R.B. 29/JUL/16 "Funcionário público é considerado cidadão diferenciado"



"Funcionário público é considerado cidadão diferenciado"

El Colorado, 29 de julho de 2016 (SEXTA-FEIRA).

Mercados e Economia:

Hoje (1) a BOVESPA deve seguir em queda, acompanhando a retração das commodities, seguindo a realização de lucros das principais bolsas mundiais e prejudicada pela divulgação de resultados corporativos ruins de empresas brasileiras e (2) o DÓLAR pode voltar a subir, com “boas chances” de fechar o mês acima dos R$ 3,30, acompanhando a piora do “humor” na bolsa brasileira e a trajetória internacional da moeda norte-americana.

Ontem, no BRASIL, (1) a BOVESPA caiu –0,3%, com razoável volume de negócios (R$ 7,1bi), acompanhando a instabilidade das principais bolsas mundiais e pressionada principalmente por balanços fracos do Bradesco, cujas ações recuaram -4,4%, e do Pão de Açúcar, que despencou -10,4% e (2) o DÓLAR subiu 0,7% à R$ 3,29, pressionado pelos leilões de compra do BC, acompanhando a piora do “humor” na bolsa brasileira e já sofrendo influência da “briga” para a formação da cotação de fechamento do mês.

Também ontem, nas principais bolsas (1) da ÁSIA, Japão -1,1% e China -0,1%, em meio a incertezas sobre possíveis novos estímulos no Japão e preocupações com planos de Pequim de endurecer sua postura com produtos de gestão de riquezas, (2) da EUROPA, Inglaterra -0,4%, França -0,6% e Alemanha -0,4%, prejudicadas pela divulgação de resultados corporativos piores do que o esperado de grandes empresas como Lloyds (-5,8%) e Shell (-2,9%) e (3) dos EUA, sem uma tendência única, S&P 0,1%, DJ -0,1% e NASDAQ 0,3%, já que, passada a reunião de política monetária do Fed (“BC” local), os investidores voltaram a atenção para a nova leva de balanços, com mistos como o Facebook (1,3%), que lucrou quase 3 vezes mais que no mesmo período do ano passado, e a Ford (-8,2%), que afirmou que a indústria automobilística norte-americana já não está mais em recuperação e que as vendas em 2017 serão mais fracas do que as deste ano.

Mostrando como será difícil, quiçá impossível, cumprir o teto de gastos proposto pelo presidente Temer sem uma reforma da Previdência, no primeiro semestre deste ano o pagamento de aposentadorias, pensões e outros benefícios previdenciários levou os gastos do governo a crescerem 0,3% acima da inflação no primeiro semestre deste ano em relação às do período correspondente de 2015, percentual parece pequeno, mas corresponde a uma alta nominal de 10%.

Com o Brasil ainda “pagando o pato” do governo Dilma, (1) a arrecadação federal de impostos, que tinha apresentado sinais de melhora em MAI/16, voltou a perder fôlego em JUN/16 e assim fechou o primeiro semestre deste ano com queda real, que já desconta a inflação, de -7,33% em relação ao mesmo período de 2015, (2) o faturamento das agências de viagens corporativas caiu -11,5% no primeiro semestre deste ano em relação a igual período de 2015 e (3) os profissionais com grau universitário que conseguiram um novo emprego no primeiro semestre foram contratados por um salário -6,6% mais baixo que no mesmo período de 2015.

Registrando um sinal positivo de controle da inflação, o IGP-M, usado como referência para a correção de valores da maioria dos contratos de aluguel, apresentou uma alta de apenas 0,18% em JUL/16, contra 1,69% em JUN/16, registrando agora uma alta de 11,63% nos últimos 12 meses.

Quebrando o monopólio imposto pelo governo petista, a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) anunciou que estuda incluir, no próximo leilão de áreas de petróleo, blocos próximos a campos que a Petrobras colocou à venda, ressaltando que quer oferecer oportunidades para os investidores criarem grandes polos de exploração.

