inaceitável atentado à credibilidade do Judiciário”.

Crítica:

“De forma nefasta e cada dia mais difundida”, médicos ganham “mimos”, inclusive em dinheiro vivo, para receitar remédios para quem não precisa e, turbinado por pais incapazes de educar um filho e por escolas que querem padronizar seus alunos, o Brasil já é o segundo consumidor mundial de ritalina, conhecida como a droga da obediência.

Mostrando que o brasileiro médio tem mentalidade socialista, segundo uma pesquisa divulgada ontem 77% da população tupiniquim considera justa uma cobrança maior de impostos para quem tem salários maiores e menos tributos para quem tem salários menores.

Provando que o governo petista era o maior cliente do mundo do Facebook, a referida empresa de Mark Zuckerberg recebeu R$ 44,6mi em publicidade estatal federal em 2015, o que representa um aumento de 68,5% na comparação com 2014 e 4 vezes mais na comparação com 2013.

PAZ, amor e bons negócios;
Alfredo Sequeira Filho

O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer crítica, dúvida ou sugestão, favor contatar: alfredo@relatoriobrasil.com

Conheça e indique nosso Blog: www.relatoriobrasil.com
Curta nossa página no Facebook: www.facebook.com/relatoriobrasil



Nenhum comentário:

Postar um comentário