R.B. 20/JUN/16 "Cancelar as Olimpíadas do RJ"



"Cancelar as Olimpíadas do RJ"

São Paulo, 20 de junho de 2016 (SEGUNDA-FEIRA).

Mercados e Economia:

Hoje (1) a BOVESPA deve subir, para retomar o patamar dos 50.000pts, acompanhando a forte melhora do “animo” nas principais bolsas mundiais, diante do aumento das “apostas” de que o Reino Unido permanecerá na União Europeia, e também beneficiada pela valorização das commodities, e (2) o DÓLAR pode seguir em queda, influenciado pelos mesmos motivos que devem animar a bolsa brasileira e também seguindo a trajetória internacional da moeda norte-americana.

Sexta-feira, no BRASIL, (1) a BOVESPA subiu 0,3%, ainda sem conseguir retomar o patamar dos 50.000pts, já que com bom volume de negócios (R$ 7,2bi) fechou aos 49.533pts, externamente beneficiada pela redução das “apostas” de saída do Reino Unido da União Europeia e internamente impulsionada pelo aumento das “postas” de que a economia tupiniquim começou a sair do fundo do poço e (2) o DÓLAR caiu -1,4% à R$ 3,42, acompanhando a melhora do “humor” na bolsa brasileira, ainda seguindo a trajetória internacional da moeda norte-americana e influenciado pelas expectativas de aumento do fluxo positivo de recursos externos.

Também sexta-feira, nas principais bolsas (1) da ÁSIA, Japão 1,1% e China 0,4%, recuperando parte das fortes perdas recentes, em um dia de baixo volume de negócios e sem divulgação de indicadores relevantes, (2) da EUROPA, também recuperando perdas recentes, Inglaterra 1,2%, França 1,0% e Alemanha 0,8%, com o mercado um pouco mais tranquilo sobre a possível saída do Reino Unido da União Europeia e com destaques de alta para as ações do setor de energia, diante da alta do petróleo (4,4%) e (3) dos EUA, na contramão do mundo, S&P -0,3%, DJ -0,3% e NASDAQ -0,9%, pressionadas por perdas nos setores de Assistência Médica, Tecnologia e Serviços ao consumidor, como Merck & Company (-2,8%), Apple (-2,3%) e Visa (-1,7%).

Coberto de razão, o Banco Mundial alertou, em um relatório divulgado no final de semana, que (1) mercado de construção no Brasil é fechado, o que facilita a formação de cartéis e corrupção, (2) "o setor de infraestrutura tupiniquim é deplorável" e as barreiras para a entrada de estrangeiros são muitas e (3) as faltas de planejamento são os principais inibidores de novos entrantes.

Dividido entre o avanço das propostas da nova e prestigiada equipe econômica e o cenário internacional, o mercado financeiro tupiniquim resolveu ignorar, por ora, a instabilidade política do governo Temer, que já sofreu com a queda de 3 ministros em apenas 5 semanas, já que o seu maior temor, que é o cancelamento do processo de impeachment de Dilma, é uma possibilidade ainda considerada nula.

-    Fazendo “jogo duro”, o governo Temer, que hoje pela manhã se reúne com os governadores, já avisou que quer o compromisso de ajuste nas contas públicas dos Estados antes de firmar acordos para socorrer os casos mais críticos de crise financeira.
-    Segundo fiscalizações recentes da Receita Federal, as empresas “queridinhas” do governo que foram beneficiadas pela desoneração da folha de pagamento, principalmente construtoras e incorporadoras, sonegaram pelo menos R$ 2,2bi em impostos.

Como a cada reestimativa de receita feita pelo governo, a arrecadação cai R$ -10bi, o déficit primário de 2017 que a equipe econômica de Temer enviará ao Congresso em breve ficará acima de R$ -100bi, mas mesmo assim não reeditará o rombo fiscal deste ano, de R$ -170bi.

Obrigado a decretar estado de calamidade pública financeira para poder receber ajuda federal e honrar seus compromissos com os Jogos Olímpicos, apenas neste ano o governo do Rio vai dar R$ 8,7bi em isenções fiscais para empresas “amigas”, o que representa o triplo do que o que receberá em ajuda do governo federal (R$ 2,9bi).