Em uma vitória da diplomacia brasileira, capitaneada pelo chanceler tucano José Serra, ontem foi celebrado em Washington um acordo que libera a entrada de carne bovina "in natura" do Brasil no mercado norte-americano, pondo fim a uma negociação que se arrastava desde 1999.

Reeditando uma promessa antiga, Carrefour, segunda maior rede de varejo do mundo, “avisou” que pode realizar uma oferta pública inicial de ações de suas operações no Brasil no próximo ano, ressaltando que os recursos levantados poderiam ajudar a financiar sua expansão e destravar valores de seus ativos.

-    O Bradesco recuou -4,4%, já que, no mesmo dia em que Luiz Trabuco, seu presidente, foi indiciado por fraude fiscal na operação Zelotes, o banco divulgou que seu lucro líquido recorrente do segundo trimestre deste ano foi -7,6% menor que no mesmo período de 2015, supostamente impactado pelo aumento da inadimplência e pela redução de sua carteira de credito.
-    O Pão de Açúcar despencou -10,4%, após anunciar que teve prejuízo de R$ -583mi no segundo trimestre, ampliando resultado negativo de R$ -13mi registrado para o mesmo período do ano passado.

Política:

Com 536 páginas, obviamente nenhuma escrita por ela, ontem a ex-presidenta Dilma mandou José Eduardo Cardozo, seu advogado e “faz tudo”, entregar as alegações finais da sua defesa no seu processo de impeachment em análise em uma comissão especial no Senado.

Sem nenhum escrúpulo ou preocupação em queimar ainda mais o filme do Brasil no cenário mundial, o ex-presidente Lula, que claramente está com medo de ser preso, decidiu recorrer à Comissão de Direitos Humanos da ONU contra o juiz Sergio Moro, acusando-o de violar seus direitos.

Fazendo um importante alerta, o Juiz federal Sergio Moro afirmou, durante um ato de juízes, procuradores e promotores contra o projeto de lei, capitaneado pelo senador Renan Calheiros (investigado na Lava Jato), que pune o abuso de autoridade, que a proposta é "preocupante", é contra o Estado de Direito e "pune o juiz por interpretar a lei".

A união de Marta Suplicy, do PMDB, com Andrea Matarazzo, do PSD, na disputa pela Prefeitura de SP é o primeiro passo para a formação de um novo grupo que pretende, assim como tentou Marina Silva em 2010 e em 2014, romper a polarização entre o PT e o PSDB não só a capital paulista, mas também no cenário nacional, principalmente “de olho” nas eleições presidenciais de 2018.

Acusado de acusado de enriquecimento ilícito durante exercício do mandato de deputado federal entre 1998 e 2002, a Justiça Federal de Brasília recebeu ação de improbidade administrativa e transformou em réu o peemedebista Henrique Eduardo Alves, que é ex-ministro do Turismo e ex-presidente da Câmara.

Crítica:

Mostrando, pela enésima vez, como é difícil fazer negócios, gerar empregos e estimular a economia no Brasil, ontem o Ministério Público do Estado do RJ, possivelmente criando dificuldades para depois vender facilidades, abriu ação para impedir a continuação das operações da Companhia Siderúrgica do Atlântico (CSA), controlada pelo grupo alemão ThyssenKrupp, cobrando novas análises sobre os impactos ambientais do empreendimento.

Provando, também pela enésima vez, que “funcionário público é considerado cidadão diferenciado”, 17 ministros que integraram o governo federal até o afastamento de Dilma receberão salário mensal, de R$ 30,9mil, até o fim deste ano e nesta “lista da alegria” também entram vários ex-presidentes de empresas e institutos públicos, como Aldemir Bendine (Petrobrás), Luciano Coutinho (BNDES) e Miriam Belchior (Caixa).

PAZ, amor e bons negócios;
Alfredo Sequeira Filho

O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer crítica, dúvida ou sugestão, favor contatar: alfredo@relatoriobrasil.com


Conheça e indique nosso Blog: www.relatoriobrasil.com
Curta nossa página no Facebook: www.facebook.com/relatoriobrasil



Nenhum comentário:

Postar um comentário