Derrubando o argumento de que a crise financeira do RJ é causada pela queda do preço do petróleo e pela nova lei do pré-sal, segundo um relatório do Tribunal de Contas do Estado o governo do RJ deixou de recolher, por conta da desoneração de impostos para empresas “amigas”, cerca de R$ 138bi apenas em ICMS entre 2008 e 2013.

Dando novos sinais negativos da economia tupiniquim, (1) em MAI/16 a procura por viagens dentro do Brasil caiu -7,8% na comparação com MAI/15, (2) as inscrições de agencias de publicidade brasileiras para participarem do festival de Cannes deste ano foram -10% menores que em 2015 e (3) já chega a 29% o percentual de inadimplência da faixa um do programa Minha Casa, Minha Vida.

-    A Petrobras subiu 5,3%, beneficiada pela valorização de mais de 4% do petróleo no mercado internacional.

Política:

Principal responsável pela quebra do Estado, que governou por 2 mandatos de 2007 até 2014, o peemedebista Sérgio Cabral, ex-governador do RJ, afirmou que a financeira do Estado, que culminou com um decreto de calamidade publica, acontece por causa da lei do pré-sal aprovada em 2010 pelo governo federal.

Obviamente atendendo a interesses de “empresários amigos”, o que aliás é oportuno em período de eleições municipais, sob patrocínio dos governos do Estado e da cidade de SP, respectivamente do PSDB e do PT, o Senado aprovou uma proposta que deverá facilitar o pagamento de cerca de R$ 103bi em precatórios (ações perdidas pelos entes públicos) das administrações públicas do país.

Com o título de deputado federal mais votado do Brasil nas eleições de 2014 e atualmente candidato à prefeito, Marcelo Freixo, do PSOL do RJ, defendeu a renúncia do governador em exercício Francisco Dornelles, que decretou na sexta-feira estado de calamidade pública nas finanças do Estado, ressaltando que esta atitude foi uma farsa para fugir do controle público e da lei.

Podendo ter a oportunidade de colocar em pratica uma nova forma de fazer política, o advogado Rubinho Nunes, que é um dos fundadores do Movimento Brasil Livre, será candidato à prefeito de Vinhedo, cidade que tem aproximadamente 70 mil habitantes e que fica cerca de 80 quilômetros de SP, pelo PMDB.

Cada dia mais isolado politicamente após o Conselho de Ética da Câmara aprovar parecer favorável à sua cassação, o deputado afastado Eduardo Cunha articula nesta semana uma nova ofensiva para tentar acalmar os ânimos dos parlamentares e angariar apoio para tentar se salvar em votação no plenário da Casa.

Integrantes do governo afirmam que o Planalto recebeu informações de serviços de inteligência sobre encontros recorrentes entre o ex-presidente Lula e Guilherme Boulos, do MTST, além da relação das reuniões com manifestações contra Temer.

Dizendo-se abandonado pelo PT, João Vaccari, ex-tesoureiro do PT que está preso, foi pressionado por familiares e amigos e já avisou que está mesmo disposto a entregar o que sabe sobre o PT e seus dirigentes, principalmente os generais de seu partido.

Crítica:

Na vanguarda da inovação, que até outro dia era da Apple, a Microsoft, quebrando o tabu empresarial com relação à maconha, anunciou uma parceria para começar a oferecer aos produtores um software que acompanha a produção legal de cannabis, para uso medicinal e recreativo, "da semente à venda".

Confirmando que a coisa mais sensata que o presidente Temer deve fazer é “cancelar as Olimpíadas do RJ”, (1) segundo o historiador Lamartino da Costa, nunca ocorreu uma Olimpíada, de inverno ou de verão, em estado de calamidade pública, (2) o Conselho Federal de Medicina alertou que a cidade não tem condições de receber os Jogos Olímpicos e (3) a procura por carros blindados na cidade está muito acima da capacidade de oferta.

PAZ, amor e bons negócios;
Alfredo Sequeira Filho

O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer crítica, dúvida ou sugestão, favor contatar: alfredo@relatoriobrasil.com

Conheça e indique nosso Blog: www.relatoriobrasil.com
Curta nossa página no Facebook: www.facebook.com/relatoriobrasil

Nenhum comentário:

Postar um comentário